Translate

terça-feira, 4 de maio de 2004

Estou plenamente convencido de que o mundo é regido por pequenos grupos de pessoas que controlam as economias do mundo, a mídia, os governos de diversos países e que possuem em seu poder, arquivados, conhecimentos muito antigos que poderiam tornar obsoletos todos os nossos conceitos sobre religião, história ou física.
Entre esses conhecimentos, poderia por exemplo, haver explicação para a existência de uma espécie de bateria elétrica a cerca de 2200 anos atrás, encontrada numa escavação arqueológica em Bagdad, ou como podem ter sido construídas as cerca de 50 fortalezas de pedra vitrificada da Escócia, ou ainda que tipo de técnica teria sido empregada na escultura da famosa "caveira da morte", feita em puro quartzo e sem nenhum vestígio de cinzel...
Tento imaginar o que essas "sociedades" escondem da humanidade, seja lá por quais motivos... Apesar de eu ter algumas teorias a respeito.
A humanidade geralmente é inconsciente, sujeita a mensagens subliminares, influência de marketing, propaganda... É composta por pessoas comuns, que assimilam facilmente certas (pseudo) necessidades de consumo (embora hajam pessoas que até buscam ser consumistas para não se sentirem "atrasados" diante da sociedade de certa forma). Seja como for, essa parte da sociedade é a grande imensa e esmagadora maioria. São gente comum, como já falei, que vive feliz com suas ilusões e convicções sobre política, economia, religião, história...
Mas há aqueles pouquíssimos indivíduos (não sei ainda se são privilegiados pelo ponto de vista, ou são amaldiçoados com a consciência das coisas...) que "garimpam" as peças do "quebra-cabeças" no meio do caos, buscando respostas para as suas perguntas e em alguns casos até se tornando grandes "pedras no sapato" do "sistema".
A história é sempre contada do jeito que interessa ao invés de como realmente aconteceu ou acontece.
Na Idade Média, as investigações lógicas e científicas eram proibidas pelas autoridades, que condenavam com a fogueira, classificando de "bruxarias malignas" e ponto final. (Simples, não?)
Antes disso, as inovações tecnológicas do Império Romano vieram de algum lugar, como Grécia, Egito, Alexandria (de onde dizem há ainda vários manuscritos guardados na Biblioteca do Vaticano por soldados armados)...
E antes, dos países árabes (para não citar todos eles, como persas, fenícios, etc.) e ainda antes, Índia, China (onde aliás, se encontram as pirâmides mais antigas da Terra, embora pouca gente saiba disso, mas basta pesquisar).
Talvez esses povos antigos até já tivessem conhecimento da existência das Américas (ou que de outra forma explicar folhas de coca entre os dentes de múmias egípcias uma vez que a coca é nativa das Américas?)
Quem garante que o "sistema" não nos esconde coisas como um território quase do tamanho da Espanha que na antiguidade pode ter servido de centro de comércio entre os povos das Américas e do velho mundo? Ou que tipo de conhecimentos teriam provindo de lá ou de outros lugares? Coisas como o "computador" de 2000 anos encontrado certa vez no mar de Creta, capaz de engenhosos cálculos diferenciais com engrenagens de bronze...(???)
Na minha opinião, muita coisa já se perdeu de conhecimento na história da humanidade graças à natureza egoísta do ser humano. E com isso, a consciência das pessoas e em conseqüência, a própria evolução da raça humana, que agora, seguindo um caminho de caos, caminha inconsciente em direção à própria destruição.

Nenhum comentário: