Translate

quarta-feira, 5 de julho de 2006

E eu que pensava que com o Brasil fora da copa, o assunto dos telejornais finalmente seria notícia...
Gente... as eleições estão chegando! Eu já escolhi o meu candidato à presidência e olha que a mídia praticamente nem falou nele este ano! Preferem falar apenas dos piores... justamente os já mais conhecidos, cheios de rabos presos com empresários, bandidos, latifundiários e capitães hereditários... enfim, os "amigos do rei" sempre são os que levam a fama... afinal, eles são indiretamente os donos dos sistemas de mídia de massa e ainda têm O NOSSO DINHEIRO para gastar em medidas claramente eleitoreiras como os bolsa-família da vida, que embora ajuda na sobrevida dos pra-lá-de-miseráveis (tenho de reconhecer esse lado), serve apenas para viciar os menos instruídos de que aquilo, é "o peixe", não "a vara de pescar".
Já viu aqueles shows em que se dá peixe para uma foca e ela faz o que o treinador quer? Mesma coisa.
Embora eu não simpatize com o partido do candidato que escolhi, não posso esquecer que no Brasil, não se pode votar em legendas, pois elas não dizem absolutamente nada. Partido no Brasil é individual, companheiros. Depende das circunstâncias, dos interesses, do momento...
Para isso, resolvi fazer uma "cartilhinha" para escolher bons candidatos para eleições, independente de partido. São regras simples que eu prometi a mim mesmo seguir desde a primeira vez em que participei de uma eleição, porque eu não queria me arrepender de nenhum dos meus votos, como nunca me arrependi.


Dez Regras para ser um eleitor que não se arrepende (por Claudio H. Picolo)

1 - Esqueça as pesquisas eleitorais divulgadas pela imprensa.
A imprensa é deles e os números também. QUALQUER número divulgado na mídia pode, deve, precisa ser verificado cuidadosamente e mais: desconfie de todos eles. Não acredite em absolutamente nada.
O mesmo vale para e-mails tendenciosos: já recebi e-mails com números maravilhosos referentes ao governo de um candidato e péssimos referentes a outro e também e-mails semelhantes "invertendo" os valores desses mesmos candidatos. Em outras palavras: ambos têm números lindos e números horríveis para mostrar. Verdadeiros, ou não.
Os únicos números em que você pode confiar com certeza, são os que você consegue em seu orçamento doméstico e acompanhando as variações de preços nas etiquetas dos produtos nos supermercados. Só.

2 - Não escolha candidato porque acha que ele vai ganhar.
Eleição não é loteria! E os candidatos não são todos iguais.
É bem verdade que estamos todos indignados, sempre tão certos de que após as eleições continuará tudo a mesma mer... e que nada irá mudar... mas cá entre nós: Copa do mundo é diferente?

3 - Não escolha um candidato ruim que esteja em segundo ou terceiro lugar nas pesquisas para tentar com isso "derrotar" um candidato possivelmente pior.
Eu já falei: esqueça as estatísticas! Onde está o seu poder de opinião?
Se seu candidato nem chegar ao segundo turno, então que se dane! Pelo menos você não se arrependerá depois, ô laranja!

4 - Se fôr votar nulo, vote conscientemente.
É preferível um voto nulo do que um voto em que você pode se arrepender depois. Além disso, o voto nulo É UM DIREITO!
Se para o sistema é um "erro da urna eletrônica", para a legislação é um voto válido.
Um número suficientemente grande de votos nulos pode inclusive anular uma eleição inteira e forçar uma outra eleição com OUTROS candidatos!

5 - Isso é importantíssimo: Se seu candidato não chegar no segundo turno, evite a todo custo entre os que sobraram.
Seja fiel à sua escolha, a menos que tenha um motivo muitíssimo sério para mudar de idéia. (Vide regra 4.)

6 - Procure escolher candidatos que não tenham medo de participar de debates e que apresentem propostas construtivas ao invés de paliativas, ou seja, medidas que não resolvem problemas e pior: os disfarça.
Propostas como criação de instituições ou programas em que o governo dá alguma coisa para o povo são exemplos de medidas paliativas, eleitoreiras, caras e o dinheiro sai do seu bolso.
Entre os exemplos de propostas construtivas, estão investimento pesado em educação, ciência e tecnologia, redução de impostos, aumento de fiscalização sobre o sistema legislativo e judiciário com punição realmente proporcional às já tradicionais falcatruas, sem direito a pizza.

7 - Não tenha medo nem vergonha, nem preguiça de escolher seus candidatos.
Veja debates, apresentações... observe os candidatos e veja o que eles pretendem. Procure ler nas entrelinhas... especule bastante.
Observe também quem os apóia, quem está ligado ou não a eles... podem ser os "verdadeiros" candidatos que você pode estar elegendo sem perceber... as "forças invisíveis", as mãos por trás dos fantoches.

8 - Cuidado com as opiniões dos outros.
Faça A SUA escolha. Você não tem obrigação alguma de fazer a mesma escolha das pessoas à sua volta. Dane-se o que eles pensam se você fez uma escolha que não "bate" com a deles. Use e abuse do seu direito de voto secreto e boa!

9 - Não deixe para escolher em cima da hora.
Na véspera das eleições, infelizmente OS ÚNICOS candidatos que aparecem são os que estão no topo das pesquisas. E geralmente você pode encontrar propostas muito boas entre os "lanterninhas". Não os subjulgue.

10 - Procure anotar os prós e os contras de seus candidatos antes e depois das eleições.
Aproveite que quase sempre eles são sempre os mesmos. Claro! São profissionais nisso e pensam que todo eleitor tem memória curta.
Pensam... Mas nem todo eleitor é assim. E sua única arma contra os maus candidatos é o seu voto. Use-a, mesmo não acreditando nela. Pelo menos não se arrependa de te-la usado de maneira inapropriada.
Se você errar... bom... acidentes com armas acontecem.

É bem verdade que com essas regras, eu elegí muito poucos candidatos e os poucos que elegí pouco puderam fazer, como formigas solitárias numa imensa colméia de vespas. Mas e daí? Nunca me arrependí de um único voto em toda a minha vida.
E os candidatos que se elegeram sem o meu voto... só fizeram sacanear seus eleitores vergonhosamente.

E aí? Você quer ser sacaneado(a) de novo?
Quando fôr votar, lembre-se de que o nariz de palhaço está na ponta dos seus dedos.

Outra coisa: Esteja à vontade para divulgar esta cartilhinha. É um favor que você faz a você e ao seu país.

Obrigado.

Nenhum comentário: