Translate

terça-feira, 31 de março de 2015


Hoje eu resolví compartilhar com vocês mais um pouco das reflexões mais íntimas da minha mente (que insiste em não me deixar dormir direito e me deixar deprimido) à respeito de um dos milhares de assuntos que ocupam o meu cérebro a ponto de ele consumir calorias extras. (Agora meus amigos sabem por quê eu não engordo apesar de comer mais do que eles, o que os deixa muito perplexos.)
Sou um homem amaldiçoado por ser diferente dos outros homens em praticamente tudo à respeito de comportamento social... o que de certa forma, não é tão ruim se levarmos em consideração os caminhos que a espécie humana andam seguindo e que é uma das coisas que me causa depressão: não consigo mais ver futuro na humanidade enquanto a mentira continuar dominando todos os aspectos da sociedade... exceto alguns outros raros homens amaldiçoados assim como eu, que também voltaram do inferno. Estranhamente, não é difícil reconhecer quem já passou por esse tipo de experiência.


Eu já fui feliz. Agora eu tenho paz.
"Você precisa ser feliz para viver. Eu não."
(Keanu Reeves)


Todas as minhas experiências de vida me ensinaram a duras penas que toda felicidade é ilusão passageira. Nem existe mais como questionar isso.
Sempre foi assim, apesar de toda a propaganda que se faz da tal felicidade, desde antes de nascermos e todo mundo à nossa volta insistir em nos pregar a idéia de que temos de correr atrás dela como se dependêssemos disso para respirar.
Já cansei de dizer aqui neste blog que a tal felicidade nunca é permanente e que o que existe mesmo são "momentos felizes" e a "ilusão de felicidade constante".
O que talvez eu deva ter esquecido de dizer é que essa "ilusão de felicidade constante" geralmente ocorre quando temos alguém a quem atribuir esse sentimento e compartilhar dos "momentos felizes".
E quando não temos esse alguém? Vivemos infelizes?
Bom... primeiro, vamos aos fatos: Ninguém precisa de felicidade para viver, especialmente se fôr para fingir felicidade para o mundo não te cobrar isso a toda hora e mais ainda se você tem plena convicção de que a tal felicidade tem um preço.
Aí surgem algumas perguntas:
Se a felicidade tem um preço, até que ponto ela é viável?
O esforço compensa?
Quanto tempo de vida você ainda tem para alcança-la?
Você já passou da idade de ser feliz de acordo com seus projetos de vida?
Se você sabe exatamente o que faria você ter a "ilusão de felicidade constante", quais as probabilidades de você conseguir alcançar isso?
"Ilusão de felicidade constante" para mim hoje, é absolutamente inviável. Só me contento com o que é real.
Fantasias e ilusões não são pra mim.
Já viví minhas experiências de fantasia no passado e aventuras que me ensinaram a buscar apenas o que é real. Assim, eu jurei que não me arrependeria, como não me arrependí e sim, já viví essa experiência de "ilusão de felicidade constante", acreditando que poderia mesmo durar pelo menos até o fim da minha vida, já que a vida em sí, é passageira, apesar das constantes promessas "eternas"... Ha! Palavras que se mostraram bastante vazias por parte de quem as proferia.
Talvez eu já esteja mesmo velho demais para acreditar em felicidade como algo "eterno". Aliás, eu me sinto traído por tudo o que me dizíam que era "eterno" como Deus ou o amor da minha última "ex" que eu aposto que promete as mesmas coisas "eternas" para o outro otário... Coisas que ela se mostrou incapaz de cumprir, como a experiência já mostrou.
Palavras tão hipócritas quanto a realidade de tudo o que ela e a mãe pregam nos domingos de manhã de porta em porta (como muitos, aliás).
Mas confesso - sinto muita falta daquela "ilusão de felicidade constante" que eu tinha naquela época, o que me faz entender as razões desse povo que toma alucinógenos, ou outras drogas como bebida ou tabaco ou contratam "serviços sexuais" em busca dessas ilusões temporárias de felicidade... mas como eu disse, só me contento com o que é real. Fantasias e ilusões definitivamente não são pra mim é por isso que eu não perco meu tempo com essas bobagens.
Quem dera existisse mesmo a tão prometida "felicidade eterna"... Que ela fosse real! Que existisse de verdade!
Se ela existisse, talvez eu ainda tivesse alguma chance de ser feliz.

Mas já fui ludibriado por essa promessa muitas vezes. Vezes demais para esperar uma prova de que pelo menos essa promessa tem alguma razão de ser.
Esperança é uma palavra que eu excluí do meu vocabulário pessoal já faz mais de uma década enquanto o universo continuará rumando para o caos e as mentiras continuarem a ser apresentadas como "caminho justo".

Você precisa de mentira para viver? Eu não.
(Pausa)
Mas se a felicidade não é a razão da vida como pregam tanto, então o quê é afinal?

Nenhum comentário: