Translate

sexta-feira, 14 de novembro de 2003

Não é preciso ser nenhum especialista em engenharia de trânsito para perceber claramente que as alterações de trânsito efetuadas sumariamente pela EMDEC - Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas, são de ordem absolutamente arrecadatórias.
Exemplo: Antes, um motorista que seguia pela Av. Império do Sol Nascente em direção do "Estacionamento 2" do Shopping Center Unimart, tinha de fazer uma conversão (se não viesse da Av. John Boyd Dunlop), como única alternativa para, na hora de sair do Estacionamento, não ter de "enfrentar" os cemáforos com foto da Av. John Boyd Dunlop.
Semáforos esses, que já foram responsáveis por um enorme número de discussões e pelo pedido de demissão de um juiz inconformado com a clara natureza arrecadatória (ao invés de educativa) dos mesmos. E mais: esse tipo de semáforo são considerados "obstáculos perigosos ao sistema de trânsito" em países desenvolvidos.
Mas, voltando ao Shopping Unimart, não há sequer uma chance de o motorista desavisado que entrar no trecho da Av. Império do Sol Nascente poder fazer a conversão sem ter de fatalmente dar a volta em torno do Shopping Center e "enfrentar" os tais semáforos.
Sensores de radar em finais de afluentes de vias principais (onde é comum acelerações "emergenciais" justamente para evitar acidentes) são os pontos mais escolhidos para serem implantados.
Outros lugares bastante comuns de instalação desses sistemas, são em subidas, onde com um pouco mais de aceleração, se aproveitaria a inércia do veículo e conseqüentemente se economizaria combustível e se evitaria uma troca de marcha.
Aliás, o próprio "Projeto Rótula" foi claramente concebido para que o trânsito ficasse mais tempo parado, bem como os trajetos mais longos... Os donos de postos de combustível agradecem.
Enquanto isso, nós, cidadãos continuamos sofrendo com ruas estreitas demais para a quantidade de veículos, incontáveis semáforos fora de fase, faixas de pedestres que terminam em um poste, caixa de correio ou pior ainda, um guard rail sem calçada, no meio de uma via principal, pontos de ônibus em rotatórias (pasmem!) e buracos... muitos buracos...
Fatos bastante divergentes do termo "desenvolvimento" constante no nome da empresa, não?
Só pra encerrar... um aviso aos funcionários que tomam as "decisões" da EMDEC... somos nós, moradores de Campinas que estamos pagando os seus salários.
Em nome dos cidadãos... Só queremos que vocês respeitem e honrem isso.

Nenhum comentário: