Translate

sábado, 31 de maio de 2003

"Se Deus existe, por que eu prendi a minha língua na máquina de escrever?"
(Woody Allen)


Vamos questionar e principalmente, meditar profundamente sobre as idéias que temos sobre Deus:

1 - Se Deus é justo, por que eu trabalho de sol a sol e continuo pobre enquanto tem um monte de vagabundo desonesto enriquecendo (inclusive com o esforço do meu trabalho)?
2 - Se algo de ruim acontece e se diz que é "provação divina", então pra quê Deus precisa provar alguém se ele é onisciente?
3 - Se Deus é onipotente, então por que precisa nos "ensinar" através das tais "provações"?
4 - Se Deus nos quer tão bem, então por que tem tanta gente que morre de fome (incluindo cristãos assumidos que as igrejas evangélicas omitem em suas pregações)?
5 - A gente crê, porque nossos pais creram, nossos avós creram, nossos bisavós... A gente sempre se apóia em Deus, como uma esperança de que as coisas melhorem. E essas coisas? Melhoram de fato?
6 - Tudo o que a humanidade falou ou escreveu sobre Deus em toda a sua história, foi a própria humanidade que deduziu, supôs ou imaginou. Será que nós, seres humanos ignorantes e limitados não estaríamos inventando coisas demais sobre Deus?
7 - Se Deus é perfeito e fez o Homem à sua imagem e semelhança, então por que o Homem tem tanto defeito?

Manifesto Fundacionista:

Eu não posso dizer que milagres não existem, nem que não exista alguma "consciência", poder ou entidade superior que possa ter criado o universo ou que possa estar nos assistindo agora.
O que posso afirmar com a mais absoluta certeza é que nós, como seres humanos, não temos a menor idéia do que dizemos ou afirmamos sobre essa "consciência" ou qualquer que seja o nome pelo qual chamamos este ser que buscamos sempre que nos sentimos fracos ou impotentes.
A crença numa "consciência" superior, é uma busca individual, pessoal e única, como a história de uma pessoa, como o amor, ou qualquer outro sentimento, que mesmo compartilhado, ainda assim dependerá de interpretações pessoais e únicas, uma vez que cada um de nós tem seus próprios valores e seus próprios caminhos para trilhar.
Ser fundacionista é ter como fundamentos, a compreenção e o respeito às crenças alheias ao invés da pregação; e o auto-questionamento ao invés da adoração.
Cada indivíduo é único. Com sua própria e limitada consciência. E quem aprende a compreender isso, contemplando os limites de sua própria "consciência", aprende também buscar suas próprias respostas, tornando-se assim, outro fundacionista.

segunda-feira, 26 de maio de 2003

Eu disse que visitaria alguma escola que dá cursos na área de computação gráfica para saber se precisam de instrutor!
Essa que eu visitei infelizmente não precisava... mas ao menos já gerei algum contato.
Quem sabe num futuro próximo...?
Vou continuar procurando... Uma hora, eu encontro a oportunidade adequada para assinar a minha carta de alforria.

domingo, 25 de maio de 2003

Lamento, mas hoje estou sofrendo de crise existencial.
Também! Moro sozinho, estou quase sem dinheiro, tenho um emprego que não me deixa ter uma vida própria (se é que consigo ter alguma vida tendo a profissão que tenho) e minha namorada não quer mais nem falar comigo. O que você esperava?
Tradicionalmente, eu escrevo neste blog sobre tudo o que me deixa de saco cheio, sendo uma dessas coisas, a minha própria ignorância.
Eu não posso ignorar que existem coisas acontecendo com alguém que amo, mas também não posso força-la a me dizer se ela não quiser.
A quatro anos que ela vem me ouvindo reclamar da vida pacientemente como ninguém e sou-lhe muito grato por isso e muitas outras coisas. Mas paciência tem limite e reconheço... que a minha também está se esgotando.
A qualquer momento, posso optar por largar o emprego, zerar de vez o meu dinheiro e... de quê isso iria ajudar? Ela já não quer mais nem falar comigo mesmo!
No meu lugar, o que você faria além de prender uma corda no pescoço?

sexta-feira, 23 de maio de 2003

Hoje, vieram me agradecer pelos esforços sobrehumanos para tentar suprir as necessidades das empresas envolvidas e pedir desculpas pela mancada.
Eu não consegui engolir essa.
Não é a primeira vez que isso acontece e a dez anos eu tento mudar esse tipo de coisa lá naquele ambiente de trabalho. Todas as tentativas foram em vão.
Duvido que as coisas mudem e as atitudes passem a ser profissionais.
Estou cansado de tudo isso!
Agora, estou com outro problema: apesar de ter passado o dia todo com sono por não ter conseguido dormir nos últimos dois dias, estou preocupado com a minha namorada.
Ela é muito especial para mim e estou com alguma dificuldade para obter notícias dela.
Por um lado, pode ser apenas stress e cansaço da parte dela, pois acaba de conseguir um emprego, mas acho que pode não ser "exatamente" o que ela procurava, talvez pela distância da residência ou outro fator qualquer...
Por outro lado, ela pode estar cansada de ver eu "me matando" do lado de cá sem tomar alguma atitude mais radical como a de pedir demissão, mandar tudo às favas e procurar outro emprego (não necessariamente nessa ordem).
Seja como for, segunda-feira eu vou ver se me informo numa dessas escolas de informática se não precisam de algum instrutor...
Estou com "coceira" para pedir demissão.
Não suporto mais ter de ficar longe das pessoas que eu amo, por conta das minhas obrigações profissionais, nem de sacrificar a minha vida por futuro nenhum.
Eu não tenho vocação para "aventureiro", mas não nasci para ser mártir.
Agora, depois de enviar um e-mail para a minha amada e "desabafar" um pouco, quem sabe eu possa dormir um pouco...

quinta-feira, 22 de maio de 2003

Outra madrugada no trabalho...
Acabo de sair de um estado clínico péssimo pra continuar me matando aqui no serviço.
Ao menos tenho jantado bem, mas juntei o café da manhã e o almoço.
Tenho duas refeições por dia e belisco algum junk-food de padaria no meio da tarde.
Essa é a minha dedicação para tentar entregar os serviços na medida do possível.
Eu planejo tudo para entregar direitinho num prazo "que dá", porque em geral, já é estreito demais, de modo que um erro pode resultar num atraso sério de cronograma.
Aí, a "direção" aceita pegar uma "bucha" titânica e enfia no meio de uma fila de serviços que já estava atrasada.
E o escravo aqui é que apanha... E só aceita por causa da falta de dinheiro.
Hoje, quase arrisquei tudo e pedi demissão.
Aparentemente, vou der de fazer isso mesmo, mais dia, menos dia.
Minha paciência já está no limite. Espero não explodir. Isso seria muito ruim.
Eu só quero uma vida normal!
Quero a minha namorada comigo, quero passear, ver televisão, ir ao cinema, viajar nas férias... como gente normal!
É pedir muito a Deus?

terça-feira, 20 de maio de 2003

Senhoras e senhores, desculpem-me, mas preciso usar um vocabulário chulo no meu post de hoje.
Eu luto todo o santo dia para que as pessoas do mercado gráfico ajam profissionalmente, mas um grande amigo meu bastante experiente em vida de birô (e que me recomendou sair dessa vida o mais rápido possível) tem toda razão: Esses caras são todos desajustados e não têm vida própria.
Eu vou além: alguns ganham a vida às custas dos esforços de outros.
Certos vendedores de nariz empinado que ganham rios de dinheiro vendendo serviços com prazos já esgotados e com aprovações de última hora, merecem perder tudo o que ganharam de uma só vez. E se Deus existe, é o que deveria acontecer.
Graças a esses cretinos, nós aqui da produção perdemos nossas vidas, nossa saúde, nosso convívio familiar, nossa conta bancária e nossa paciência, porque temos de entregar essas bostas no prazo.
Digo bostas, porque não há tempo para uma produção com qualidade.
Aí, nós aqui dos birôs, esfomeados e desesperados para pagar nossas contas, pegamos qualquer bosta, topamos qualquer bosta, fazemos qualquer bosta, o serviço acaba ficando uma bosta, o cliente diz "Que bosta!" e claro, se recusa a pagar pelos esforços sobrehumanos dos coitados que vivem na bosta e é exatamente por isso que continuam na bosta. Isso, quando o filho da puta do cara que vendeu essa bosta não perde o cliente.
Hoje, às 18:30, me chegam com um pacote de fotos que vai nos fazer atravessar a madrugada toda porque a feira Automec (cuja data já é sabida desde o ano passado) começa no domingo.
Logo, as fotos precisam ficar prontas esta noite.
Isso porque estamos saturados de outros serviços nas mesmas condições, com o cliente do nosso cliente já cobrando outras fotos...
Aí, graças a um desses vendedores de bosta, que só ficam com os louros da vitória às nossas custas e que duvido que vai atravessar a madrugada para acompanhar essa merda, simplesmente não tem coragem para chegar num cliente e dizer coisas do tipo "se você não liberar o material até certo período, eu não terei como entregar o seu trabalho no prazo para a feira". (Belo negociante!)
Se algum de vocês me enviar algum e-mail pedindo nomes, eu darei com o maior prazer e conto a história toda.
Uh... Eu adoraria que algum jornal publicasse como é a vida de gente como eu.
Dica para quem quiser um serviço bem feito: planeje prazos longos, dê margens aos erros, imagine que tudo tem um tempo de produção.
Enfim: seja profissional ao invés de filho da puta, ou vou falar de você neste blog!

segunda-feira, 19 de maio de 2003

Cara, graças a Deus me sinto curado, embora meu nariz continue irritado (como sempre, graças à minha rinite alérgica... normal) e ainda sinta ter algum excesso de secreção na garganta. No entanto, o tratamento ainda não acabou e depois terei ainda de voltar ao otorrinolaringologista.
O que certamente vai ma fazer passar mal até o final do dia (e com certeza até a madrugada, pra variar) é aquele ar-condicionado do qual eu tenho de me esquivar por ordem médica.
Mas agora é que vem a pior parte: grana.
As coisas vão de mal a pior.
Você nem imagina os cambalachos que se tem de fazer pra conseguir ganhar algum dinheiro, porque o nosso Governo "fominha-zero" criou mecanismos tão abusivos de taxação que as empresas andam se recusando a pagar valores dignos a seus funcionários...
Assim, apresento a solução definitiva para o valor do salário mínimo no Brasil: "Todos os deputados, senadores, prefeitos, vereadores e funcionários públicos deverão ser pagos apenas com um salário mínimo, sem direito a vale-paletó, bem como outros vales e mordomias."
Dessa forma, o valor do salário mínimo certamente aumentará rapidinho.
Tenho certeza de que a maioria dos brasileiros concorda comigo nesse ponto e por isso mesmo essa lei deveria passar a vigorar IMEDIATAMENTE, independente da vontade desses NOSSOS EMPREGADOS, pagos com o NOSSO SUOR e que só mandam na gente, porque nós brasileiros (burros e éguinhas-pocotó em maioria) aceitamos suas leis furadas sem discutir, sem protestar, sem impôr nossos interesses como cidadãos.
Por isso, eu, você e toda a massa pensante sofre as conseqüências.
Enquanto -eu repito- nossos empregados da nossa instituição denominada "Governo do Brasil" deita e rola nos milhões de dólares que pagamos desnecessariamente em impostos, nós os verdadeiros patrões, sofremos para poder comprar o pão nosso de cada dia.
Falta muita vergonha na cara de poucos e alguma consciência em muitos.

sexta-feira, 16 de maio de 2003

Galera, ainda estou vivo.
Estou com tosse e ainda um pouco de sinusite.
E dizer que tudo começou com uma rouquidão, combinada com ar-condicionado, água muito fria, uma epidemia de gripe lá no serviço... que ativou minha bronquite que nunca me incomodou (apenas durante esse período) e tudo isso junto, ativou também minha rinite alérgica... Foi uma maravilha: tosse, espirros, nariz permanentemente entupido, corpo inteiro doendo, alguma febre (por incrivel que pareça até que não foi tanta)...
Mas esse flagelo está acabando. (Aleluia! Aleluia!)
Só que agora já é sexta-feira (e a semana está praticamente encerrada) e preciso ver como vão as coisas lá no serviço...
Soube que teve um rapaz lá que se acidentou e, com isso, o departamento de imagem lá está "morto".
Imagino a quantidade de serviço acumulado que vou ter.
Isso me assusta!
Não quero nem saber daquele maldito ar-condicionado!

segunda-feira, 12 de maio de 2003

Cara, estou mal...
Ontem fui parar no hospital e agora estou "de molho"...
Ordens médicas: 1 - Repouso; 2 - Fuja de ar-condicionado como o diabo da cruz; 3 - Tome os medicamentos conforme o receitado e siga o tratamento à risca.
Isso é que dá trabalhar feito um condenado dia e noite sem dormir, movido a lanche de padaria, cachorro quente e outras porcarias numa sala "frigorífica" ...
O pior é que "de molho" eu não faturo pra pagar as minhas contas.
E tem mais: os remédios que ando tomando, podem dar efeitos colaterais, como alucinações, tonturas, etc. Ou seja... vou ficar uns tempos sem poder dirigir.
Odeio ficar doente! Isso me deixa de mau-humor!

quarta-feira, 7 de maio de 2003

Cara! Estou ficando muito velho pra essas coisas!
Eu vivo dizendo que a minha parte eu faço e que neste blog, eu só escrevo o que penso sempre que estou de saco cheio, obviamente não citando nomes por pura ética profissional.
Vou contar como é um dia do meu trabalho aqui na empresa...
Preciso pedir um telefonema, o fio do telefone está com mau-contato e não consigo falar com o cliente.
Peço para ligar para um indivíduo, cai em caixa postal. Peço para ligar para outro, ninguém atende.
Todo mundo vive me pedindo favores por aqui ao invés de fazer as coisas, mesmo quando estou ocupado e com pressa.
Deixei um recado para um indivíduo imprimir um arquivo ao chegar (que é um horário mais "tranquilo") e não imprimiu.
Eu tive de brigar pra conseguir espaço na fila de impressão pra imprimir.
Internet... Passou até metade da tarde sem funcionar.
Minha garganta está um bagaço e aqui só tem água gelada, porque algum vândalo estúpido retirou o botão de controle da temperatura da água.
Incrível, mas o ar condicionado também funciona... sempre na temperatura "Sibéria congelada". Me sinto um pinguim.
Agora às 18:20, tive de desenhar uma faca para uma pasta enquanto preparava um escaneamento que só vou poder começar a tratar lá pelas 22:00 e atender um cliente que está esperando uma impressão que tive de cancelar pra fazer um "teste" do patrão que fica enrolando pra me passar o papel...
Agora tem um colega precisando usar esta máquina onte estou escrevendo meu blog.
Serviço... Só aparece em final de expediente... para entrega no dia seguinte.
Aqui é assim: nada funciona, ninguém sabe nada, alguns até fazem alguma coisa, enquanto eu tento fazer tudo e...
Preciso de férias!!!

terça-feira, 6 de maio de 2003

São 4 horas da manhã, agora.
Estou terminando as 285 fotos em 5 horas. Todas tratadas uma a uma, sem pontos "zerados", e com todos os detalhes possíveis de serem extraídos.
Acho que é um novo récorde mundial.
É por isso que eu ainda não saí desse mercado: mexer com imagens é uma das coisas que eu sei fazer melhor.
Só que não dá pra viver disso.
Ainda estou buscando uma coisa que eu faça bem e que possa garantir a minha aposentadoria.
Quero fazer algo mais valioso do que destruir minha saúde pra não ter nada no futuro.
OK!
Que o mercado de pré-impressão gráfica de Campinas e região está uma enorme bola de merda, ninguém no setor tem dúvidas.
Recentemente, um amigo meu, um fotógrafo muito conhecido da região, me disse que está pensando exatamente o mesmo que eu venho pensando a anos: em sair desta maldita área na primeira oportunidade que aparecer.
Mas vamos aos fatos: a anos gente como eu vem falando nisso, migrando de empresa aqui e ali, alguns com algum sucesso, outros nem tanto... Mas nenhuma grande mudança.
Acredito que o maior problema desse mercado é muito simples: OS CLIENTES NÃO SABEM O TRABALHO QUE DÁ FAZER ESSAS COISAS! E por isso mesmo, nosso trabalho não tem valor.
Os patrões fazem questão de dizer que tudo é fácil, tudo a gente faz em qualquer prazo a qualquer preço e a gente aqui da produção se fode pra entregar essas coisas sem prazo, sem valor e sem motivação nenhuma pra depois engolir sapo porque as coisas nem sempre saem como deveriam.
São mais de 2 horas da manhã agora e às 23:00, me entregaram nada mais, nada menos que 285 fotos preto e branco para entregar ao amanhecer.
Como se não bastasse, ainda tem uma editoração para ser feita para entregar antes das 5 da tarde.
Você sabe o que é tomar café da manhã às 4 da tarde, almoçar às 2 horas da manhã e passar 3 dias movido à lanche de padaria e cachorro quente?
Eu vivo passando por isso... Pra ganhar menos que um desses caras que limpam parabrisas em cemáforos.
Sinceramente, eu não estudei 18 anos da minha vida pra merecer essa vida.
Dos 7 dias da semana, eu só tenho chance de viver 2 e ainda assim, nem sempre consigo, pois tenho de por ordem em um monte de coisas na minha vida pessoal que não consego durante a semana.
Se Deus existe, acho que ele quer que eu me torne ateu.
Se você acha que é fácil? Experimenta!