Translate

sexta-feira, 20 de agosto de 2004

Já me disseram que eu disperdiço a minha vida.
A verdade é que eu nem sei mais se eu tenho uma vida para viver.
A muito tempo, é como se as minhas emoções fossem um bolo que tivesse sido levado de mim, e tivessem sobrado apenas migalhas...
É bem verdade que a solidão só agrava as coisas, então tenho procurado companhia, nem que seja apenas para conversar e não pensar no passado, mas às vezes isso é inútil. Como essa noite, por exemplo, em que eu não estava conseguindo dormir.
Tudo bem que eu esteja ficando madrugada após madrugada acordado e dormindo mesmo, só no período da manhã, mas dessa vez, a insônia foi mais forte.
Devo ter conseguido efetivamente "apagar" só lá pelas 6:40... para ter um pesadelo com a minha "ex"...
Sei que preciso vencer isso, mas o que fazer?
Uma psicóloga diz que essas coisas levam normalmente uns dois anos para serem superados, mas sinceramente, guardo seqüelas que vão muito além disso.
Seqüelas que se mostraram claramente através do pesadelo, do qual não me lembro dos detalhes, mas reflete bem a minha posição com relação aos fatos.
No pesadelo, eu agia feito um "fantasma" na vida dela, já em reconstrução... ficando ali, apenas observando, sem conseguir encontrar uma solução... um jeito de tentar dizer a ela o que eu sentia, sem prejudica-la mais do que a prejudiquei.
No pesadelo, eu era uma "sombra", pois ninguém me via, mas era como se ela pudesse me "sentir".
Em determinado momento, ela se se voltou para mim se afogando em prantos, com um nervosismo incontrolável, como que me forçando a dizer a ela o que ela já sabia.
Eu, sem saber como consola-la em seus prantos... enfim, me senti novamente como da última vez que a vi, acordado com o toque do telefone no meu quarto... que só tocou uma vez, me perturbando ainda mais...
Quem dera fosse ela!
Quem dera ela ainda me amasse como dizia tantas vezes... que me quisesse, mesmo com todos os meus defeitos que a irritavam tanto...
E principalmente, quem dera ela pudesse sentir, acreditar no que palavra alguma poderia traduzir... algo que para mim hoje, significa um passado de quatro dos melhores anos da minha vida, que se foram para sempre.
Tomara que ela esteja tendo mais sorte do que eu com relação a isso.

Nenhum comentário: