Translate

sábado, 30 de julho de 2005

Eu já disse que eu não queria escrever sobre CPI, mensalão, essas coisas, mas já que sei que todo mundo quer saber a minha opinião sobre isso, aqui vai. (Mas já vai um aviso: estou de mau humor, hoje... me aguentem!)
Uma vez um grande amigo meu disse uma frase que achei extremamente sábia: "Quanto mais tempo a justiça demora, menos justiça se faz."
Nem precisa dizer que concordo com isso em gênero, número e grau.
A bem da verdade, não há justiça no Brasil. Há sim, punições absurdas para pequenos delitos e um protecionismo igualmente absurdo para grandes "crimes de colarinho branco".
Não é preciso muito para perceber que os papéis estão invertidos e que o cidadão de bem é sempre o grande lesado, uma vez que muito "democraticamente" se vê FORÇADO a pagar todos os cento e sei lá quantos impostos, taxas e tarifas para ver o resultado honroso de seus esforços nas vergonhosas cuecas de quem deveria representa-lo, defender seus interesses, enfim...
Como o país todo (se é que algum dia isso foi de fato um país) só fala em CPI, vamos conceituar umas coisas aqui.
Primeiro, CPI tecnicamente não é nenhum julgamento e sim uma espécie de reunião entre os parlamentares para lavar a roupa suja para depois sim, enviar os responsáveis (ou os bodes espiatórios, como preferir) à "justiça" devidamente nomeada e preparada por eles mesmos de um jeito ou de outro, embora ninguém nunca saiba exatamente como.
Segundo, CPI não é nenhum palanque, embora hajam parlamentares que insistam em ver dessa forma. Normal... Ninguém lá percebe mesmo que perguntas repetidas, acusações desnecessárias assim como protecionismo pretencioso "não dão Ibope". Aliás, o povo do Brasil já deve estar se perguntando se alguém nessas CPIs consegue mesmo perceber alguma coisa.
Pessoalmente, eu preferiria resolver essas coisas de forma bastante simples, afinal de contas a lei não deveria ser igual para todo mundo?
Em primeiro lugar nem deveria haver CPI coisa alguma... Eles são nossos empregados, oficialmente pagos com o nosso dinheiro certo? Justa causa neles! RUA! Antes de qualquer coisa!
Em segundo lugar, furto é julgado pela justiça comum certo? Desvio de dinheiro público pra mim é furto! Sinceramente, não vejo diferença alguma entre o político corrupto e o trombadinha, exceto pelo tamanho do crime que deveria ser punido proporcionalmente, mas ao invés disso, é protegido por lei.
Agora analisemos as CPIs... geralmente começam a se reunir alguns dias após a detecção das irregularidades... nesse meio-tempo, pode-se muito bem apagar rastros, destruir provas, queimar arquivos... Depois começam os intermináveis interrogatórios que mais parecem discursos de campanha... enquanto os envolvidos secretamente ficam jogando as "batatas quentes" uns para os outros até que estas se esfriem ou que sejam devidamente dissimuladas. Algumas até aparecem nesse meio-tempo, mas acaba virando purê no final das contas.
O resultado final geralmente termina com um bode espiatório julgado por juízes comprados com purê de batata e que depois acaba em alguma "prisão domiciliar" que acaba funcionando como um asilo de luxo, com mordomias, policiamento 24horas...
Olha... quer saber? Nem perco o meu tempo indo atrás de notícias relacionadas a essas coisas que já sei como terminam.
Prefiro voltar meus olhos para coisas mais preocupantes, como a instalação de uma base terrorista no paraguai por parte dos EUA, que querem tomar posse do Aquífero Guarani. Talvez explodam Itaipú numa dessas, afinal de contas, todo mundo está careca de saber que quando se quer invadir um território, você corta primeiro a água e a energia elétrica desse território... a comunicação também (que aliás, já é deles, de certa forma).
Isso está nos livros de estratégia! Qualquer bom estrategista militar sabe disso: corta-se energia, água e comunicação antes de qualquer invasão.
Aliás, o termo que o governo dos EUA prefere usar é "libertação", assim como a China já usou esse termo para invadir o Tibet (veja também o filme "Sete Anos no Tibet") e os EUA, muito "democraticamente" invadiu o Iraque com provas forjadas, passando por cima da ONU na cara dura (veja também o filme "Farenheit 11/9").
Sinceramente, eu não sei como os outros países da OTAN ainda não se encheram desses caras e continuam defendendo o território deles que aliás, só está sendo defendido pela OTAN, enquanto Bush brinca de xerife espalhando suas forças militares pelo mundo numa desesperada tentativa de impôr algum valor a uma nação endividada com uma moeda sem lastro em franca decadência e com moral internacional em baixa.
De certa forma sinto falta dos tempos da Guerra Fria... ao menos tínhamos a certeza de que se estourasse alguma guerra mundial, seríamos simplesmente vaporizados do mapa ao invés de escravizados por algum regime "democrático" de algum país que se acha alguma "raça superior"... isso não parece familiar?
Quer saber? O mundo que se exploda! Eu tô na minha! Só quero beber o meu vinhozinho aqui, em paz...
Foda-se! Não vou conseguir mudar o mundo mesmo!

Nenhum comentário: