Translate

domingo, 6 de março de 2005

Vamos falar de vampiros... não de morcegos, vampiros do cinema, ou do legendário romance de Bram Stoker, mas de vampiros de verdade.
Esses vampiros, não se alimentam de sangue, nem têm medo de símbolos religiosos, ou de alho (embora alguns realmente detestem alho).
Aliás, ao invés de sugar, esses vampiros são é sugados por um costume que a sociedade criou para se aproveitar deles, privando-os de viverem momentos importantes de suas vidas e assim, tornando-os frustrados, tristes e sem esperanças de poder mudar a própria vida.
São em geral, excelentes profissionais, mas vítimas de um sistema comercial que os priva de poderem viver como a grande maioria da sociedade, então eles trabalham em horários diferentes, dormem em horários diferentes, se alimentam em horários diferentes.. quando não são forçados por mera questão de sobrevivência, ou para poderem agradar seus clientes, chefes e manterem sua reputação perante o mercado (cada dia mais desinformado e tentando de todas as formas "pular processos" numa tentativa fútil de "cortar gastos"), a se esforçarem sobre-humanamente, se alimentando menos e pior (fast food ao extremo), atravessando madrugadas e dias inteiros sem pararem, ou deixando de viver também nos finais de semana, como se não passassem de meras máquinas frias e sem sentimentos humanos.
Jogar a "batata quente" na mão desses profissionais é coisa fácil... um alívio para quem não tem coragem, competência técnica, paciência e melhor ainda... pode-se ainda atribuir a estes, qualquer erro cometido diante de um processo executado às forças, seja por prazos esgotados, ou por orçamentos porcamente mal-feitos com o intuito de "pegar o serviço a todo custo"...
A todo custo... às custas das vidas de gente que se esforça de verdade - deveriam pensar.
Gente que joga suas vidas no lixo em prol de uma política comercial cada dia mais falsa, estúpida, desumana e podre.
Digo podre, porque quem sai perdendo com tudo isso, além desses profissionais, são os próprios clientes de orígem desses serviços, que se vêm sempre forçados a pagar mais caro pelos serviços terceirizados (geralmente por questões que vão desde taxas de urgência até as "refações" de serviço - que aliás acaba justamete sendo o mais comum) e o que é pior... não há no mundo dinheiro que pague alguns momentos que esses profissionais deixam de viver.
Momentos como deixar de passar o reveillon com a namorada em alguma estância turística por causa de um trabalho de última hora que tinha de terminar "de qualquer jeito" no dia 30, ou deixar de ir à confraternização da empresa porque só o "herói" lá é que tem de resolver tudo...
Enquanto as pessoas comuns dormem, esses vampiros dão suas vidas para resolverem os problemas das pessoas.
Assim... suas vidas passam e esses pobres "mortos-vivos" terminam suas vidas sem viver.
Ao menos os médicos lidam com vidas humanas, não com as meras vontades alheias.

Sabe? A principal função desse site, desse blog, (além dos meus desabafos pessoais é claro) é justamente apontar esse tipo de coisa... os "buracos" que a sociedade ignora, deixa de observar e assim, deixa de evoluir, de instituir igualdade de direitos, de respeito, de ética, deixa de ser inteligente, de ser produtiva, eficiente.
Por isso ele está aqui... exposto para quem quiser ler, sem sensura, sem máscaras.
A minha parte eu estou fazendo: apontando os buracos. Agora... quem é que está dirigindo?

Nenhum comentário: