Translate

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Este não é, nem nunca foi um blog sobre política.
Mas é lamentável que este blog tenha de guardar em suas linhas, tantas lamentações quanto à atual situação política, econômica e social do Brasil, terra de um povo prostrado, desarmado e oprimido por um governo formado por bandidos, em que a comunicação está cada dia mais falha e proibitiva (e se não tomarmos cuidado, nossa Internet virará Intranet nacional), em que o sistema energético está cada dia mais capenga e que já começa a ter racionamentos de água.
Ora... qualquer um que tenha um mínimo de conhecimento sobre estratégias militares, sabe que as três primeiras coisas que você corta de um território antes de invadi-lo são a comunicação, a energia e a água.
E agora, a Rússia pretende instalar bases militares em Cuba e Venezuela, além de Nicarágua e Vietnã, num lamentável recomeço do pesadelo da Guerra Fria. (Resta saber como os Estados Unidos reagirão à isso.)
Para piorar a sensação de déjà vu, já se fala numa manifestação dia 22 de março, entitulada "Marcha da Família com Deus pela Liberdade", exatamente nos mesmos moldes da que ocorreu 50 anos atrás (embora no dia 19), antes do "golpe" (ou "contra-golpe"?) de 1964, não bastasse o cenário todo muito parecido, exceto pelos valores culturais, hoje bastante diferentes das daquela época, muitos deles invertidos ou destruídos pelo fenômeno conhecido como "Marxismo Cultural" e pelo fato de que não há nem um embaixador fazendo recomendações ao governo dos EUA (que está praticamente quebrado pela prática de seu "esporte nacional" de ser a "polícia do mundo"), nem militares se preparando para atender aos apelos da população que os tirou do poder e que está longe de amadurecer politicamente para saber praticar democracia sem perder suas liberdades.
Se existe um Deus... que nos ajude.



As idéias dos outros que se danem! Eu quero saber é das SUAS idéias!
"Pensar contra foi sempre a maneira menos difícil de pensar."


Uma particularidade curiosa dos universitários no Brasil, especialmente nas áreas de Ciências Humanas, é que eles lêm muito. mas muito mesmo, o que é ótimo, mas quando vão escrever, eles apontam excessivamente para os pensamentos dos outros, estudos dos outros, citam textos de um monte de gente e disputam ferrenhamente quando surge algum ponto de vista que questiona o ponto de vista deles, sempre apontando as idéias que leram como defesa.
Aliás, é tanta defesa usando as idéias dos outros que não sobra espaço para a exposição de suas próprias idéias e pior (muito pior) não sobra espaço para o questionamento de suas próprias idéias, até porque no final das contas, elas são idéias dos outros!
Existem cobranças excessivas em quantidade de literatura das idéias dos outros, mas o incentivo ao desenvolvimento das próprias idéias é irrisório.
E essa quantidade de literatura cobrada, se fôr direcionada para apenas uma linha de pensamento, acaba tendo o mesmíssimo efeito das lavagens cerebrais, o que pode causar uma unanimidade altamente perigosa e improdutiva ao desenvolvimento filosófico e cultural.
Exercício: experimente questionar uma linha de pensamento de qualquer recém-formado de qualquer área de Ciências Humanas e praticamente em todas as vezes que você fizer isso, esbarrará com citações a diversos autores e a mesma expressão pronta de sempre: "existem vários estudos..."
Por favor, usem o próprio cérebro e parem de depender dos cérebros dos outros!
Aliás, questionem sempre todas as idéias que lhes aparecerem à sua frente, jamais de imediato, especialmente rebatendo com alguma citação em tentativas desesperadas de fazer com que você pareça mais "intelectual" do que realmente é (mas que tem potencial para ser muito mais intelectual do que se tivesse lido todos os livros da Terra se souber observar e relacionar o que já lê ao invés de apenas memorizar - e existe um limite para a memorização).
Lembrem-se também de que "existem vários estudos" sobre incontáveis assuntos que no final das contas, mais confundem do que esclarecem e muitos deles, lá no fundo só servem para garantir bolsa de estudos dos tais autores que vão tocando os tais "estudos" até o fim de suas vidas ou até que o dinheiro da bolsa acabe, bem ao estilo Dr. Peter Venkman, ou, (para citar um personagem da vida real), Trofim Denisovich Lysenko e sua teoria furada de que comportamentos poderiam moldar a Evolução Natural das espécies.
Embora encher seus textos e exposições das citações, publicações e estudos dos outros, das defesas das idéias que você agregou e adotou como se fossem suas, pode servir muito bem para você conseguir certificados, se formar, ganhar discussões, mas jamais fará de você um intelectual de verdade, capaz de meditar por dias sobre suas próprias observações e assim, ter sua própria visão dos fatos, ainda que, na maioria das vezes, seja forçado a guardar suas observações e idéias para você, como Charles Darwin fez durante todos os anos de suas pesquisas, ou Galileu Galilei que por muito pouco não virou churrasco da Igreja.
Gente que pensa, é gente potencialmente muito perigosa à hegemonia do Poder, que depende da hegemonia cultural para que se mantenha a obediência coletiva.
E o Poder, nesses casos têm duas opções: agregar essas pessoas como aliados (a maioria dessas pessoas trabalha para as maiores corporações da Terra) ou neutralizando-os de alguma forma, seja chamando-os de loucos, desqualificar suas idéias atribuindo-as a influências politicas ou religiosas de orígem obcura ou duvidosa, ou ainda destrata-los publicamente, atribuindo-lhes crimes que não cometeram, ou coisa pior.
Mas por quê gente que pensa é perigosa à hegemonia do Poder?
Porque essas pessoas conhecem o prazer da liberdade de pensamento. E tendem a lutar por em liberdade do Poder. Liberdade do "governo-babá". Lutar por torarem-se independentes dele.
Se conseguirem um dia, seria o fim da opressão dos poderosos, como ocorre tanto nos regimes de esquerda quanto de direita.
Pensar é muito mais importante e produtivo do que combater pensamentos.
Pense nisso!
Aliás, pare e observe para pensar... sempre!
Depois, você perceberá  com o tempo, que suas idéias se tornarão para você, mais importantes do que todas as que já leu e cujo crédito jamais será seu.
Precisamos das suas idéias para reorganizar o mundo.
Porque as idéias dos outros... são as que causaram toda essa bagunça que você vê no mundo hoje.

Nenhum comentário: