Translate

sexta-feira, 3 de outubro de 2003

O fanatismo invariavelmente consiste em seguir rigorosamente uma única linha de pensamento sem levar em conta nenhum outro ponto de vista em consideração.
Sempre temos a tendência de ignorar o que foge de nossa linha de pensamento, tratando como um desvio e que por isso mesmo deveria ser evitado.
O fato é que as coisas não são bem assim.
A uns 600 anos, achava-se que a Terra era chata como uma panqueca. Depois concluiu-se que era redonda, depois oval e agora semi-oval irregular.
Palmas para Francis Bacon com sua legendária frase "A verdade pertence ao tempo e não às autoridades"!
Respeito muito todos os que seguem fielmente seus princípios, pois isso lhes dá constância e estabilidade de pensamento. Mas sempre ao se trilhar um caminho, não devemos olhar apenas onde pisamos, ou podemos deixar de admirar a paisagem que o cerca, nos admirarmos com o quanto já trilhamos, ou mesmo nos prepararmos para o que ainda temos de trilhar.
Mesmo com um mapa na mão e certeza absoluta de qual caminho trilhar, não podemos prever os contratempos, obstáculos ou outras dificuldades, porque os mapas apenas nos mostram os caminhos e não as paisagens ao longo deles.
Nenhum de nós é dono da verdade. Nenhum de nós conhece MESMO o futuro. Temos nossas crenças apenas, mas por mais que tenhamos certeza do que cremos, muitas vezes nos decepcionamos com elas, pois muitas vezes, as coisas não são exatamente como esperávamos que fossem.
Antes eu seguia os mapas, olhava onde pisava e seguia em frente. Agora eu admiro mais as paisagens, penso duas vezes antes de cada passo e observo os obstáculos à minha frente com mais cuidado, pois eles nem sempre são o que parecem ser.
As experiências têm me feito mais cauteloso a cada decepção. Mas apesar disso, continuo me decepcionando, embora seguindo sempre o mesmo caminho do mapa. Caminho cada dia mais difícil.
Conselho de amigo por experiência própria: Tome sempre muito cuidado com o que pensa que sabe.

Nenhum comentário: