Translate

quarta-feira, 30 de abril de 2003

Hoje estou me livrando de um enorme peso na minha vida profissional.
Um daqueles "clientes-problema" que ninguém gosta de atender na empresa, porque todo o material que ele traz para produzir fotolito, já chega com problemas ou termina com problemas, por mais que tenhamos cuidado.
Nenhum cliente na empresa tem um histórico maior de retrabalho e tudo o que é produzido para ele tem de sair já montado para melhor aproveitamento do papel da gráfica dele, que não tem montador.
Por causa dele, chegamos mais cedo e saímos mais tarde.
Ele chega quando quer, interrompe a produção dos serviços de outros clientes e fica esperando a saída de seu material na hora, feito pastel de feira.
Não vou citar nomes, nem tenho nada pessoal contra ele.
Eu apenas tenho uma reputação profissional a manter e clientes mais representativos e muito menos problemáticos para atender.
Infelizmente, ser profissional também significa deixar claro o tipo de objetivo pessoal que se busca. E ficar estagnado definitivamente, não é o meu objetivo.
Como profissional, gosto de trabalhar com gente profissional e de forma profissional.
Odeio desorganização e elementos que podem representar desordem no ambiente de trabalho, embora eu infelizmente tenha de conviver com isso. Ao menos a minha parte eu faço.

segunda-feira, 28 de abril de 2003

Amaldiçõo até a centésima geração o asno que esparramou tinta acrílica no asfalto no meu caminho de casa para o trabalho!!!
Tirar aquela coisa branca da pintura azul metálica do meu carro vai ser um inferno!
Por que diabos tem de existir gente tão porca nesse mundo?
O pior é que eu só vi a mancha do carro quando cheguei aqui no serviço, com a tinta já seca.
Vou ter de arrumar tempo pra isso...
Tudo "pra ajudar", né?
Tomara que caia um balde de tinta sobre o cara antes de ele ir para alguma reunião importante... TODAS AS VEZES QUE ELE FOR A ALGUMA REUNIÃO IMPORTANTE!!!
Neste final de semana eu resolvi fazer algumas coisas de forma diferente do que venho fazendo nos últimos anos.
Não liguei para nenhum amigo, nem gastei horas e horas desenvolvendo algum novo projeto, ou estudando tecnologias novas.
Curti um som, limpei umas coisas aqui em casa, fiz alguns pequenos reparos em objetos pessoais...
Enfim, tirei um tempo pra mim.
Nem televisão eu vi. (Mesmo porque, o sistema de antena coletiva daqui do condomínio pifou e ninguém toma providências, só pra variar...)
Conversei com alguns amigos, minha mãe e minha namorada... todos por telefone.
O motivo desse "retiro" é muito simples: stress.
Eu precisava "desacelerar" um pouco a mente para poder pensar claramente.
Me sinto simplesmente como se eu não tivesse vivido minha própria vida por anos e eu pude viver só um pouquinho...
Amanhã (hoje) ao acordar... este final de semana será passado e eu volto à velha rotina altamente tensa e estressante do mundo moderno, em que tudo o que foi inventado para "facilitar" a nossa vida, nos distrai a ponto de esquecer de viver.

domingo, 27 de abril de 2003

Os(as) leitores(as) a essa altura já devem ter notado que às vezes passo longos períodos de tempo sem escrever. Certo?
Não que eu não estivesse de saco cheio durante esses períodos e sim, por pura falta de tempo. (Que me deixa de saco cheio.)
Aliás, já notaram como a vida atual está cada dia mais complicada?
A cada dia que passa, nos vemos assumindo cada vez mais responsabilidades e tendo de fazer um monte de coisas que antes não precisávamos, como por exemplo atualizar constantemente cada um dos programas que você tem instalados no seu computador, bem como os drivers...
Isso quando você não se vê numa situação em que precisa comprar o software de novo!
E a sua velha coleção de LPs e fitas-cassette???
Já converteu para DAT?
E seus DATs, já converteu para CD?
E seus CDs? Já converteu para MDs?
Ah! Seus "velhos" MDs já viraram DVDs!
Moderno(a) você, não?
Só uma pergunta: Como você conseguiu arrumar tanto tempo pra fazer isso?
O som ficou tão bom quanto a mídia original ou ficou apenas "satisfatório"?
Amanhã a nossa "genial" indústria de entretenimento lançará outra mídia que "definitivamente" será a substituta de todas as anteriores (de novo).
E "depois de amanhã" eles aparecerão com essa proposta de novo e mais uma vez você se verá cercado de um monte de cacarecos "obsoletos" e "sucateados" à sua volta, ocupando espaço e juntando poeira, porque ninguém vai querer.
E enquanto você perde seu tempo tentando encontrar comprador pra essas coisas e convertendo desesperadamente suas velhas músicas das décadas passadas para as "modernas" mídias atuais, a indústria do entretenimento está criando algo "novo e revolucionário" para continuar entretendo você com isso.

terça-feira, 22 de abril de 2003

Agora que a guerra no Iraque praticamente acabou e a poeira está baixando, ficaram algumas dúvidas no ar:
1 - Cadê as tais armas químicas e biológicas de que tanto falaram os governos estadunidense e inglês?
2 - De onde vai sair o dinheiro para reconstruir o Iraque?
3 - Os EUA usaram um certo tipo de míssil para destruir tanques que continha urânio empobrecido, que quando explodia, forma uma núvem tóxica radioativa que pode causar problemas genéticos. Isso não pode ser considerado uma arma química?
4 - Por que já se fala que os relatórios que "justificariam" a tal guerra seriam falsos?
5 - Quem vai controlar os poços de petróleo?
6 - O petróleo iraquiano continua sendo vendido em Euros ou passou a ser vendido em Dólar?
7 - Quem vai recuperar as peças de cerca de 7000 anos dos museus iraquianos destruídas na guerra?
8 - E as vidas humanas?
9 - Existe alguém no mundo que consiga justificar uma guerra?
10 - E um abuso de poder militar não justificado? Existe?

terça-feira, 8 de abril de 2003

Sabe o que realmente me deixa de saco cheio?
É a mentira.
Prefiro mil vezes chutar o pau da barraca e ficar com uma baita dor no pé do que fingir que a barraca nunca vai cair pelos seus próprios meios.
Posso não agradar a todos e se agradasse, eu não seria humano. No máximo, seria uma grande farsa.
Infelizmente, por questão de sobrevivência, muitas vezes temos de nos adaptar ao meio.
Eu nunca fui muito bom nisso, porque nem sempre eu estaria sendo eu mesmo, unicamente para ser agradável, mas... o mundo em que a gente vive exige isso de nós, socialmente e profissionalmente.
O objetivo deste blog é mostrar as coisas como elas são, sem maquiagem ou disfarces, como o que faço em algumas fotos, não tendo absolutamente nada a ver com o meu lado profissional.
Sou um cara muito divertido quando estou de bom humor e até brinco com as pessoas, como uma criança faria, mas sou muito sério como profissional e fico muito irritado comigo mesmo quando percebo as "falhas do sistema" e não tenho como conserta-las, ou melhorar o sistema para todos sairem ganhando.
Tenho a fama de ser o "resolvedor de problemas" dos lugares onde trabalho e não raramente, me rotulam de "gênio", "mago", ou algo como o executador de "missões impossíveis".
Mas com todas essas habilidades que me atribuem, uma coisa que eu nunca poderei fazer é mudar a forma de pensar das pessoas que não querem isso e não percebem que todos poderíamos ganhar com isso.
Uma pena!

sexta-feira, 4 de abril de 2003

E eu ainda aqui... trabalhando.
Devo sair daqui lá pelas 4 ou 5 da manhã.
Ralando feito condenado pra mal conseguir pagar minhas contas... E o Governo me roubando "legalmente"...
Cara! Quero mudar de trampo! Isso aqui não dá!
Eu não estou mexendo com computação gráfica a 18 anos pra isso!
E minha namorada, engenheira química continua procurando emprego.
Pelo menos se ela arranjar um emprego, não será tão ruim quanto o meu.
Aliás, Alguém aí quer me contratar?
Aceito propostas!
Meu! Se Deus existe, ele deve estar fazendo questão de me ignorar hoje!
Em casa... Só correria. Saí de casa sem almoço porque precisava ir buscar uma merda burocrática pra efetuar todo o processo contábil-jurídico-econômico pra brigar pela miséria de restituição do imposto de renda.
Tanta dor de cabeça pra conseguir de volta uns trocadinhos insignificantes perante a montanha de dinheiro que o Governo me rouba diariamente...
No serviço... só dor de cabeça e encrenca até às seis horas da tarde, quando resolvem me entregar um turbilhão de serviços pra hoje. (Isso mesmo! Os idiotas acham que após o horário comercial ainda existe expediente!)
O ruim é que essa cultura imbecilóide de que entregando a merda na mão dos outros no final de seu expediente, supõe que está sendo esperto e que só existe aquele serviço.
O problema é que todo mundo pensa isso e o idiota aqui acaba sobrecarregado e o serviço acaba sendo feito "nas coxa" só pra cumprir a bosta do prazo.
Agora estou aqui, lá da meia-noite, sem jantar e com um lanche de padaria como almoço tentando terminar sozinho um caminhão de serviço que só deve terminar lá pelas 5 da manhã.
E não me venha dizendo que "o mercado é assim" porque não é!
Só aqui, nessa terrinha de egoístas unhas de fome que não valorizam as vidas dos que "salvam" seus prazos a duras penas, como péssima alimentação, sono ruim e o pior de tudo: um salário irrisório, porque como já disse, o trabalho honesto não tem valor nesse mercadinho de bosta!

quinta-feira, 3 de abril de 2003

Meus sinceros agradecimentos aos amigos que lêm meu blog periodicamente e que de alguma forma, se identificam com o tipo de indignação que registro por aqui.
Alguns o acham um pouco exagerado, "pesado" ou mesmo "ácido".
Mas e daí?
O refrigerante mais bebido no mundo também é ácido... (se não for boicotado como já está sendo em alguns países.) :-P
Mas quem não se manifesta contra essas coisas que nos deixa indignados, não faz nada para ajudar a muda-las, nem nada, está simplesmente aceitando.
Se você, leitor(a) acha que pode fazer alguma coisa (qualquer coisa, por menor que seja) para mudar ou melhorar alguma situação, eu sugiro que o faça.
Nada poderá mudar, se ninguém fizer nada.
Faça a sua parte, exija sempre o melhor de si e seja um exemplo.
Você verá que um dia, as pessoas começarão a aprender com você e farão o mesmo.
E assim, quem sabe um dia, nos percebamos num mundo melhor!?
Meu blog é ácido sim, mas como o refrigerante, não deixa de ter seu lado doce. ;-)