Translate

terça-feira, 28 de maio de 2013

Francamente, estou de saco cheio das intermináveis trocas de farpas entre as pessoas nas redes sociais, em eternas discussões pseudo-políticas de pessoas pseudo-politizadas que nada mais são do que disputa pessoal por defesa de valores dos grupos dos quais as pessoas fazem parte.
Também estou de saco cheio do endeusamento da ignorância em detrimento do bom senso.
Resolví dar um belo tapa com luva de pelica na cara das pessoas com o texto de hoje, não para desafia-las, mas para tentar acorda-las para uma realidade além do que a imensa maioria de nós consegue ver, pois perdemos tempo demais com distrações e idéias para nos confundir ao invés de irmos direto ao ponto.
A idéia aqui, é mais do que convidar o(a) leitor(a) a questionar seus próprios valores e pontos de vista, como sempre faço.
A idéia agora é promover uma ação, incentivar a divulgação não deste texto, mas das idéias contidas nele.
É hora de conscientização.
Chega de discussões improdutivas!



Parem de brigar feito crianças e prestem atenção feito adultos!
"A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão."


Em primeiro lugar, é preciso largar a mão de ser estúpido e ignorar o óbvio, pelo simples fato de que um bom pensamento racional inexiste quando se defende o próprio ego.
Nós, como seres humanos infelizmente estamos condicionados 24h por dia a disputar, competir entre nós ao invés de exercitar nossa humildade racional e observar sempre os múltiplos lados de cada dado para só então transformarmos em informação efetiva.
Se você ler esse texto (bem como muitos outros do meu blog), na primeira afirmação que você ler em que seu ego discordar (e certamente você terá motivos para isso e sentirá vontade de me classificar como idiota ou coisa pior, mas não sou eu que estarei ignorando idéias), assim, todas as afirmações posteriores serão simplesmente ignoradas ao invés de observadas e compreendidas para que se possa entender a linha de raciocínio, para só então ter algum material para pensar a respeito e formar alguma opinião efetiva ao invés de agir feito "maria-vai-com-as-outras" dentro de seu grupo social.

Em segundo lugar, "Teoria da Conspiração" não existe. O termo "Teoria da Conspiração" foi inventado para desviar o foco da realidade referindo-se a duas grandes mentiras:
1 - Não existe "conspiração". O que existe é uma evolução conseqüencial natural dos fatos que acabou por culminar na situação de poder global em que grupos de banqueiros internacionais e empresários detêm o poder sobre os bancos centrais (e consequentemente o fornecimento de dinheiro dos países - vide o último texto deste blog) e as principais indústrias e corporações do planeta hoje sob a forma de "acionistas" (em sua maioria anônimos) e em consequência, o próprio Estado, passa a ser mecanismo de Poder deles.
2 - Não existe "teoria". Existe prática.
Teoria não passa de conjunto de hipóteses ou idéias sistematizadas até que se encontrem evidências que as comprovem de modo a faze-la passar a ser aceita como fato.
Ora... Existe uma infinidade de teses apresentadas na Internet do que costuma-se chamar simplesmente de "teoria", mas ninguém questiona por mero condicionamento à preguiça de parar e observar para ver se as provas para cada hipótese de cada uma dessas teses é ou não é válida.
No geral, as pessoas tendem a preferir notícias sobre futebol ou sobre celebridades que aparecem na praia como mortais comuns, como se isso fosse a coisa mais inacreditável do planeta.
Aliás, alguma vez você já se perguntou por quê essas celebridades são tão bem pagas? Ou de onde vem o dinheiro dessa gente?
Se você fôr esperto(a) vai descobrir que de um jeito ou de outro, esse dinheiro sempre vem, direta ou indiretamente de alguém ligado à política e o motivo é simples: mídia nada mais é do que distração dos fatos que realmente importam.
Tudo, absolutamente tudo o que vai para a mídia, é falso, incompleto ou forjado (inclusive à partir de fatos forjados ou não). Tudo feito para primeiro distrair, segundo confundir e terceiro, persuadir. Assim, criam-se discussões inúteis e intermináveis que nunca levam a absolutamente nada além de mais discussões inúteis e improdutivas.

Agora que o(a) nobre leitor(a) já se firmou sobre esses dois pontos, podemos começar a expôr algumas coisinhas de modo bem sintético e direto.
Se ainda não ficaram claros, recomendo lê-los novamente, cuidadosamente e refletir bem sobre eles antes de continuar a ler esse texto, senão vai doer no ego, você vai se sentir tentado(a) a defender seu ponto de vista e tentar iniciar alguma discussão inútil e improdutiva, perdendo o seu tempo e o meu.
E eu não estou nem um pouco a fim de perder meu tempo com coisas que não levam a nada.

Bom, vamos aos fatos...

1 - Não existe essa ladainha de "direita versus esquerda". Especialmente no Brasil.
Desde 1988 que eu bato na mesma tecla: os grupos partidários que se vendem como "direita" ou "esquerda", ou ainda "situação" e "oposição", não passam de um único grupo com a estratégia de se manter no Poder e continuar explorando o esforço da população em benefício próprio.
Em suma, PT e PSDB (bem como todas as outras siglas que formam suas coligações em épocas de eleição) são uma coisa só, apresentados como se fossem opostos, mas reparem só como um dá continuidade ao trabalho do outro no sentido de se firmarem cada vez como um sistema de governo totalitário, cortando nossas liberdades em doses homeopáticas a mais de 23 anos (e já há quem diga que esse esquema já se formou a mais de 40) e criando medidas eleitoreiras paliativas para garantirem sua parcela da opinião pública em defesa constante da sua causa de faxada.
Como principal prova de que caminhamos para um sistema de governo totalitário, está o nosso sistema eleitoral, considerado uma farsa em qualquer país do mundo que tenha testado uma urna eletrônica de primeira geração (como as nossas, do tipo que só são usadas no Brasil e na Índia) e que é organizado, julgado e fiscalizado por um único órgão governamental que se auto-entitula como "símbolo da democracia", mas que na prática, é inquestionável, intocável, onipresente, onisciente e onipotente e em que se você tentar contestar, poderá tomar um processo por "litígio de má fé".
É claro que existem outras provas como o péssimo investimento em qualidade educacional, que quando funciona, forma mão-de-obra, mas não forma mentes pensantes, ou seja, são incapazes de raciocinar e formar opinião ao invés de citar feito papagaios, os pensamentos dos outros (em sua quase totalidade, estrangeiros).
Enquanto nossa sociedade briga feito mencheviques e bolcheviques, convém deixar claro que em todas as vezes ao longo da história em que se falou em "revolução social", leia-se "genocídio" e "privação de propriedade".

2 - O povo tem o Poder nas mãos, certo? Errado.
Quem tem o poder nas mãos é quem tem as armas.
Protestinho na Internet não pára um projétil de fuzil depois que ele dispara.
E sem essa de "campanha do desarmamento".
Quando fôr declarado algum golpe de Estado (e não falta muito), quero só ver os "PSDBistas" e "PTistas" nas ruas enfrentando o exército com paus e pedras.
Vai fazer protestinho na Internet? No Facebook? No Twitter?
Caso o(a) leitor não tenha reparado, já existem movimentos do Estado que JÁ ESTÃO CENSURANDO o cidadão e há projetos de lei com o intuito de que a Polícia Federal não possa mais investigar "crimes do colarinho branco".
Se isso não é totalitarismo unilateral, então não sei o que é.

3 - E se acontecer um golpe de Estado? Há chances de que alguma conspiração se forme para derruba-lo?
Com câmeras de "segurança" para todo lado e o Facebook coletando todos os dados possíveis sobre os hábitos e o histórico de todo mundo de modo a disponibiliza-los às mãos do Estado para que ele faça o que quiser? Muito pouco provável.
Conspirações hoje, graças à tecnologia, são impossíveis, a menos que sejam invenções na mídia (ou ações forjadas) com o propósito de aparecer na mídia e formar alguma opinião pública em favor dos inventores da mesma e que já sabemos quem são.
Qualquer cidadão que tenha um aparelho de telefonia celular pode ser localizado em segundos em qualquer lugar do planeta e logo teremos chips implantados em nosso corpo (ou em nossos documentos e/ou carros) com esse propósito embora nos venderão a idéia de que será para outra coisa como "a nossa segurança".

4 - Não estou sendo pessimista. E não, não estou sendo paranóico. Apenas estou apresentando como os fatos estão se ligando já a muitos anos rumo a um mundo "orwelliano" e como eu já disse... em doses homeopáticas, bem ao estilo do sapo vivo que se fôr fervido bem lentamente, morre cozido ao invés de perceber rápido a tempo de pular da panela.

Querem saber mais? Clique nos links desse texto e leiam bastante, vejam os vídeos (alguns estão em inglês, lamento). Mas não ignorem o que estou dizendo neste texto.
Um dia, esse blog será censurado e esse texto deixará de estar disponível.
É bom que você se lembre bem dele no futuro.