Translate

domingo, 28 de setembro de 2003

As pessoas continuam me perguntando sobre o meu relacionamento com a minha "ex".
O que elas não sabem é o quanto esse assunto dói. Por isso, muitas vezes fico sem jeito.
Ainda tenho uma ferida muito grande para cicatrizar e, cada vez que toco no assunto é como sal direto na carne.
Tento instintivamente buscar modos de essa ferida doer menos e tenho tido uma grande ajuda madrugadas adentro, via internet... mas isso já é uma outra história. Prefiro não entrar em detalhes aqui, para não prejudicar quem me ajuda (e muito).
Estou para dar umas aulas nas tardes de sábado... para ajudar no orçamento e tentar ocupar a minha mente com outras coisas além das tarefas profissionais e domésticas (moro sozinho)...
Dizem que formávamos um casal bonito e certamente nos amávamos muito. Mas o fato é que não foi o suficiente.
Eu já não sentia mais a felicidade dela, embora eu fizesse de tudo para isso.
Me esforçava ao máximo para que ela pudesse ser feliz, mas tudo o que consegui foi provar a mim mesmo que eu não tinha competência para dar a ela o otimismo que sempre acabava me faltando, ou a "malícia social" que minha ingenuidade sempre insistiu em não cultivar.
Por mais que eu tenha tentado, minha natureza não me permite ser diferente. Por isso, vivia dando "mancadas" para com ela e sempre terminava me sentindo mais idiota do que antes.
Apesar de muitos me considerarem uma espécie de "gênio", o fato é que eu não sou muito esperto.
É bem verdade que conheço muita coisa, com profundidade de fazer inveja a muita gente, mas isso pra mim serve muito pouco... Ainda não aprendi três coisas que me fariam ser menos pessimista: a ganhar muito dinheiro honestamente (por isso continuo pobre), a ter "malícia social" sem ser espontâneo e verdadeiro e a manter junto de mim alguém que eu ame... que me ame.
Já tenho algumas cicatrizes e uma ferida ainda para curar. Por isso tento evitar o assunto.
Quero apenas viver o melhor que puder, embora eu sinta muita falta do calor de um abraço, ou de um beijo carinhoso de uma mulher apaixonada... Ha! Eu não mudo mesmo!
Se eu sou um gênio ou um perfeito idiota... a resposta é: eu sou os dois. E esses dois vivem se conflitando.
Se o gênio vencer, ótimo! Posso me tornar otimista!
Mas se o idiota vencer... será o meu fim.
Quem tiver peito para apostar... que o faça!

Nenhum comentário: