Translate

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Estou me sentindo meio bêbado após um pouco de licor de chocolate... muito ruim, por sinal.
Aliás, acho que devo mesmo escrever melhor quando estou mais ou menos bêbado mesmo... parece que o mundo entende melhor o que escrevo quando raciocino assim... acho que o mundo talvez deva se identificar melhor com um bêbado do que com um escritor são.
Também... para eleger coisas como Restart e Justin Bieber como exemplos musicais, o que mais se pode esperar do mundo?
Eleições no Brasil então... Xiiiiiiii!!!! O Brasil já perdeu as eleições no primeiro turno, deixando toda a merda pros debates do segundo turno... aliás... a mais pavorosa, ridícula e infeliz disputa presidencial que já testemunhei desde o fim do regime militar.
Mas enfim... por quê resolví ficar um pouco bêbado hoje? Logo eu... um degustador de vinho que de tempos em tempos, para não dizer raramente separa um cálice para me acompanhar durante minhas redações de madrugada para este blog?
Hora... por quê todo bêbado resolve encher a cara? Dia ruim, certo?
Bom... pelo menos essa é a tese clássica... o alcoólatra usa qualquer desculpa. Essa é que é a grande verdade.
Como não sou alcoólatra, espero estar de volta à minha sã consciência antes do término desse texto e talvez com um baita sono...
Mas... para escrever sobre isso, só estando bêbado mesmo e ao término de um dia ruim.
E para mim, os piores dias são aqueles em que termino insatisfeito comigo mesmo. Um daqueles dias em que meu lado ateu é desafiado pela porcaria do karma.
Pelo menos o álcool me estimulou a escrever sobre algo que há vários anos me pedem para escrever.

Talvez por eu nunca ter escondido o quanto sou apaixonado pelo universo feminino que cerca certas mulheres.
Bom... tá aí! Talvez agora fique bem mais fácil às pessoas entenderem as coisas que me atraem numa mulher.




Mulheres que me atraem (abrindo o jogo de vez)
"A mulher sábia constrói o seu lar. A insensata o destrói com as próprias mãos."
(Provérbios 14, 1)


Eu devo estar maluco ou muito seguro de mim mesmo para abrir o jogo desse jeito... mas optei por isso, uma vez que é muito comum as minhas amigas me perguntarem sobre o que fica ou não bem nelas ou o que ela poderiam fazer para parecerem mais atraentes... aliás é também comum as pessoas me perguntarem sobre o tipo de mulher que me atrai, graças à fama de extremamente exigente que adquirí após apanhar tanto com meus relacionamentos anteriores que preferiria ter sido queimado vivo numa fogueira por perseguição religiosa na Idade Média.
Essas experiências me fizeram certa vez incluir no meu blog, uma polêmica citação de aspecto um tanto preconceituoso para não dizer ofensivo às mulheres de um criminoso ao invés de algum grande pensador, filósofo, escritor ou personalidade famosa  logo após o título de um dos textos do meu blog. (Motivos que me levaram a não cita-lo desta vez, até por quê o cara já ganhou propaganda gratuita demais pro meu gosto.)
O pior, é que em partes, a citação do tal criminoso, até faz sentido. Vou dar um exemplo.
Se perguntadas sobre o tipo de homem que as mulheres gostam, todas vão dizer um cara trabalhador, carinhoso, honesto, fiel, inteligente... tuuuuuudo mentira, tá? O que elas querem mesmo é o tipo mais primitivo que puderem encontrar... quanto mais troglodita melhor para elas porque é fácil convencer um um gorila desses com umas reboladinhas, uns beijinhos... e com um detalhe: o macaco tem de ser rico. Afinal de contas pesquisas já comprovaram que mulher sente muito mais prazer fazendo compras do que sexo.
OK... elas são mentirosas? Hummm... digamos que a natureza delas é Não que elas queiram ser. E a melhor desculpa que encontraram para explicar isso desde que ainda eram homo-neandertalensis hoje chama-se TPM, a maldita Tensão Pré-Menstrual, vulgo "Tente Perturbar Menos" ou ainda "Tendência Para Matar".
Oras... Me desculpem, mas isso comigo não cola.
Em primeiro lugar, a mulher que me atrai é do tipo honesta. Do tipo que assume sua TPM e não vem com desculpinhas depois.
Joguinhos do tipo me fazer sentir ciúme se ensinuando com outro homem é pedir para ser descartada da minha lista no ato: Ou me quer e assume, ou que fique com o primeiro troglodita que encontrar.
Mulher interesseira também descarto na hora. O tipo de mulher que procuro certamente tem massa cinzenta suficiente para não precisar descer a esse nível. Aliás adoro mulher inteligente... é tudo de bom e vivem me surpreendendo.
Corpos bonitos chamam fácil a minha atenção, embora eu seja um observador extremamente discreto. Gosto muito, mas penso que um rosto bonito e um olhar especial me encantem mais, até porque certamente é para o rosto que vou olhar mais tempo... e bota tempo nisso. Um cara relativamente inteligente e com a minha idade, certamente já passou da fase das experiências, das aventuras, das besteiras e já aprendeu bastante sobre o tipo de mulher que realmente lhe interessa.
No meu caso, já aceito há vários anos que dei uma tremenda bobeira e mandei embora a mais provável companheira definitiva que já conhecí até que alguma desafiante realmente a fim de desafios, resolva tentar provar o contrário.
Outra coisa que me atrai é o modo de se portar... se a mulher se comporta e se veste com elegância, ganha um ponto importante da minha admiração na hora.
Por outro lado, mulher grosseira é extremamente irritante.
Mulher brega então... melhor nem pensar.
Desculpa a sinceridade, tá mulherada, mas... o "mercado" tá pavoroso nesse sentido ultimamente... Pô! Mulher tem de se assumir como tal, tem de ter um comportamento feminino antes de qualquer coisa. É o que a identifica como mulher.
O modo de se vestir, certamente acaba acompanhando sua personalidade e seu comportamento.
De nada adianta uma mulher usar um belo scarpin com salto agulha, o tal do stiletto, se ao usa-los anda feito uma pata choca porque não está nem de longe acostumada com a elegância de uma mulher autenticamente feminina. Hoje é "uma arte quase perdida" segundo Frank Miller e eu assino embaixo!
Outra característica que as mulheres lamentavelmente perderam é o costume de usar saia. (Excluindo as evangélicas, nesse tópico, por favor... que aliás, raramente as usam direito.)
Além de muito mais saudável para a intimidade feminina, o bom uso das saias lhes conferem um destaque mesmo de longe e é facilmente perceptível a diferença da mulher que sabe usa-las e está à vontade com elas das "mulher-macho" que mais parecem militares escoceses num quartel.
Naturalidade, mulherada... por favor!!! Naturalidade!!! De mulher falsa o mundo tá cheio!
Não adianta vocês tentarem parecer o que não são! Se vocês não sabem, não gostam, não conseguem andar de salto ou usar saias, não adianta forçar também... Uma mulher pode encontrar alternativas elegantes que além de lhe conferirem elegância, ainda mostram sua personalidade. Pensem nisso!
Vamos falar um pouco de cabelo e unhas... afinal de contas o tempo e dinheiro que elas gastam com cabeleireiro e manicure merece algumas palavras.
O cabelo... longo, curto, loiro, preto, castanho, cacheado, liso... é a característica pessoal da mulher.
É o que a distingue fácil das outras e emoldura o rosto.
Cabelos longos e lisos hoje são raros, porque gasta muito shampoo... é por isso que as mulheres mais pobres (as que tristemente são as que cuidam mais mal de seus cabelos) costumam prende-los de modo que pareçam um pavoroso pom-pom atrás da cabeça ao invés de algo mais bonito como um rabo-de-cavalo, por exemplo.
Cabelo bem cuidado, mesmo o mais rebelde, merece prêmio.
Quanto às unhas... definitivamente são o que mais apontam a qualidade do cuidado que a mulher tem com sigo mesma.
Uma mulher não precisa ter unhas muito longas ou um monte de pinturinhas ou adesivos nelas, contanto que sejam limpas e bem cuidadas... tipo "corte quadrado", cada vez mais raro.
A tal da "francesinha" é desnecessário, embora até seja charmoso, como o "corte quadrado". Aqui um segredo: Um homem adora imaginar como é ser "arranhado" de leve por unhas bem cuidadas assim.
Agora a parte mais difícil: mulher não pode, em hipótese alguma ter medo de homem.
Sou capaz de apostar que existem mulheres que adorariam "chegar junto", mas morrem de medo por me julgarem sério demais, frio demais, exigente demais... sabe-se lá o que mais demais...
Ora... sou um cara normal, adoro ajudar as pessoas, ensinar o que posso, aprender com elas e muitos me acham bastante divertido, mesmo com minhas nerdisses e meus costumes um tanto reclusos.
Nenhuma mulher precisa ter medo de um homem como eu. Elas têm de ter medo mesmo é dos trogloditas, dos macacos, dos gorilas... esses sim é que tendem a ser os mais safados e canalhas que certamente vão trai-las na primeira oportunidade que tiverem, porque são absolutamente incapazes analisar e saber o quê admirar numa mulher ou por quê. (Aliás, tá aí o motivo de as mulheres reclamarem da honestidade masculina.)
Os cérebros desses caras não são feitos para raciocinar sobre isso, por mais inteligentes que possam parecer.
Aliás, quando devidamente provocados (excitados), homem nenhum, (inclusive eu) consegue ter sangue suficiente no cérebro para raciocinar direito e as mulheres sabem muito bem disso.
É por isso que me condicionei a ser exigente e observador antes de fazer mais besteira do que já fiz no passado.
É melhor do que agir feito desesperado como a maioria dos babacas pelo mundo afora. (Sinceramente não sei como vocês mulheres toleram esses caras.)
Voltando ao assunto... Mulher também solta cantada sim! E são muitíssimo mais criativas e inteligentes que os homens nisso! Só que é mais raro o que me faz citar um outro raciocínio: mulher quando quer mesmo, não ta nem aí... parte pra luta sem medo de ser feliz.
Bom... acho que é isso.
Falei bastante... abrí bem o jogo e como meus amigos e amigas podem perceber agora, apesar de exigente, não sou um cara impossível, como muitas mulheres podem imaginar. Só evito os problemas que já enfrentei no passado. Só isso!
Aliás, esse passado me ensinou sobre o valor que eu represento como homem. e esse valor não é para qualquer mulher não.
É claro que existem outros detalhinhos e tals... mas dependem mais do convívio no dia-a-dia do que de coisas mais difíceis de mudar como a própria essência da personalidade de uma pessoa.
Agora, para as mulheres que conseguiram ler até aqui sem se sentirem desapontadas com sigo mesmas... além dos meus parabéns, as dicas que sobraram e que como podem ver, são muito mais simples do que parecem:
1 - Quem não arrisca, não petisca.
2 - Pensem nisso: "Homem que fica com qualquer mulher, acaba com uma mulher qualquer". Que tipo de mulher você é?
3 - Que graça existe em conquistar um homem comum se você pode ser especial conquistando um homem especial?
4 - Se você quer um cara realmente legal, diferente da maioria e que vai saber te valorizar, não perca tempo. Outra pode perceber isso e agir antes de você.
Bom... acho é só isso. Quer saber mais? Hummm... Quem sabe? (Hehehe)

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Me recuso a falar de política no texto de hoje.
Já cantei a bola dizendo que é um jogo de cartas marcadas e que já sei quem vai assumir a presidência. E mais: a mídia ainda vai dizer que "foi por pouco"... Oras... Não passamos de massa de manobra.
Somos todos marionetes de quem realmente tem o poder nas mãos. E não me refiro aos políticos ou o empresariado, embora esses últimos também tenham um poder incalculável e... quem sabe um dia eu escreva sobre isso. (Se não me apagarem antes por eu saber demais.)
Uma coisa eu posso afirmar por enquanto, especialmente aos que apaixonadamente dizem ter "consciência política": essa consciência é a ponta do iceberg. Há muito mais do que dinheiro e interesses comuns em jogo.
Para alguns, os verdadeiros donos do poder, dinheiro não é nada. Para eles, políticos são movidos a isso e o empresariado também.
Tente imaginar (se conseguir) quais seriam os tipos de diversão desses caras e talvez um dia, você encontre as respostas para um monte de mistérios das "teorias da conspiração".
(Nota: Só por que eu falei isso tudo é capaz de mudarem os planos... mas o resultado final será o mesmo independente de quem assumir a presidência.)


Cara, estou velho
"Nós não contamos os anos de um homem enquanto ele não tiver mais nada para contar."


Cheguei à conclusão de que tudo o que eu mais gosto na vida, nasceu ou se tornou mania entre os anos 60 e 80 e acho que fui parte de umas das primeiras gerações que teve na TV a sua "babá" mais influente, felizmente numa época em que a programação era mais ingênua, inocente e fantasiosa, para não dizer criativa. uma época em que ela estava mais para babá do que para vendedor trambiqueiro.
Eu ví "Vila Sésamo", adorava aqueles tokusatsu toscos (mas que hoje são franquias inacreditavelmente milionárias) do "Robô Gigante", "Ultraman" e mais ainda do "Ultraseven", que me fez ter desde criança o desejo de me tornar cientista... o que (pelo menos na teoria, nunca aconteceu, mas... e daí? Acho que meu lado asiático deve ter nascido mais ou penos por aí... nessa época.) E falando em série tosca, acho que o primeiro "símbolo sexual" de que me lembro era a "Poderosa Ísis" (hoje certamente uma simpática velhinha), talvez daí meu interesse por diversidade de culturas e crenças desde a infância...
Bom, estou aqui ainda comendo biscoito de polvilho como fazia quando era criança, em que meu avô me dava um pacote desses biscoitos todo dia após me buscar na escola.
Esse "ar" saudosista da afirmação acima não é à toa. É um sinal evidente de que estou ficando velho.
Claro! Só velho sente saudades dessas coisas boas e... bom... com uma grande sensação de decepção, em plena época em que se supunha, teríamos uma sociedade mais justa, mais civilizada, mais inteligente... uma época em que as diferenças já tivessem passado a serem vistas como preciosidades ao invés de aberrações a serem abominadas, já teríamos colonizado a Lua, carros que voam seriam comuns e...
Ora... O que é que deu errado afinal?
Se eu pudesse resumir a resposta a essa pergunta em uma única palavra, ela seria "egoísmo".
É bem verdade que hoje podemos conversar com outra pessoa do outro lado do mundo vendo e ouvindo, embora não ainda em tempo real, mas é um bom exemplo de uma ficção do meu tempo de criança que se tornou realidade, assim como outros aparatos tecnológicos dos meus heróis da TV, que hoje são objetos corriqueiros, como o computador-comunicador de bolso (embora poucos são os que realmente sabem usa-los efetivamente)... mas convenhamos. Comparado àquela época, a humanidade emburreceu, embruteceu e na maioria das vezes, as menores diferenças se tornam pontos de discriminação séria ao invés de meras brincadeiras entre amigos.
Os relacionamentos eram mais verdadeiros, as músicas eram mais românticas e menos artificiais, a arte de um modo geral era infinitamente mais rica, embora tivesse menos recursos para ser expressa e até certo ponto, se apresentava com um certo grau de inocência, de ingenuidade que hoje figura como divertida, mas inviável em tempos modernos.
Resumindo... eram tempos mais inocentes, românticos, ingênuos, mas também eram tempos mais inteligentes, verdadeiros e... humanos.
E as mulheres? Ah... como eram charmosas...
Hoje, a mulheres parecem lutar para parecer mais macho que homem! Charme zero e relaxo ao máximo... Nem saia a gente vê elas usando mais, como se só pudessem usa-las em festas...
Fico encantado quando vejo uma mulher que sabe se vestir com elegância e não me refiro à mulher "produzida pra balada". Me refiro à mulher que não precisa se produzir, porque ela é naturalmente elegante, seja pelo hábito, seja pela educação.
O modo de se portar é mais importante que qualquer vestimenta e define seu charme e personalidade.
Não adianta uma mulher "se produzir" se ela não cultiva o hábito de ser naturalmente feminina. Os hábitos, os gestos a educação e a personalidade são determinantes de seu gosto pessoal e denunciam quem a mulher realmente é, não importando sua "produção".
Quer saber? Não basta um belo corpo feminino. Mulher "macho" não dá tesão e ponto final.
Mas sabe o que é pior?
Observações como as que estou fazendo agora, certamente eram feitas também pelas gerações passadas.
O mundo muda, e as referências mudam com ele, assim como os valores de cada referência. É o que forma a personalidade das pessoas..
As minhas referências musicais por exemplo, vieram do pop/rock anos 70, passando por Beatles, Pink Floyd, Queen... Caramba! Passei pela era disco ouvindo os temas românticos do Bee Gees, ví o primeiro moonwalk... referências atrás de referências...
Mas cá entre nós... que referências essas gerações novas estão tendo agora se tratam tudo isso como "lixo velho"? Que referências eles têm de música, de comportamento, de amizades, de relacionamentos, de vida?
A tendência é as meninas se espelharem na Amy Winehouse ou na Paris Hilton e certamente poderão se tornar patricinhas baladeiras alcoólatras agressivas.
E os garotos? Poderão se espelhar no Justin Bieber e... É... pensando bem, é melhor nem imaginar como serão os relacionamentos dos casais do futuro. Se é que terão algum relacionamento pelo andar da carruagem...
Isso me faz lembrar que continuo solteiro. Porém, com minhas experiências e aventuras, hoje não sei dizer até que ponto isso é bom ou ruim.
O que sei é que um homem não pode viver sozinho para sempre: um dia ele morre.
E com ele, tudo o que aprendeu, todas as suas experiências, todos os seus sonhos, todos os seus segredos, todos os momentos que poderia ter compartilhado com alguém... se tivesse encontrado quem realmente merecesse e valorizasse isso como seu orgulho pessoal, como parte de sua vida.
Mas o que é a vida afinal, senão um breve momento na História?