Translate

sexta-feira, 25 de novembro de 2005

Sem dúvida, os valores da sociedade são altamente mutáveis. Mas com o tempo, muitas coisas boas vão se perdendo enquanto muitas coisas ruins têm se criado. Isso é uma tendência natural do ser humano, cuja capacidade de avaliar conseqüencias é limitada, embora o orgulho não seja.
Aparentemente, as mulheres costumam ter atitudes mais inteligentes nesse sentido, embora seus conhecidos costumes consumistas denunciem seu outro lado...
Mulheres são seres maravilhosos... podem ser tão hipnoticamente encantadores quanto destruidores maliciosos.
Seus hábitos e reações, sempre são uma imensa incógnita para o sexo oposto, o que pode ser tanto apaixonante quanto intimidante.
Mas certas coisas observáveis denunciam ainda que subjetivamente que tipo de mulher ela é.
O simples modo de sorrir, de olhar, de caminhar muitas vezes define o jeito de uma mulher, tornando-a atraente, ou não.
Ontem observei uma mulher que considero muito linda... Eu já a tinha visto uma vez e mesmo trocado umas poucas palavras eu já pude facilmente observar sua excelente educação e simpatia e passei a admira-la, embora talvez ela não saiba (mesmo tendo piscado para mim... acho, ou se admirado digamos... com a minha forma metódica de tentar resolver problemas).
Se não estivéssemos numa situação tão eticamente rígida, certamente a convidaria para jantar... (se ela não for comprometida, claro). Eu adoraria saber mais sobre ela, conhece-la melhor. Mas pelo pouco que tenho observado, muito poucas mulheres que conheço e/ou tenho observado têm tanta classe, estilo, jeito... Puxa! Espero poder ve-la mais vezes! É difícil defini-la.
Adoro mulheres... esse é o meu mal. A maioria das mulheres que observo, parecem-me tão "desequilibradas", ou "sem jeito"... é como se sempre estivessem tentando esconder alguma coisa, mas ela... não parece ter problemas com isso.
Mas como sou azarado... ela não pôde ficar por lá muito tempo. Nem conversamos. Certamente ela tinha seus compromissos e eu não passo de uma "sombra" na multidão... Ao menos na aparência. Pela ética, é preciso manter isso nesse momento.
O futuro é incerto, mas tenho uma estranha sensação de que a verei de novo. Quem sabe?
Essa semana fiquei pensando nas palavras de Frank Miller sobre raras mulheres hoje saberem de fato, caminhar usando sapatos de salto alto, classificando isso como "uma arte quase perdida".
De fato, a maioria das mulheres que os usa, apenas os usa. Conseguem andar com eles até que muito naturalmente, mas muito poucas conseguem usa-los para caminhar com elegância.
Meu texto de hoje é uma homenagem a essas raras mulheres elegantes, educadas... mulheres que encantam sem precisar esforço, ou produções especiais. Às mulheres inteligentes, observadoras, charmosas.
Mulheres existem aos montes. Mas essas, são especiais. E estão cada dia mais raras.
Um grande beijo a todas.

Ah... à essa mulher que piscou para mim (se ler este texto), uma piscadinha também... ao menos por enquanto. ;-)

Nenhum comentário: