Translate

segunda-feira, 27 de janeiro de 2003

Aproveitando os tempos de guerra iminente, alguém aí já observou alguma vez que nos filmes estadunidenses todo mundo é vilão, menos o mocinho, que geralmente é algum... estadunidense???
Pois é! Todo mundo: chinês, mexicano, coreano, árabe, francês, alemão... todo mundo é inimigo, todo mundo é mau, menos o herói. E todo mundo tem de falar inglês! Até os ETs!!!
A política imperialista chega a ponto de ser comum até mesmo para nós, sul-americanos chamarmos apenas eles, os estadunidenses de americanos, quando nós também o somos.
E Hollywood é o grande centro do marketing estadunidense, que impulsiona a opinião pública internacional sempre a seu favor.
E agora aos investidores internacionais: a dívida externa estadunidense é maior que a brasileira. Por que eles têm mais crédito do que nós?
Por que quem inventou o avião foram os irmãos Wright? (ou não seria Alberto Santos Dumont?)
Por que eles podem poluir o mundo à vontade enquanto nos "pintam" de "desleixados" com relação à preservação da Amazônia, obviamente de olho na nossa biodiversidade?
Por que eles não assumem que pretendem atacar o Iraque por causa do petróleo?
Por que o Bush não vê que está para mostrar quem é o vilão do mundo na vida real?
À imprensa: Quando se referirem ao "orgulho americano", por favor, não inclua a nós, sul, centro ou mesmo norte-americanos. Chamem de "orgulho estadunidense", porque esse tipo de orgulho, é a vergonha do globo e eu fico constrangido de ser chamado de americano.
Ao menos sou sul-americano. Brasileiro. E tenho orgulho da minha terra, embora as atitudes de alguns de meus conterrâneos me deixem envergonhado.

Nenhum comentário: