Translate

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Algumas pessoas devem ter morrido de tédio com o último texto.
Outras, mais inteligentes podem até ter ficado um tanto chocadas com a exposição de uma frase de um mau-caráter categorizado em destaque, como se fosse uma frase de algum filósofo, escritor, ou algum provérbio como optei por fazer tradicionalmente após o título dos meus textos nesse blog desde fevereiro de 2007, inspirado no magnífico trabalho "Cosmos", de Carl Sagan, em que cada capítulo é apresentado com uma frase ou citação.
Na verdade, a frase não foi escolhida ao acaso e nem foi objetivo algum apresentar um criminoso como algum tipo de "sábio".
O objetivo foi polemizar mesmo e mostrar que (embora de uma forma um tanto agressiva), existe uma espécie de consciência comum por parte dos homens, de que as mulheres têm sim o seu lado ruim.
Ora... Os fãs deste blog sabem perfeitamente o quanto sou admirador dessas criaturas maravilhosas conhecidas como mulheres, mas também precisam ter em mente que muito já se escreveu sobre o lado maligno das mesmas, como uma espécie de advertência, já que não há na Terra, maldade maior do que a da mulher. E não sou só eu quem estou dizendo. Por trás dessa minha afirmação, temos Nietzsche (que afirmava que ao ir ao encontro com alguma mulher, o homem tinha de levar um chicote), Maquiavel (que dizia que para doma-las, seria necessário feri-las), Schopenhauer, o Alcorão, a Bíblia... enfim... referências universais não faltam.
O texto de hoje acho que pode ser interpretado como uma espécie de continuação do último texto enfatizando o lado ruim dessas criaturas maravilhosas e os motivos pelos quais as observo com cautela e respeito a todo o seu poder.
O assunto de certa forma vem bem a calhar no "Dia dos Namorados", que para mim não passa de só mais um dia comum.



Solitário sim, capacho jamais!

"Prefiro morar com um leão ou um dragão a morar com mulher maldosa."
("Ungido" Filho de Sirach, também conhecido como "Jesus Ben Sirac" em Eclesiástico 25,15, escrito muito provavelmente entre 190 e 180 a.C. Em outras palavras, um trecho da Bíblia. Mais precisamente, um dos sete livros dêutero-canônicos.)


Já faz um bom tempo que tenho repetido a frase "Quer? Vem buscar!" como uma espécie de "grito de guerra" numa referência ao fato de eu ter assumido uma postura solitária deixando de lado qualquer idéia de "caça às mulheres", numa atitude absolutamente contrária à imensa maioria dos homens.
Ora... simplesmente não quero me comparar aos babacas desesperados de plantão, mas também não vou deixar de admira-las por causa disso.
É gostoso elogiar o cabelo, o jeito, as roupas, o perfume... enfim, todos os detalhes agradáveis que percebo no universo feminino.
Vejo isso até como uma necessidade, uma vez que desta forma, tento meio que "guia-las" para o que um homem vê de agradável nelas de modo a incentiva-las a aprimorar sua femininidade, em um tempo em que as mulheres estão perdendo suas referências e se tornando cada dia mais "macho" ao ponto de as duas últimas garotas que eu até tinha algum interesse em conhecer melhor, acabei descobrindo que eram lésbicas antes mesmo de conhece-las. (Se ainda fossem "bi", pelo menos, né?)
Seria cômico se não fosse trágico, mas o fato é que as mulheres estão perdendo o seu lado feminino, lamentavelmente até por conta dos malditos babacas de plantão que babam pra qualquer tipo de criatura que tenha mais de um buraco entre as pernas.
É frustrante!
Mas frustrante mesmo é ser confundido com esse tipo de babaca só por causa dos elogios que faço a elas.
Se tento treinar a arte esquecida do cavalheirismo e acabo sendo confundido com algum babaca desesperado por sexo o azar é delas! Eu não estou nem aí para as que não conseguem distinguir um homem de verdade de um babaca.
Em compensação as que conseguem separar o joio do trigo... ah, essas ganham a minha atenção e o meu carinho (para o ódio alheio).
Se forem carinhosas então... atenção em dobro! E se forem bonitas e eu as achar atraentes... atenção redobrada.
Mas mulher pra mim, tem de merecer o meu carinho, ou do contrário... ignoro friamente como elas o fariam comigo, ou seja... dou o troco na mesma moeda.
É mais ou menos isso o que eu quero dizer cada vez que digo que "sei exatamente o tipo de mulher que eu quero", embora hajam outros fatores que não citei e nem pretendo citar aqui até por uma questão de digamos... "defesa estratégica", já que não se pode dar bobeira com elas...
Tudo na vida tem dois lados: a mesma faca que serve para preparar comida também pode servir para matar, assim como a água da chuva que traz a vida às plantas e animais, também pode afoga-las. E as mulheres não são diferentes.
Da mesma forma que podem ser lindas, atraentes, carinhosas... também podem ser vingativas, interesseiras e terroristas emocionais... e é assim que elas dominam o mundo: os homens bobões correm atrás delas e elas sentem um prazer sádico de repudia-los.
Elas dominam com incrível habilidade o hábito de atiçar o instinto protetor masculino, fingindo-se de frágeis ou entristecidas, sempre com o tradicional jogo de testar os homens para ver se correm atrás ou não... elas adoram testa-los constantemente para ver como reagem, avaliando como, quando e de que forma eles necessitam delas emocionalmente.
A descrição "lobo em pele de cordeiro" muitas vezes pode até se encaixar bem para descrever esse comportamento, mas eu optaria por algo mais contrastante, já que elas podem ser tanto diabas disfarçadas de deusas, ou deusas disfarçadas de diabas, independente se são putas ou santas... ou ambas, dependendo do momento (puxa... eu adoro esse último tipo!).
Para mim a mulher ideal tem de saber manter um equilíbrio entre essas duas personalidades sem ser tão "fingidas" como elas têm se aprimorado há milênios. Logo, mulher "fingida" pra mim, "perde pontos" no meu conceito.
Já uma mulher confiável é raríssima, porque elas vivem em contradição com sigo mesmas, cheias de desejos conflitantes e indecisões.
Nunca sabem se estão ou não sentindo fome ou o que querem comer, da mesma forma que nunca sabem se estão ou não realmente satisfeitas com suas relações, sempre avaliando outras possibilidades de conquista... enfim, são "predadoras" natas que podem se dar ao luxo de se fingir de conquistadas quando na verdade, dominam a relação.
Por elas serem seres tão perigosas, inconstantes e imprecisas, digo que tenho motivos de sobra para crer que se uma mulher realmente quer um homem, ela precisa abrir o jogo e tomar a iniciativa.
Penso que é a única forma de confiar ao menos nesse desejo por parte dela... ainda que seja apenas um desejo "de fase".
Um desejo que de repente pode ter grandes chances de se tornar "permanente". (Quase que publico por quê!)
Mas a gente não escolhe essas coisas.
Da minha parte, o que posso é escolher respeita-las pelo que elas são: tão perigosas quanto atraentes.
Aos homens, tomem muito cuidado com elas. Eu sei que não é fácil, mas pelo menos tentem.
Às mulheres... procurem ser mais femininas, compreensivas e principalmente sinceras, "usando" menos os homens. Isso é muito mais atraente aos homens de bom senso do que imaginam.

Nenhum comentário: