Translate

sexta-feira, 26 de agosto de 2005

Começo o meu post de hoje, peço desculpas aos frequentadores assíduos deste blog, por eu não ter escrito com a freqüencia costumeira.
O motivo é que estou "apanhando" num curso para me instruir quanto à operação de mainframes, bem como sistemas de processamento centralizado de alta disponibilidade, entre outras coisas.
Sei que para algumas pessoas isso pode parecer estranho, principalmente pelo fato de os mainframes serem uma modalidade de computadores inventada pela IBM a mais de 40 anos e até a pouco tempo atrás eram considerados obsoletos.
Pois bem... os "dinossauros" da informática estão ressuscitando e com força total (e com nomes bem sugestivos como T-Rex) , apesar das dificuldades de aprendizagem de operação dos mesmos, e o motivo desse retorno é muito simples: a revolução da microinformática, evoluiu para uma mistura de torre de babel com bola de neve por uma série de motivos que acabam por fazer dos microcomputadores, soluções muitas vezes pouco confiáveis mais parecidas com videocassettes (que enroscam as fitas de vez em quando) do que com ferramentas de trabalho.
A verdade é que com a "popularização descontrolada" da microinformática, os computadores pessoais que antes eram ferramentas de estudo e diversão para nerds passou a ser um PRODUTO DE CONSUMO ASSUMIDO para a grande massa. Então, quando buscamos alguma solução séria, profissional e confiável, na imensa maioria das vezes, terminamos esbarrando na necessidade quase que absoluta de uso de um certo "sistema operacional", porque "o mundo todo só fala essa linguagem", apesar dos pesares.
Outro dia mesmo, eu estava visitando o consultório endo-odontológico de um amigo meu, cujas tecnologias são pioneiras na América Latina e lá estava ele dizendo que infelizmente o sistema operacional que ele estava usando era "uma mer..." mas que ele "não tem escolha", pois TODOS os softwares de controle dos sistemas e aparelhos dele SÓ RODAM nesse sistema.
Grandes corporações, instituições militares e governamentais, entre outras que necessitam de sistemas altamente confiáveis e que não podem se dar ao luxo de "trombarem" com dificuldades geradas por vírus, spywares, adwares e principalmente por usos indevidos dos usuários, têm optado por voltarem seus olhos para velhas soluções, aparentemente mais simples, porém eficientes.
Além disso, existem "zilhares" de softwares escritos "no tempo do onça" com seus respectivos bancos de dados ainda em uso e cujos donos desse investimento todo não irão redesenvolver tudo do zero feito um usuário que formata o HD para reinstalar tudo atualizado... ou seja, o efeito "torre de babel" continua existindo, infelizmente. Mas ao menos a bola de neve está sob controle... ao menos por enquanto.
Pessoalmente penso que pelo que tenho observado ao longo de todos esses anos de experiência com computadores, creio que os caminhos e arquiteturas da informática deveriam ser repensados cuidadosamente, pois nem os microcomputadores estão confiáveis e eficientes como deveriam, num total disperdício de recursos em nome do consumo de massa, nem os computadores de grande porte e alta confiabilidade estão tão simples de usar como o HAL9000 do filme "2001 - Uma Odisséia no Espaço", ou amigáveis como o LCARS da série "Jornada Nas Estrelas - Nova Geração".
Aparentemente a modalidade de computadores que mais está se acertando é representada pelos portáteis, em especial os embutidos em telefones celulares, mas como estão são produtos de consumo... eu não apostaria minhas fichas tão cedo.
Os mainframes de hoje são máquinas modernas, rápidas e confiáveis, mas opera-las definitivamente não é fácil, nem mesmo para pessoal experiente com computadores. E os termos técnicos usados são um oceano de siglas de significado obscuro, o que dificulta imensamente qualquer treinamento.
De qualquer forma, a sensação que fica é a humanidade aos poucos finalmente está percebendo que soluções baseadas no marketing estão cada vez mais se mostrando menos eficientes na prática, ou seja, não basta ser bonito, moderno, etc. e tals... tem de funcionar na prática. E bem.
Penso que talvez não tenhamos percebido essas coisas a tempo e que talvez em uns 10 anos, sofreremos um verdadeiro colapso nos sistemas de informação se nada for feito e quem tiver consciência disso hoje, pode se dar bem amanhã.
Quem sabe?

quarta-feira, 17 de agosto de 2005

Prosseguindo com a minha série de previsões apocalípticas...
Esses governos "responsáveis" e "honestos" aos quais nos submetemos querem nos enfiar chips de tudo quanto é jeito para monitorar nossas vidas e roubar de nós um dos poucos direitos que nos restam: privacidade.
Agora o Governo do Brasil quer OBRIGAR os motoristas a usar chips colados nos para-brisas dos veículos.
Sinceramente, qualquer um que OBRIGA alguém a qualquer coisa não tem o direito de falar em democracia, palavra que os políticos adoram usar em suas campanhas.
Aliás, falando em campanhas, um bom exemplo, pode ser coisa pequena (tipo um Land Rover... Caso algum desses políticos queiram me dar um desses de presente...) Bom, sempre digo que os exemplos partem de cima, ou seja, dos nossos superiores em poder... Quando somos crianças, buscamos nossos pais como exemplos. Já quando crescemos... Bom, nem precisa dizer, né?
Como todo brasileiro já está pra lá de acostumado com essas histórias de escândalos na política que nunca acabam em nada é de se imaginar o porquê de o brasileiro ter a má fama internacional que tem com relação à confiabilidade.
Mas voltando ao assunto... com que moral o Governo do Brasil faz campanhas publicitárias nos dizendo como devemos nos comportar e ainda por cima nos OBRIGAR a alguma coisa?
Já não fazemos a nossa parte como cidadãos, trabalhadores e PAGADORES DE IMPOSTOS (um monte deles... a maior taxa tributária do planeta, diga-se de passagem)?
Não sei pra que tanto estardalhaço com relação à tal "crise" de que falam tanto. "Crise", inclusive que não me surpreende nem um pouco.
Aliás, se você observar cuidadosamente os números da economia, perceberá que ela nunca esteve tão bem (enquanto o Governo não governa porra nenhuma atolado na própria sujeira).
A conclusão que eu chego disso, é que não precisamos de um Governo para nos consumir através de impostos, taxas e tarifas que JAMAIS voltam efetivamente para nós, contribuintes. Se voltassem com juros e correção monetária, o mínimo que cada brasileiro ganharia seria um Land Rover e estradas com acostamento em tapete persa.
Agora falando em nível internacional... se não bastassem os problemas que já temos com o Governo do Brasil, é estranho como se fala tão pouco no terrorismo em nível mundial que os EUA têm promovido com sua expansão militar pelo mundo, plantando bases militares para rastreamento de comunicações eletrônicas, construindo escolas com as quais certamente implantarão idéias contra seus inimigos (ou países que pretendem invadir) exatamente como os nazistas fizeram durante o seu Reich e bradando aos quatro cantos que são os mocinhos bonzinhos e que o resto do mundo todo é mau... Ridículo! Porque não assumem logo que estão desesperados para se manter no poder, caramba!?
Poder é controle e ponto final. Seja político, estratégico, econômico, cultural... não importa.
Todos os impérios que tentaram controlar tudo isso de uma só vez, falharam, sucumbiram e dizimaram antes, populações inteiras.
E por falar em dizimar populações inteiras, não é preciso ser muito inteligente para perceber que o Brasil é meio que "quintal" dos EUA, pois nosso "governo fantoche" já é controlado por eles desde que nos emprestaram (junto com os ingleses), o dinheiro com o qual compramos de Portugal o nosso título de "país independente".
Agora juntemos as peças... bases americanas cercando o Brasil, séries de escândalos do governo vindo a público, países vizinhos sendo "manipulados" culturalmente... só falta desarmarem a população para que a desordem se inicie em larga escala, se apresentando como um "motivo internacional" para "intervenção" (leia-se: "invasão militar estrangeira").
Convém lembrar que praticamente em todos os lugares onde a população foi desarmada, os índices de violência aumentaram dramaticamente, quando a população indefesa não foi perseguida e dizimada ou por invasões estrangeiras, ou pelas próprias forças armadas que deveriam protege-la, em nome de alguma "revolução".
Me pergunto se os chineses e japoneses não estariam esperando os EUA dominarem todo o mundo ocidental para tomarem os EUA... afinal de contas, nenhum império dura para sempre.

sexta-feira, 5 de agosto de 2005

Como será o futuro?
Você pára para pensar nisso de vez em quando?
Pois bem... prepare-se, pois o que vou escrever aqui hoje pode até parecer bobagem, portanto, imprima isso, copie para lugares seguros, mostre a seus amigos.
Não tenho medo de arriscar me passar por "paranóico", por "bobo", ou de ser ridicularizado por esse texto e é exatamente por isso que peço para que você o imprima e guarde para ler no futuro e ver que tenho razão.
Quando se fala em "teoria da conspiração", a primeira coisa que vem à cabeça da grande maioria das pessoas é que "essas coisas não existem", que "é uma grande bobagem"... mas pense bem nas seguintes perguntas: Quantas operadoras de cartões de crédito existem no mundo? Quantos fabricantes de microprocessadores? Você consegue viver sem o seu CIC e seu RG? Por quanto tempo? A Lei e a Justiça são mesmo iguais para todo mundo? Você já ouviu falar em "Nova Ordem Mundial*"? E em "chip sub-cutâneo"?
Pois bem... E se eu te dissesse que num futuro próximo, seu CIC, RG, seus cartões de banco além de diversos outros documentos e papéis, serão substituídos por um único chip implantado sob a pele? Não seria ótimo você se livrar de todos esses documentos?
Imagine: se apresentar em qualquer banco, loja, entidade pública ou privada sem carregar documento algum e poder comprar e vender sem precisar de recibos ou de papéis, ser identificado sem ter de apresentar documentação alguma, ser socorrido em caso de emergência já se sabendo seu tipo sangüíneo, suas alergias... e se fosse seqüestrado, poderia ser localizado quase que instantaneamente através de uma rede de satélites... seria maravilhoso, não?
Mas isso tem um preço.
A imensa maioria desses documentos foram impostos pelo Estado, pelo Governo... é CIC, RG, RA, Cartão do cidadão, cartão isso, cartão aquilo, certidão de casamento, certidão de nascimento, certificado de alistamento, escritura de imóvel, papel para isso, papel para aquilo...
Quem controla o dinheiro também é o Estado, o Governo... mesmo através de entidades particulares "parceiras".
Esse mesmo Governo, também controla direta ou indiretamente TODOS os meios de comunicação de massa, capazes de possibilitar a "reversão de atitudes, mudança de comportamento, memorização de marca, slogans, etc." (trecho extraído da "Tabela de Preços da Rede Globo, de outubro de 1998 a março de 1999", página 35, que fala sobre novelas e shows).
Recentemente, através da própria Rede Globo, na novela "América", falou-se do tal chip, que no meio tecnológico já não é novidade alguma a muito tempo. Aliás, é bastante comum criadores de gado, avestruzes e outros animais usarem de tal aparato para controle de seus rebanhos).
Parece-me bastante óbvio que com apresentações dessa forma, ainda que numa ficção, preparam a grande massa para isso como algo "perfeitamente normal", apresentando apenas as maravilhas, mas não se falando sobre o lado ruim disso.
Com os tão falados atentados de 11 de setembro de 2001 (em que certos dados parecem-me muito mal contados, diga-se de passagem), surgiu a "guerra contra o terrorismo", promovida exatamente pelo mesmo governo que promove confusões de ordem religiosa e social em outros países, que esparrama suas bases militares pelo mundo invadindo países indiscriminadamente sem justificativa alguma além de documentos forjados não por "cismarem" que esse ou aquele país podem ser como dizem "uma ameaça à paz mundial" e sim para poder tomar conta de fatores estratégicos como água, energia e comunicação em nível mundial... que diz promover a "liberdade" e a "democracia" e passa com toda a sa arrogância por cima da ONU num monumental exemplo de desrespeito à paz e à ordem mundial, numa trajetória de ditadura de sua própria "Nova Ordem Mundial*".
Quer saber como será o futuro?
Você usará o tal chip. Não poderá viver sem ele, quer queira, quer não queira. Não terá escolha, pois todo mundo será obrigado a usa-lo... você, seus filhos, sua família, amigos, irmãos, colegas... todo mundo.
Você será localizado(a) onde quer que esteja e poderá ser assassinado(a) se o "sistema de governo" assim desejar, por pessoas que como você, não terão mais direito algum de expressão, de formular idéias, de criar, de inventar coisas novas, de inovar, de enfim, ser um indivíduo.
Você será apenas mais um número entre bilhões, com toda a sua vida controlada em nível de pensamento para satisfazer a "uma dúzia" de novos "führers", novos "faraós", novos "reis", novos "papas", novos "imperadores" anônimos... senhores supremos que se apresentarão como o "Grande Irmão"... sempre aparentemente tão zeloso e preocupado com cada um de nós.
Democracia?
Liberdade?
Se daqui a uns 40 anos você ainda tiver esse texto escondido em algum lugar e puder le-lo e ver que eu tenho razão, de nada ele adiantará, pois provavelmente serão bem poucas as pessoas que saberão ler e principalmente entender.
E daqui a 80 anos, talvez nem saibam como começou a tal "guerra contra o terrorismo".
Você se lembra de como começou a Primeira Guerra Mundial por exemplo? Tem certeza absoluta de como foi? Será que contaram a História da forma como realmente aconteceu?
Pois bem... o biochip existe... o último modelo para uso humano de que tive notícia se chama BT952000, mede 7mm de comprimento e 0,75mm. Funciona com uma bateria de lítio recarregada automaticamente através da transformação do calor do corpo em energia elétrica. (Há incontáveis artigos na internet sobre esse chip, escritos por seguidores e representantes de vários grupos religiosos que se baseiam na Bíblia Sagrada. Como são muitos e aparentemente concordantes sobre esse assunto, deixo apenas um link aqui sobre o assunto, de uma escola de teologia.)
E como já escrevi antes, não tenho como mudar o mundo, infelizmente. Você tem?

Aos religiosos, só um lembrete:

"A segunda Besta faz também com que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, recebam uma marca na mão direita ou na fronte. E ninguém pode comprar ou vender se não tiver a marca, o nome da Besta, ou o número de seu nome."
(Apocalipse 13:16-17, editora Paulus, Edição Pastoral)

* Esse link é de um site chamado "The Black Vault" que se propõe a colecionar e arquivar documentos militares e governamentais e torna-los públicos. O autor e fundador do site vive recebendo visitas da CIA, FBI, NSA...