Translate

domingo, 5 de dezembro de 2004

Até bem recentemente, o termo nerd era visto de forma pejorativa.
O primeiro registro da palavra "nerd" que se conhece, é do livro para crianças "If I Ran the Zoo", de Theodor Seuss Geisel. No livro, "nerd" referia-se a uma criatura muito estranha, muito parecida com o "grinch", também criado pelo mesmo autor.
Na verdade, creio que todo nerd tem um pouco de Grinch... Bom isso não vem ao caso agora.
O fato é que de uns tempos para cá, tenho observado uma valorização súbita dos nerds diante da sociedade. Não sei ainda se é pelo alto nível de sofisticação tecnológica que o mundo à nossa volta tem alcançado (e sem os nerds, as pessoas comuns teriam sérios problemas de manuseio dessas "traquizumbas tecno-virótico-bombásticas" a que estão submetidas quer queiram, quer não queiram), ou se é porque um dos homens mais ricos do mundo se diz nerd (na verdade, trata-se de uma vergonha para os verdadeiros nerds, que preferem trata-lo como "geek"... mas na verdade, ninguém sabe definir com precisão o que é o quê).
Não sei... só sei que de repente, nunca vi tanta gente falando de nerds... É texto na internet falando que nerd é bom de cama, é jornal inglês falando que "supernerds" vão dominar o futuro, entre outras coisas.
Bem... É verdade que os nerds carregam em suas costas, uma grande responsabilidade chamada conhecimento.
Costuma-se dizer que "conhecimento é poder"... Bom... vejamos...
Se a TV de hoje já manipula (muito além da conta) as mentes da grande massa, num futuro não muito distante, a TV digital poderá significar o ápice da alienação global.
As pessoas se sentarão em suas casas diante da TV e verão seus programas de TV "personalizados" e poderão interagir com eles, alcançando um nível de realismo nas informações que receberem, capaz de convence-las de qualquer coisa.
Atores virtuais e fatos virtuais serão comuns, assim como a imensa quantidade de notícias manipuladas que recebemos todos os dias.
E mais: poderão fazer compras com ela, se comunicarem através dela... mais ou menos como a internet permite hoje.
Poderão votar, julgar... e serem persuadidas em suas decisões, induzidas a acharem sempre certo o que quer que façam.
Será "o" instrumento do "sistema".
Os nerds poderão ser a excessão.
Enquanto "1" e "0" continuarem sendo de domínio público, sua curiosidade poderá abrir as cortinas do "sistema" e mostrar-lhes como tudo isso funciona... e aí, será o conhecimento dos nerds contra o conhecimento do "sistema".
"Se um pouco de conhecimento é perigoso, quanto conhecimento é necessário para se manter seguro?" (Essa frase eu vi num filme.)

Nenhum comentário: