Translate

segunda-feira, 4 de agosto de 2003

As plataformas mudam, mas alguns jogos continuam os mesmos... Não é difícil encontrar títulos clássicos para videogames modernos. O motivo é simples: os jogos eram muito bons mesmo, apesar da simplicidade (e principalmente limitações) com que foram concebidos originalmente.
Isso pode parecer estranho, mas gosto muito mais dos jogos antigos que os atuais. E não é só por saudosismo não! É que esses jogos, cumprem o seu papel muito bem: desestressam, relaxam e divertem.
Nada de ficar em dúvida sobre qual botão apertar para matar o "space invader", ou pular o escorpião...
O fato é que raramente "dinossauros" como eu, que viveram no período "atariano", deixam de sentir o mesmo prazer que sentiam ao jogar velhos jogos daquela época, que divertem tanto quanto os jogos modernos e até mais, pois estes além de nos distraírem, nos trazem boas lembranças dos amigos, das músicas... da época.
Os velhos Atari 2600 até hoje ainda exercem um fascínio meio "mágico", ausente na grande maioria dos aparelhos mais modernos, poderosos e cada vez menos aproveitados, como aliás praticamente tudo no mundo da informática atual. (Não que estes não tenham seus méritos! Os jogos de simulação estão cada dia mais realistas!)
Sou capaz de apostar que se alguma dessas potências da indústria de entretenimento fizesse uma versão "Game Boy" do velho Atari 2600, com um módulo externo que permita o "loading" dos cartuchos originais para uma memória interna, onde o usuário pudesse "colecionar" seus jogos e acessa-los por um menu, bem como ainda através desse módulo, poder jogar seus jogos num televisor e usando os velhos joysticks CX-40, como o aparelho original... Certamente esse novo videogame de bolso seria um sucesso de vendas e exigiria uma tecnologia infinitamente mais barata e simples que os poderosíssimos supervideogames de bolso atuais... (Já imaginei todos os detalhes desse aparelho. Se algum fabricante se interessar, pode me contactar!)
Pra quem não viveu o período "atariano"... o Atari 2600 foi fabricado entre 1977 e 1989 e nos 5 anos considerados o seu auge, foram vendidos cerca de 5 bilhões de aparelhos, fora os clones de dezenas de outros fabricantes, bem como dezenas de outros récordes.
O fenômeno foi tão avassalador, que até hoje programadores continuam a fazer jogos para a plataforma (veja em Atariage) e inspirou o surgimento de um setor na indústria que hoje é o que mais fatura no mundo: o dos videogames. Sem falar no "sem-número" de empresas que surgiram desde então, dentre as quais podemos destacar a America Online, que começou alugando jogos de Atari 2600 através da linha telefônica através de um serviço conhecido como CVC Gameline...
Hoje, a marca Atari, pertence à Infogrames.
Vinte anos se passaram e ainda hoje, se ligam os melhores jogos de videogames norte-americanos a duas marcas: Atari e Activision...
Eu só vim a ter um Atari 2600, cerca de 20 anos depois de sua época. Ainda estou fascinado com o incrível aproveitamento de um hardware tão simples.
Já tenho 16 cartuchos e pretendo continuar colecionando-os... com orgulho.
Aos que se esqueceram seus velhos aparelhos no armário... tirem-nos dos armários, liguem para seus amigos e combinem uma tarde para se divertirem jogando videogame envelhecido, como quem degusta um bom vinho!

Nenhum comentário: