Translate

domingo, 27 de agosto de 2006

Após um longo tempo de silêncio, finalmente arranjo um tempinho para postar aqui no Picolo's Blog.
Muito estudo e muita correria resultando em 3 horas de sono por noite e finais de semana corroídos, mas com o caos, coisas incomuns costumam acontecer...
E neste mês, em que completei 21 anos de computação gráfica e tecnologias de imagem digital, estou prestes a encerrar minhas atividades no setor, deixando para trás uma infinidade de experiência em nome da busca de uma nova carreira, agora no mundo da tecnologia de informação.

Agradeço aos amigos pela força, aos fornecedores pela parceria e aos clientes pela preferência.

Digo isso porque recebi um convite para fazer parte da maior e mais respeitada empresa de tecnologia de informação do mundo!!!
A proposta inicial me pareceu bastante condizente com o cargo e eu aceitei, apesar de estar com aquele baita frio na barriga por não saber ainda que tipo de encrenca estou para encarar... Mas penso que eu não deveria me preocupar, embora isso faça parte... Além disso, naturalmente passarei ainda por uma fase de treinamento e os motivos que levaram a IBM a me convidar para este cargo, certamente devem incluir um bom grau de certeza de que eu possa desempenhar a função sem problemas.
Pois é... eu não deveria me preocupar, mas me preocupo, pois trata-se de uma realidade muito diferente da realidade que eu vivi na computação gráfica por 21 anos. Mas se eu não "entrar na piscina, nunca vou saber a temperatura da água". Além disso, já penso em conhecer mais sobre a corporação, sobre outros setores dela... enfim. Eu soube que tem até uma academia por lá! (Em prol do combate ao sedentarismo...)
Bom... eu não sei como é trabalhar por lá, mas o pão de queijo é muito bom, assim como o capuccino que eu tomei nesta terça-feira por lá, enquanto conversava com uns amigos que trabalham lá (e que têm o dom de fazerem com que eu me sentisse à vontade por lá) além de uns colegas de curso. (OK... tanto o café quanto o pão de queijo lá são caros, mas que são bons, são.)
Ao ir embora, comentei com um colega do curso que estou fazendo que estranhamente eu me sentia em casa, embora um pouco "perdido".
Coincidência ou não, o vermelho da camisa que resolvi estrear no dia, combinava perfeitamente com as paredes do banheiro do refeitório. (Não é de assustar?)

Nenhum comentário: