Translate

sexta-feira, 27 de abril de 2007

A cada oito anos, o planeta Vênus completa uma trajetória no zodíaco em forma de uma estrela de cinco pontas.
Os antigos observadores do céu (astrônomos, astrólogos, cientistas ou magos), associavam essa perfeição à mulher, à Natureza criadora, à harmonia do Universo, à beleza, enfim... e a estrela de cinco pontas acabou por virar um importantíssimo símbolo para várias religiões antigas.
Posteriormente (após Constantino ter reunido o Primeiro Concílio de Nicéia em 325 D.C.), esse símbolo (entre muitas outras coisas, como a Ciência , principalmente) passou a ser perseguido ignorantemente como "símbolo demoníaco" por exatos 1682 anos (ou seja, até hoje).
O texto a seguir não fala de assuntos polêmicos como religião, política... nada disso. É mais um desabafo de alguém que em outros tempos talvez fosse perseguido e queimado vivo numa fogueira.



Um nerd e o Pentagrama de Vênus

"O Homem torna-se velho muito rápido e sábio tarde demais."
(Provérbio chinês)


Depois de todos estes anos, me sinto como se estivesse novamente no mesmo ponto de partida, como se a história estivesse se repetindo...
Mesmo canto, mesmo quarto, mesmo computador de há exatos 8 anos atrás que aposentei já faz bem uns 5 (porque o meu computador de trabalho/estudo "fritou" graças a uma fonte de força com algum componente em curto), carro velho, e principalmente me sentindo mais do que nunca como se fosse algum tipo de ser de outra dimensão perdido sozinho num mundo cada vez mais egoísta, irracional e que tende a nos contaminar com isso por causa de um simples motivo: instinto de sobrevivência.
Eu estava escrevendo textos para pôr aqui nesse blog quando o meu outro computador pifou... Textos sobre a história da música que nem sei se conseguirei acessar (pois ainda não testei o HD do computador "frito")...
E era bastante texto... coisas que me fizeram lembrar de tanta coisa, "viajar" no tempo através das minhas lembranças.
Acho que esses dias sem computador, com essas lembranças em minha mente, com o tipo de música que tenho ouvido... me fizeram concluir que o meu mal, é que eu não passo de um romântico incurável. Por isso me sinto sempre tão solitário. Por isso me sinto sempre como se todas as pessoas (ou pelo menos quase todas) usassem algum tipo de máscara, todas mostrando ao mundo só o que querem que o mundo perceba sobre elas.
Fala-se muito em sinceridade, em carinho, namoro... tudo superficial.
Não tive muitas namoradas em minha vida. Mas posso dizer que fui sincero com elas, mesmo que muitas vezes incompreendido por também estar condicionado (contra a minha vontade e fora do alcance da minha percepção) a ser como todo mundo, ou seja, superficial... para ser "sociável".
Não raramente, me pego caminhando solitário como que "buscando" a solidão, "fugindo" das rodas de conversas, não por estar indiferente, mas por me sentir "vazio", sem conteúdo social algum que possa interessar à imensa maioria das pessoas somado ao medo de ser mal-interpretado com o meu humor sarcástico, apimentado, às vezes fazendo referências a filmes, músicas, citações, gente famosa... Tenho medo de parecer mais idiota do que já sou e acabo preferindo olhar para as estrelas ou para o chão, como faço desde criança.
Acho que é isso, que é esse tipo de solidão que faz de mim um nerd assumido. E lá no fundo, penso que é um dos fatores principais que fazem qualquer nerd.
E o pior: essa "busca" pela solidão por parte de nós nerds, não é uma opção. É uma reação de cansaço. Não cansaço físico, mas cansaço de mesmisse, de buscar compreenção, e talvez até de busca por carinho.
Talvez por isso mesmo não seja raro um nerd virar heremita ou hermitão. Muito menos raro se suicidarem.
Se por um lado temos fama de sermos grandes observadores do mundo, grandes artistas, inventores ou profissionais (nem sempre reconhecidos, é verdade), por outro também temos fama pelos nossos imensos fracassos sociais, pelo excentrismo, pela "esquisitisse". (Einstein que o diga.)
Quando me perguntam sobre minha namorada e digo que não tenho, torna-se muitas vezes difícil explicar os motivos (como se fosse algum tipo de crime viver sozinho).
Eu admiro muito as mulheres... principalmente as mais bonitas e atraentes, mas o que mais chamam a minha atenção nelas, muitas vezes é o sorriso, o modo de olhar, de se comportar, de andar, de falar... Penso que estas são mulheres do tipo que poderiam escolher o homem que quisessem... se quisessem, mas geralmente escolhem cada babaca...
Faço questão de cultivar o meu lado voyeur do dia-a-dia de tal modo que elas nem fazem idéia de quanto as admiro. Mas hoje, sou incapaz de mover um único músculo para investir nelas sem ter certeza de que valeria a pena, tamanhas as decepções que já tomei na vida por causa delas. Incluindo as que dispensei e até aquela que me arrependo de ter dispensado.
É difícil para alguém como eu, optar pela solidão como tenho feito. Tão difícil quanto explicar os motivos.
Prefiro dizer apenas que prefiro deixar as coisas acontecerem por si, naturalmente.
Posso não ser um fracassado, mas me encontrar no mesmo lugar, do mesmo jeito, no mesmo ponto de partida me abre grandes dúvidas sobre isso e sobre o caminho que talvez eu venha a trilhar no futuro. Se houver algum futuro para alguém tão vazio. Será?
Seja como for, isso tem um "ar" de "dejavu"... Seria um novo ciclo no Tempo que se reinicia?
Se fôr, espero não cometer os mesmos erros... e se o fizer, que não sejam tão graves quanto da última vez.
As conseqüências (pelo menos para mim), foram demasiadamente desastrosas.

Nenhum comentário: