Translate

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Tenho sentido uma depressão muito grande nos últimos tempos, me questionando se o que faço pelas pessoas tem de fato algum valor ou se só serve para encher os bolsos de empresários e ocupar o precioso tempo da minha vida para não construir nada para mim mesmo.
Uma infinidade de saudades para com uma infinidade de coisas, de momentos, de épocas, de coisas divertidas, criativas, inspiradoras... tudo em vão. Passado é passado.
Sinto falta de conversar bem de perto à respeito, com uma pessoa muito especial que não vejo já faz muito tempo como fazíamos no passado, mas isso também é outra saudade em vão.
Pela primeira vez na minha vida, estou me sentindo velho, cansado, irritado por não ter chegado a lugar algum com meu jeito de ser e querendo cada dia mais, me isolar do mundo, das provocações, das mentiras, das mesquinharias da sociedade, do sinismo dos "governos", da ganância dos poderosos, da ignorância dos povos... dos "tijolos no muro", acrescentados um a um, dia após dia, aumentando o obstáculo entre deveres e direitos, entre comércio e arte, entre trabalho e vida, entre a ignorância e a clareza de idéias.
Eu poderia ficar horas falando dessas coisas, mas optei por compilar alguns dos melhores textos deste blog como uma espécie de "índice" para quem está "caindo de paraquedas" aqui nesta página...



O Melhor de Picolo's Blog
"Todos pensam em mudar a humanidade, e ninguém pensa em mudar a si mesmo!"
(Liev Tolstoi)


Eu cansei de ficar martelando "n" vezes nas mesmas teclas, escrevendo praticamente as mesmas coisas, tentar apontar por 8 anos o lado ignorante meu e da humanidade aqui neste blog, mas por alguma razão, as pessoas insistem que devo mante-lo. Mesmo que eu o ache completamente inútil e conseqüentemente, uma enorme perda do meu precioso tempo.
Quero mudar um pouco o tipo de conteúdo do mesmo, mas não adianta fazer isso sem que os leitores que "caiam de paraquedas" aqui, entendam o motivo disso.
Então, resolví separar alguns textos que refletem o slogan de inspiração deste blog: "Mostrando a ignorância da humanidade (incluindo a minha) entre outras coisas."

É muito difícil separar só alguns textos dos 8 anos deste blog e mais difícil ainda elege-los como os "melhores" no meio de tanto material de um blog que nasceu como um outro blog qualquer e que acabou evoluindo, amadurecendo e... Andei escrevendo muita bobagem ao longo desses anos, é verdade  e aprendí com isso, de modo que tento, na medida do possível (entre o sono e a falta de tempo), compartilhar com o mundo um pouco das coisas que penso e observo...

Muitos desabafos, muitas críticas, muitas sugestões (em vão), talvez até alguma pitada de idéias sub-entendidas, mas houveram alguns textos que (pelo menos para mim), têm uma importância acima da média e que temo ficarem "perdidos no tempo" sem que novos leitores dêm a devida importância por simplesmente não se interessarem em ler o que foi escrito antes de 2008 e achar (por ler o começo do blog) que não há mais nada de interessante no meio.
Enfim...

A primeira série de textos desse tipo, chamei de "Relacionamentos" (2007) destina-se a esclarecer o funcionamento das relações humanas de modo a jogar no lixo sem dó tudo, absolutamente tudo o que já se escreveu e se publicou sobre isso em livros e revistas que só serviram para encher os bolsos de certos autores que nunca viveram relacionamentos de verdade, limitando-se a ter por base, relacionamentos de bar, de praia ou de festa (entenda por "festa", qualquer tipo de "festa"... inclusive festas de bordel, bacanal, etc.)

Muito do que já se escreveu sobre relacionamentos entre homens e mulheres (especialmente sobre sexo e amor) é pura balela, especulação, pseudo-ciência ou papo de fofoqueira que ganha a vida escrevendo colunas em jornais e revistas de conteúdo questionável.

Série "Relacionamentos" (2007):
A segunda série de textos, chama-se "Elementos alienantes" (2008) e o objetivo foi literalmente dar um baita tapa na cara dos leitores para que acordem para as constantes doses de hipnose coletiva à que são submetidos diariamente.
Basta observar o público de algum show "popular" desses de "Festa de Peão" e comparar com o de uma grande igreja (seja ela qual fôr)... o comportamento da imensa maioria das pessoas lembra um "exército de zumbís", completamente em transe, sem auto-controle suficiente para observar, pensar, relacionar as coisas que observa e tirar suas próprias conclusões.

Essa série, eu considero a mais importante de todo o meu blog, porque além de dar exemplos claros de alguns desses elementos, ensina a identifica-los e alerta para coisas que já estão incorporadas praticamente como lei de convivência social desde a Idade do Bronze:

Série "Elementos alienantes" (2008):
A terceira série de textos não vejo com tanta importância (aliás, de certa forma, acho uma série até muito boba), mas em vista da curiosidade dos leitores quanto à minha pessoa, e ao sucesso que o experimento de fazer uma espécie de "jogo-da-verdade" comigo mesmo causou, resolví incluí-los

Série "Entrevista comigo mesmo":
E já que estamos falando da minha vida pessoal, é lamentável que ainda hajam pessoas que não só não conseguem compreender os pontos de vista de outras pessoas como mais lamentavelmente ainda, ridicularizam quaisquer pessoas que tenham pontos de vista (e atitudes) diferentes da grande maioria.
Principalmente quando o assunto é companhia do sexo oposto.

Uma vez, eu tentei explicar esses pontos de vista (pelo menos os meus), através de um texto que no mínimo também foi ridicularizado por gente sem visão e que se acha...
Um texto que também considero bastante significativo, questionava o comportamento típico das pessoas conformadas, alienadas... enfim, o "status quo" e convida os leitores à meditação sobre a própria personalidade ou reputação.
Há outros dois textos complementares a este, que mostra na prática como o tal "comportamento pobre" funciona. São eles:
Aliás, há muitos outros textos questionando a mediocridade de pensamento da "grande massa", como...
Quem acompanha esse blog desde o início, certamente deve ter notado uma evolução de maturidade nos textos, bem como uma substancial melhora de qualidade dos mesmos, em especial nos últimos anos.
No começo, eram só "ensaios"... uma espécie de "diário digital" (não tão diário assim).
Hoje tento passar algo mais construtivo e menos pessoal.
No entanto, às vezes ainda sinto falta de desabafar a respeito de um monte de coisas, de modo que acabo escrevendo o que penso e por assim dizer, meio que inserindo um pouco do estilo das orígens deste blog.

Antes de 2008, os textos sequer tinham título. Hoje... têm título, texto introdutório, uma frase de efeito para os leitores meditarem e marcadores para facilitar a busca por citações.
Em outras palavras... ficou mais bonito, mais eficiente, mais elegante... e daí? O que isso muda de fato no final das contas?
Um texto legal, desses sem título escrito em 2006, continha uma espécie de "cartilhinha" para o eleitor. (Já que estamos em ano eleitoral...)
Outro sem título também de 2006... falava de conspirações milenares... aliás falei já muito sobre esse tipo de assunto no meu blog no passado.
Em 2005 teve um texto em que eu dava dicas para os homens que os homens fazem questão de ignorar (e só se estrepam por causa disso).
Em 2004 falava sobre a "descoberta" dos nerds no meio da sociedade e do desequilíbrio na forma como homens e mulheres são condicionados a se comportarem desde crianças aqui no ocidente.

A ignorância do ser humano infelizmente (como "massa"), é imutável... comportamento condicionado de simplesmente dizer "foda-se"ao invés de mover um único neurônio em busca de tentar ser melhorar alguma coisa no mundo ao invés de buscar (e contar) apenas vantagem própria... ostentação, orgulho, vaidade.
Ninguém é perfeito. Eu mesmo vivo dizendo que já fiz (e ainda faço) um monte de besteira na vida, como em 2003, o ano que eu queria que nunca tivesse existido... mas nem por isso deixei de assumir os meus erros e mostrar a ignorância da humanidade (incluindo a minha) entre outras coisas.
Só queria que isso tivesse realmente algum significado no mundo.

Nenhum comentário: