Translate

quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Se você telefona para alguém e as palavras não saem, talvez seja necessário ir pessoalmente!
Não tenha medo de encontrar uma pessoa querida que já não vê a tempos, ou de simplesmente falar com essa pessoa, ainda que seja por telefone.
Talvez a pessoa do outro lado deseje exatamente isso. Talvez esteja com saudades e não saiba mais como falar com você, ou talvez desconheça as circunstâncias que te cercam atualmente... Já pensou nisso?
É claro que nós sempre esperamos pelo pior, pois estamos condicionados a isso, mas... o mundo precisa desse tipo de "quebra de regras"... enfim.
Falo, falo... mas eu mesmo confesso ser incapaz desse tipo de atitude...
Esses dias recebi um telefonema... Fiquei falando "alô" sei lá quantas vezes esperando alguma resposta, mas... minha intuição me dizia que eu não teria mesmo uma resposta, como se eu soubesse quem era do outro lado.
Não quero falar sobre isso... é pessoal. Me limito a dizer aqui que é uma pessoa a quem eu desejo tudo de bom e que se estiver lendo esse texto, deixo um recado: não tenha medo de mim. Abra o jogo, se solte, desabafe. Pois se guardar para si o que queria dizer, pode estar jogando fora uma oportunidade muito importante.
2006 vem aí e tem tudo para ser um ano de grandes mudanças.
É uma boa hora para refletir sobre o passado, reorganizar nossas idéias, nossas lembranças... jogar fora as besteiras que fizemos no passado, ficar só com as coisas boas que fizemos e usar isso a nosso favor.
Tradicionalmente, o começo de um novo ano, marca o início de um novo ciclo, independente do antigo.
Aproveite o momento para consertar tudo o que puder, pedir desculpas se necessário, chorar, gritar, abraçar quem você ama, beijar...
Deixe as broncas de lado, as raivas, as picuinhas, os erros... Busque o que realmente importa... agarre-se a isso e comece uma vida nova com o ano novo.
Faça a coisa certa! Faça o que é lógico... e se sentir que o que sente que é certo apesar da lógica, arrisque!
A vida só se vive uma vez. Dê a si, motivos para comemora-la. Motivos para abrir um enorme sorriso e se sentir vivo(a).
A todos... Feliz Ano Novo! Feliz Vida Nova!

sábado, 24 de dezembro de 2005

Eu costumo ser meio estúpido quando fico irritado...
Cheguei em casa, tomei um banho, falei com minha mãe ao telefone, e tentei quebrar umas castanhas-do-pará com um quebra-nozes... Já que o quebra-nozes não quebrava castanhas, o sangue subiu... lá fui eu pegar um "discreto" alicate de pressão que o meu avô deve ter comprado lá pela década de 50 e que me lembro que era capaz de amassar elos de correntes, entre outras coisas... enfim, quebrei as tais castanhas... Agora, mais relaxado, posso escrever um pouco neste que provavelmente será o último post de 2005.
Como todos os anos, tento terminar o ano sem dever nada pra ninguém, mas graças ao "sistema" isso é impossível... os planos para começar 2006 já começam com pagamento de contas... IPVA e Seguro Obrigatório: dinheiro jogado no lixo... aliás, usado contra mim mesmo, aplicado na instalação de radares e cemáforos com foto que só servem mesmo é para roubar mais dos meus esforços.
Se o dinheiro que os brasileiros gastam anualmente com IPVA e Seguro Obrigatório fossem gastos por exemplo na compra de tapetes, teríamos todos os acostamentos das estradas brasileiras cobertos de tapetes vermelhos em apenas um ano. (Note que não fiz os cálculos para afirmar isso... deixo esse desafio aos meus amigos matemáticos de plantão.)
2005 não foi o melhor ano da minha vida, nem mudei grande coisa na minha vida, o que me deixa naturalmente bastante frustrado.
Mas comecei as mudanças, o que já considero uma pequena vitória.
Com os cursos que comecei a fazer, voltei a freqüentar o seleto "circo" da alta-tecnologia. Eu uma das palestras que fui valeu ver a cara de surpresa de um sujeito que já não me via nessas palestras a pelo menos uns 8 anos... Ha-ha-ha!!! Parecia ter visto um fantasma!
Não tenho expectativas para 2006. Poucas são as certezas sobre coisas que estão por vir... Cansei de fazer planos para ve-los frustrados. Cansei de acreditar em milagres... enfim, cansei.
A idade está começando a pesar e a cada dia que passa, me sinto mais "Highlander", contando histórias, dando conselhos... É... estou ficando velho. É a única certeza que tenho.
Se eu juntar todas as grandes conquistas que consegui em 2005, chegarei à conclusão de que não conquistei praticamente nada pra mim. No máximo, ajudei algumas pessoas a conseguirem suas conquistas. Essas sim, alcançaram grandes feitos. Pelo menos uma, eu posso dizer que realmente mudou de vida... Vida aliás, que consegui salvar, embora isso tenha incluído experiências um tanto constrangedoras... felizmente é passado.
Alguns amigos continuam me dizendo que eu preciso de uma namorada e eu até acho que eles têm razão, mas não posso sair por aí "à caça" assim "de bobeira". Preciso ser exigente... aliás, mais exigente do que nunca, uma vez que com a idade, o perigo de essa próxima ser "a definitiva" aumenta consideravelmente. Mas confesso que as perspectivas nesse sentido não são nem um pouco animadoras.
Digamos que mulheres "do meu tipo" estão extremamente escassas no "mercado". (Quase 3 anos depois, ainda acho que mandei embora a última da espécie.) E sinceramente, não sou do tipo propenso a se meter em "aventuras"... Sempre me dei mal nessas coisas.
Além disso tem outros fatores: Estou numa fase de início de mudanças nos rumos da minha vida e não sei no que isso vai dar.
Tenho um pouco de medo de tudo ir para o buraco com uma simples bobeira da minha parte... e pior ainda: de arrastar alguém comigo para o buraco.
Tenho gradualmente mudado de visual, buscando um estilo que impôe mais respeito, tento abandonar o meu lado "moleque" com um certo pesar, mas as mudanças têm um preço... muito alto, aliás.
2005 para mim caracteriza-se por isso: pela primeira vez em muitos anos consigo sentir alguma pequena mudança. Nada radical como eu gostaria, mas firme... embora eu ainda não saiba no que isso vai dar, como já disse.
Ah! Eu odeio essa época... só existem incertezas!
É uma época falsa, recheada de beijos e abraços falsos, festas de aparência, filmes cheios de histórias bonitas que estão longe de corresponderem às realidades da vida...
Não existem contos de fadas, não existem finais felizes, não existem milagres.
Só existe mentira, frustrações, opressão... não adianta tapar o sol com uma peneira, nem tentar disfarçar o mundo sob máscaras como promessas de governantes ou palavras de algum líder religioso.
As verdades que ninguém tem coragem de falar nessa época, é que a vida é uma guerra constante para tentar sobreviver e as pessoas passarão toda a sua vida tentando te passar para trás o tempo todo... mentindo, enganando, arquitetando meios para tirar vantagem...
Passei a minha vida acreditando em finais felizes, em milagres, em Deus... essas coisas.
Em 2005, com quase toda a minha vida jogada no lixo, me toquei disso tudo e tudo isso acabou para mim. E as mudanças estão finalmente começando.
Tarde demais.

terça-feira, 13 de dezembro de 2005

Notícias rapidinhas...
(Porque estou sem inspiração para escrever hoje.)

Economia:
Segundo o Banco Mundial (BIRD), o Brasil é um dos piores países do mundo para se investir em novos empreendimentos, ocupando o 119o. lugar dos 155 países pesquisados. A culpa disso (volto a repetir aqui nesse blog) é a carga tributária, considerada A MAIOR DO MUNDO.
Ainda segundo o Banco Mundial, uma empresa no Brasil consome em média 2600 horas por ano única e simplesmente para pagar impostos. O Segundo lugar fica com a Ucrânia, onde as empresas consomem em média 2185 horas por ano para pagar impostos. Cameroon (república que graças ao Galvão Bueno ou sei lá que outro comentarista de futebol influente é chamada aqui do Brasil de "camarões" pela mídia), ficou num distante terceiro lugar (1300 horas/ano).

Internacional:
Em um congresso em Hong Kong da OMC (Organização Mundial do Comércio) cuja sede fica na Suíça, pra variar (já falei bastante sobre quem manda no mundo ocidental em outros posts, né?), fala-se muito para se chegar ao óbvio: a corda sempre arrebenta do lado mais fraco.
É claro que os países pobres vão sair perdendo e os ricos continuarão fazendo o que bem entenderem com toda a arrogância e imbecilidade que o poder lhes concede, deixando transparecer mais um brilhante exemplo de que o regime capitalista mundial como conhecemos só serve para criar rivalidades ao invés de união.
Mais uma vez digo que o mundo precisa de um novo regime em que as distâncias sociais não sejam tão grandes e os diversos segmentos da sociedade tenham o seu devido valor como partes de um todo ao invés de serem tratados como forças individuais concorrentes... Nah! Deixa pra lá!

Astrologia:
Em alguns jornais famosos, o último jornalista a entregar a matéria para o fechamento da edição é encarregado de redigir o texto do horóscopo do dia.
E vocês querem que eu acredite em horóscopo?
Ah! Qualé!!!

Moda:
A moda está gerando uma catástrofe de proporções monumentais: milhares de jovens mulheres que hoje usam roupas de "cintura baixa" e calçados que as forçam a manter as pontas dos pés levantados se tornarão mulheres com pneuzinhos extras e pés deformados no futuro.
A moda deforma fisicamente MESMO!
Alguém aí já notou que as jovens de hoje não têm mais nem cintura nem bunda???
Quadril e cintura virou tudo uma coisa só! Um horror!

E querem que eu mantenha o bom humor? É ruim, hein!?