Translate

quinta-feira, 21 de maio de 2015


E já faz muito tempo que já não acredito mais em Deus ou Diabo da forma como os religiosos pensam que esses seres são, se é que existem, embora eu não descarte a possibilidade de existir sim algum tipo de Consciência Superior (chamemos assim) principalmente depois da minha experiência que me fez ter uma clareza de visão muito forte de certas coisas, de modo que me sinto na obrigação de desmistificar certas crendices.
O texto de hoje estranhamente soa como um desabafo do meu antigo lado cristão, ou do que sobrou dele.
Umas poucas e boas verdades que vão doer a quem a carapuça servir, mas é um aviso necessário.
Não quero que certas pessoas vão para o lugar de onde eu voltei após ter sido enviado para lá injustamente.



Para quem você acha que trabalha com essas suas atitudes?
"O diabo pode citar as Escrituras quando isso lhe convém."


Para um ex-cristão, não existe experiência mais esclarecedora sobre o cristianismo do que se assumir como agnóstico.
Só para citar um exemplo, invés de ser ESCRAVO de 4 Evangelhos canônicos interpretados ao bel-prazer dessa ou daquela denominação que se auto-denomina "cristã", o agnóstico está completamente livre para estudar como bem entender os 32 Evangelhos (e fragmentos reconhecidos pela Arqueologia moderna como tal), livre de interpretações tendenciosas.
Apesar de agnóstico, há alguns anos eu não me conformo com um dos ensinamentos mais importantes do neo-cristianismo, conhecido como a "Lei da Colheita"... Aquela que diz "genericamente" conforme todas as interpretações neo-cristãs que "cada um colhe exatamente aquilo que plantou".
Bom... Por experiência própria, posso garantir que isso é uma grande mentira, pelo menos da forma como está interpretada nessa afirmação "popular" aí e que pouco tem a ver com a famosa passagem de Gálatas 6:7-9.
Ora... Se no meu último relacionamento eu plantei amor, carinho, compreenção, paciência, lealdade, dedicação, sinceridade e atenção, por quê eu só colhí injustiça, preconceito, difamação, ódio, traição, intolerância entre outras coisas que nem de longe lembram o que se prega no cristianismo?
A resposta pode ser muito mais simples do que parece: Plantei as minhas últimas sementes em solo maldito. Solo que de "santo", só tem a aparência, como tudo o que Diabo (se é que ele existe) faz e faz muito bem.
Aliás, talvez o golpe mais sujo do Mestre da Enganação é fazer com que aquelas pessoas que pensem ser cristãs durante toda a sua vida, trabalhem mesmo é para ele e ainda terem orgulho disso sem saber.
Isso explica por exemplo, por quê essa gente é tão ligada à aparência das coisas a ponto de a cada novo Congresso ou Seminário, comprarem roupas novas e sapatos e acessórios e cuidar do cabelo, etc., etc... por pura disputa de aparências, já que as atitudes tipo "amai-vos uns aos outros desde que sejam da mesma Congregação" é a grande e verdadeira lei que vigora na prática do meio em que vive essa gente que até encena pecinhas teatrais para treinar sua hipocrisia entre sí, além de ainda terem de emitir periodicamente um relatório do tempo que "trabalharam" pela denominação.
Ora... se eles são tão "escravos" de um Deus dito de "verdade e amor" então por quê nutrem ÓDIO por exemplo, pelos seus semelhantes que perceberam que havia alguma coisa errada e caíram fora desssa, os chamados "apóstatas"? (Gente aliás, muito mais sensata pelo simples fato de terem abandonado seu orgulho para assumirem que estavam erradas, embora entre eles hajam mesmo aqueles que "não prestam".)
Mais do que isso, estimulam uma ignorância fascista contra qualquer ponto de vista que contrarie o pregado por essa "raça ariana" que se acha tão "pura" e "santa" que precisa  se isolar do mundo, inventar sua própria interpretação das descobertas da Ciência como se só pudessem ser válidas se forem publicadas através de suas próprias publicações oficiais e relacionar-se apenas entre membros da própria religião mesmo que os "anciões" digam que "não precisa ser, embora fosse desejável".
Aliás, são especialistas em falarem mal uns dos outros pelas costas, especialmente após as reuniões mais importantes.
Para sentir um pouco de liberdade na vida (até porque eles se espionam entre sí 24h por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano), não raramente namoram às escondidas, praticam o oposto a praticamente tudo o que pregam e insistem em fazer propaganda para "o mundo" dizendo que é tudo "lindo" e "feliz" em suas vidas miseráveis como se o mundo para eles fosse uma "Disneylândia". Só que ninguém no "mundo" aqui de fora, acredita nessa propaganda deles, naturalmente ignorando seus papéis e publicações. Aí eles se fazem de "vítima", se dizendo "perseguidos". Ha!
Verdade seja dita! Essa gente trabalha mesmo é para a mentira, para o ódio, para a injustiça, para o preconceito... Em outras palavras, falam que são de Jeová, mas trabalham para Satanás.
E se aceitam uma sugestão de um ex-cristão que já voltou do inferno é: Saiam dessa enquanto ainda podem!
A Verdade não perdoa quem profana seu nome com atitudes que não a correspondam.
Caráter não se faz com palavras que não se cumprem.
Caráter se faz com atitudes honestas, com lealdade, com sinceridade, com humildade, com respeito.
Se a carapuça serviu e você discorda, desafio você a PROVAR que estou enganado através de ATITUDES, porque não acredito em palavras.
Não mais.