Translate

terça-feira, 18 de julho de 2006

Pedras... 3 no rim esquerdo e 1 que desceu para a minha bexiga quinta-feira passada.
Cara... isso dói. (Eu não imaginava que a minha "ex" pudesse me odiar tanto para me jogar uma praga dessas...)
A "pedrinha" que desceu tem 0,5cm de diâmetro... mas foi o suficiente para me fazer parar no hospital.
Para quem não sabe como é essa dor, é semelhante a ter os testículos espremidos e remexidos... só que essa dor vem de dentro, de onde não há o que fazer para tentar diminuir a dor.
Felizmente ela pára um tempo depois de o cálculo passar pelo uréter... um longo tempo.
O ruim mesmo é saber que ainda tenho mais 3 esperando para me surpreender onde quer que eu esteja.
Bom, por hora estou aqui tomando um chá de "quebra-pedra" com folhas de abacateiro e cabelo de milho enquanto espero pelos resultados de um exame... já que o meu urologista sádico nem tocou no assunto "litotripsia por ultra-som" (um moderno tratamento não-incisivo que transforma essas pedras em areia).
Sabe... já ouvi de tudo sobre tratamentos, chás, causas, conseqüências, etc.
O fato é que há gente que trabalha com essas coisas, como o meu urologista. Gente especializada que se dedica profissionalmente a isso. Mas infelizmente também podemos farejar os palpiteiros, e os oportunistas de toda espécie nessas horas.
É muito triste que as pessoas tenham de fazer desse tipo de coisa, apelar para a falsidade, para as segundas intenções...
O mundo seria um lugar melhor para se viver, se pudéssemos confiar uns nos outros, se não houvesse a busca pela exploração muitas vezes até por questão de sobrevivência.
É lamentável que tenhamos de enfrentar esse tipo de comportamento todos os dias e quanto mais tentamos fugir disso, mais tentam nos envolver nisso. É como areia movediça: quanto mais tentamos sair, mais afundamos.
Se por outro lado, ficar quietinho na areia movediça ajuda a afundar menos, por outro alguma coisa precisa ser feita para sair da areia.
Alguma vez você já sentiu vontade de não sair da cama ao acordar?
Acho que esse "desânimo matutino" não nos foi dado de presente pela Natureza à toa.
Talvez seja uma forma de nos avisar de algo, ou nos preparar para algo dia após dia, como um momento para dar atenção especial a alguma coisa. Talvez algo como "o que fazer" para sair da areia, ou coisa parecida.
Ou ainda nos avisar de que alguma coisa estamos fazendo de errado na vida para não querer sair da cama...
Talvez o "desânimo matutino" seja para nos mostrar o inferno que estamos fazendo da Terra, do mundo em que vivemos e para nos fazer sentir vergonha disso, nem que seja apenas por alguns momentos em que preferiríamos estar num sonho bom, do que tendo de dizer "sim mestre" ao nosso amo e senhor, o relógio.
Escravos é o que somos.
Sem perceber, é exatamente como agimos e como nos conformamos em ser.
Não precisamos de verdade ser hipócritas, mentirosos, atores, fingidos, etc. para verdermos mais ou melhor o nosso peixe para podermos comprar o pão nosso de cada dia.
Não precisamos de verdade passar por cima dos valores que nos são ensinados desde a infância, para satisfazer a sociedade à nossa volta.
Já cansei de fazer a minha parte e não mudar nada com isso. Cansei de ficar me mexendo na areia e não dá para ficar parado afundando.
Mas a parte realmente difícil é encontrar a solução sozinho. (Se houver solução.)

Nenhum comentário: