Translate

sexta-feira, 31 de janeiro de 2003

Sempre existiu uma certa polêmica com relação ao software traduzido.
Geralmente as pessoas que gostam do software traduzido, nunca passaram pela experiência de traduzir um software.
Sinceramente, eu prefiro um software em bom inglês que em português "esquartejado".
É simplesmente ridículo você ver besteiras do tipo "mova o rato para que o apontador se deslize pelo écran" (manual de computador canadense em português de Portugal distribuído no Brasil) ou coisas bizarras como uma função do CorelDraw conhecida como "Endireitar Texto" (quer dizer que o Corel faz texto torto?) ou ainda ter de clicar em "Yes" a uma pergunta escrita em português.
Fora a "chacina linguística", existem os bugs da tradução, pois dificilmente um software é traduzido à partir dos códigos-fonte, ou seja, antes de virarem código de máquina.
Assim sendo, nada impede que algum "byte" possa ser apagado por acidente, ou trocado por parte de um texto que originalmente não cabia no espaço reservado para ele.
Em outras palavras: se você testa softwares, anote em seu caderninho: software traduzido NÃO SERVE DE REFERÊNCIA TÉCNICA em hipótese nenhuma, a não ser que você esteja testando exatamente a tradução em si.
Mas pior do que isso, é sistema operacional traduzido... como se originalmente já não tivessem bugs o suficiente...
Quem mais curte essas "caixas de Pandora" é a galera que alega não entender inglês (como se o imperialismo não as atingisse) ou, principalmente, a galera dos escritórios, cuja última preocupação é se isso faz diferença ou não, contando que seja exatamente como eles estão acostumados dos cursinhos de informática para iniciantes...
Aliás, os camelôs têm dado um apoio fundamental para dificultar a escolha por software de melhor qualidade.
Infelizmente, apesar de distribuírem mais software traduzido do que software bom (quando o CD funciona), eles estão mais bem preparados para informar o consumidor sobre os produtos que as garotas que as grandes potências do software contratam para apresenta-los ao público nas feiras de informática.
Não é hilário?

segunda-feira, 27 de janeiro de 2003

Aproveitando os tempos de guerra iminente, alguém aí já observou alguma vez que nos filmes estadunidenses todo mundo é vilão, menos o mocinho, que geralmente é algum... estadunidense???
Pois é! Todo mundo: chinês, mexicano, coreano, árabe, francês, alemão... todo mundo é inimigo, todo mundo é mau, menos o herói. E todo mundo tem de falar inglês! Até os ETs!!!
A política imperialista chega a ponto de ser comum até mesmo para nós, sul-americanos chamarmos apenas eles, os estadunidenses de americanos, quando nós também o somos.
E Hollywood é o grande centro do marketing estadunidense, que impulsiona a opinião pública internacional sempre a seu favor.
E agora aos investidores internacionais: a dívida externa estadunidense é maior que a brasileira. Por que eles têm mais crédito do que nós?
Por que quem inventou o avião foram os irmãos Wright? (ou não seria Alberto Santos Dumont?)
Por que eles podem poluir o mundo à vontade enquanto nos "pintam" de "desleixados" com relação à preservação da Amazônia, obviamente de olho na nossa biodiversidade?
Por que eles não assumem que pretendem atacar o Iraque por causa do petróleo?
Por que o Bush não vê que está para mostrar quem é o vilão do mundo na vida real?
À imprensa: Quando se referirem ao "orgulho americano", por favor, não inclua a nós, sul, centro ou mesmo norte-americanos. Chamem de "orgulho estadunidense", porque esse tipo de orgulho, é a vergonha do globo e eu fico constrangido de ser chamado de americano.
Ao menos sou sul-americano. Brasileiro. E tenho orgulho da minha terra, embora as atitudes de alguns de meus conterrâneos me deixem envergonhado.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2003

Imposto, imposto, imposto...
Até quando nossos "ilustres" parlamentares vão se tocar de que enquanto eles brincam de criar novos mecanismos pra estorquir o nosso dinheiro, mais e mais crianças se multiplicam nos cemáforos, pedindo esmolas, mais e mais empregados estão sendo "reestruturados" para o olho da rua, mais e mais camelôs passarão a vender produtos piratas (e cada vez mais baratos em relação aos tributados), maior será o contrabando e consequentemente, MENOS DINHEIRO poderão estorquir dos nossos bolsos???
As empresas que se julgam prejudicadas com a pirataria e o contrabando, deveriam fazer pressão para a redução de impostos para combater a pirataria pelo seu ponto fraco: o preço. Afinal, ninguém consegue pagar o valor do produto original quando não tem dinheiro, certo?
E quanto ao resto de nós, indivíduos indefesos diante do inacreditável poder corruptor do Estado, só resta a organização e o protesto em grupo.
Mas como fomos condicionados a mais de 500 anos para sermos bundões... estamos endividados sobre a terra mais rica e produtiva do mundo, morrendo de fome e definhando sob A MAIOR CARGA TRIBUTÁRIA DO MUNDO.
E o condicionamento continua... escolas cada vez piores, senso crítico cada vez mais podre e opinião pública cada vez mais insensata.
E a tão sonhada reforma tributária integral do Brasil, cada vez mais continua soando como uma lenda profética inalcançável. Ou alguém aí acredita em Coelhinho da Páscoa?

quarta-feira, 22 de janeiro de 2003

Ok! Acho que todos estavam esperando por isso...
Hoje vamos falar de... SEXO!!!
Bom, o negócio é o seguinte: sexo é bom, todo mundo gosta (inclusive quem diz que não) e ponto final.
O problema é quando as pessoas se sentem incomodadas, ou por inveja, ou por questões culturais, enfim... não vamos enumerar isso, porque já existem publicações aos montes tratando do assunto.
Se aqui no ocidente, o sexo muitas vezes é tratado com um certo tabu, nas culturas orientais isso é perfeitamente normal e em vários casos, como no induísmo ou no taoísmo, é tido como sagrado, pois representa a fertilidade e a continuação da vida.
Os sites de sexo sim, nos pentelham todo o santo dia tentando nos empurrar em nossos e-mails, assinatura de seus sites, oferecendo fotos, vídeos e contos...
Na verdade, o que esses sites vendem nem sempre é o sexo em si, e sim a fantasia. Ninguém transa com uma foto ou com um vídeo.
Na melhor das hipóteses, o indivíduo (homem, mulher, ou...) que vê o vídeo ou a foto, passa a ter uma idéia mais ampla, uma mente mais aberta e assim, poder agradar melhor a(o) parceira(o), que é a parte mais importante disso tudo. Na pior... é quando o indivíduo se torna dependente disso e aí, o lado saudável pode virar doença.
Já o comércio sexual tem um aspecto menos saudável, embora em ambos os casos, o que conta mesmo é o dinheiro.
Mas o lado mais triste disso, é a quantidade de famílias (e vidas) destruídas por esse tipo de comércio, conhecido por ser um dos mais antigos da humanidade.
Bom senso e mente aberta são sempre muito importantes, mas a responsabilidade vem antes.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2003

Justiça é para todos, certo? Errado! Justiça, no mundo de hoje, é pra quem pode.
Fato: quanto mais leis você tem, maior é a quantidade de falhas que o advogado poderá explorar e é exatamente isso que o advogado faz.
Pra ajudar, nossas leis são interpretativas e ao menos aqui no Brasil, os juízes figuram como os "todo-poderosos" perante elas, podendo julgar muitas vezes mais por vontade própria do que por deduções exatas.
Graças à nossa legislação, um político corrupto pode deixar de responder a processo abdicando do cargo e depois acabar se reelegendo pra continuar mamando nas tetas públicas.
Aí, eu pergunto: qual é a credibilidade que o sistema judiciário brasileiro pretende ter?

quarta-feira, 15 de janeiro de 2003

Sabe, se tem uma coisa que eu detesto é terrorismo.
Os EUA conhecem bem isso, mas perderam o direito de acusar quem quer que seja no mundo, de terrorista, após o ataque ao vilarejo de Mi Lai, no Vietnam, após os bombardeios em Hiroshima e Nagasaki... Enfim.
Acho vergonhoso como o Governo dos EUA tem se portado diante do mundo nos últimos tempos, impondo suas vontades através da força como o Império Romano.
Mereceram a vaia que tomaram na África do Sul por se recusarem a revisar o quanto sua indústria afeta o meio-ambiente, sendo que nenhum país no mundo polui mais do que eles.
É como se estivessem dizendo para o resto do mundo que eles podem destruir a natureza enquanto nós temos a obrigação de preserva-la, que eles podem ter suas armas nucleares enquanto o resto do mundo não pode nem pensar em mexer com essas coisas, que eles podem sair por aí acusando qualquer país de terrorista e "meter bomba" nele à vontade, que eles podem espionar os nossos computadores sem que saibamos, que eles podem mandar no mundo e fazer o que quiserem e ainda, depois de tudo isso dizer que pregam a liberdade e a democracia!!!???
Bebo minha Coca-cola e lancho no McDonald's, mas que o mundo (inclusive eu) está ficando "sacudo" com esses caras, está.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2003

"Insanidade é continuar a fazer as coisas da mesma forma e esperar um resultado diferente."
(Albert Einstein)

Pois é!
Como esperar algo diferente das agências de propaganda que se dizem criativas, quando no próprio nome elas se copiam...
Alguém aí já contou quantas existem cujo nome são 3 letras ou 3 caracteres?
Isso é um claro exemplo de como pensa esse povo que já não faz mais as coisas por arte e sim por "desespero".
Por isso o mercado não mais distingue o artista, o técnico, ou o profissional sério do picareta que prostitui o mercado.
O pior é que cada dia mais o cliente prefere acreditar no picareta, porque este sempre promete prazos menores e preços mais baixos.
Como os orçamentos estão cada dia mais apertados graças à ganância desenfreada de certas corjas governamentais, o mercado muitas vezes se deixa levar pela picaretagem e simplesmente a aceita como solução.
Um belo jogo de "faz-de-conta"...
Depois eu é que sou louco. Ha!

domingo, 12 de janeiro de 2003

Eu queria saber por que os equum quadrilaterum (besta quadrada) dos engenheiros que projetaram a parte elétrica do meu prédio simplesmente se esqueceram da necessidade do aterramento (com exceção do chuveiro).
Resultado: agora que ganhei de presente da minha mãe um sensacional forno de microondas, não posso usa-lo porque a garantia do dito cujo exige o aterramento de acordo com a norma da ABNT (NBR 5410), mas no manual do aparelho, não diz como é essa norma. Pior! Eu tenho de pagar pra ABNT me dizer como ela é.
Felizmente existe gente de bom senso que faz aparelhos de proteção elétrica que substituem esse tipo de aterramento e vou procura-los. Se não achar, tenho um aparelho que já mediu um aterramento relativamente bom numa barra de ferro da estrutura do prédio de onde eu precisaria "puxar" um "discretíssimo" fio flexível de 14AWG e que a ABNT se exploda.
Em tempo, achei alguma coisa a respeito na net: de acordo com a Norma ABNT-NBR 5410 de novembro de 1997, item 5.1.3.5 que trata da regulamentação técnica para instalações elétricas de baixa tensão, "Os equipamentos que na sua arquitetura oferecem proteção por separação elétrica, não necessitam de aterramento."
Só fica difícil entender o que eles entendem por "baixa tensão", certo?

sábado, 11 de janeiro de 2003

Outro câncer no mundo da informárica atual: MICO$oft.
Hoje mesmo, após ter preenchido um formulário enorme para enviar online para uma grande multinacional, o site desta dava erro (ODBC, PQP!, Q-BosT, etc.) Só porque o formulário não foi preenchido no M$-Internaut Explöder.
Os programadores de site no Brasil deveriam se tocar (como já fez o resto do mundo) de que existem outras plataformas, outros sistemas operacionais e outros browsers.
A compatibilidade permite a democracia ao invés da imposição.
E por falar em imposição, alguém aí já notou que tem um certo banco brasileiro "sempre à frente", que ainda não padronizou seus caixas eletrônicos tidos que ela chama de "multi-..." Bom, tem vez que código de barra não funciona e você não consegue pagar uma conta.
E aí? Tem mais caixas sim, mas cada um para cada tipo diferente de transação. Isso é um absurdo!
Isso é "multi"?
Só se for "multiplos caixas ao lado".
A propósito... Já tenho informação de que a MICO$oft é acionista do tal banco.
Precisa dizer mais por hoje?
Inté!

quinta-feira, 9 de janeiro de 2003

Alguém aí se sente frustrado com o rumo que a informática tem seguido?
A uns 15 anos atrás, as pessoas que compravam computadores para fazerem planilhas e textos, hoje, com máquinas tão mais rápidas que as daquela época, o desempenho final é em alguns casos até menor.
Pra que lado então a informática está evoluindo?
Os sistemas estão cada dia mais complexos e cheios de recursos inúteis, consumindo processamento que poderia estar sendo aproveitado para algo mais útil do que spyware, por exemplo.
Desculpem, mas estou "puto" da vida, hoje! >:-(
Cá estou eu novamente, trabalhando até de madrugada, sem jantar e com sono atrasado de 3 dias.
Se eu pudesse, eu juro por Deus que mudaria de ramo!
O problema é que eu preciso de grana e bem ou mal, essa é a minha única fonte de renda (que renda?);
O pior é que o problema não parece se concentrar no ramo todo e sim no lugar onde trabalho.
Estou a 10 anos trabalhando aqui nesse "prostíbulo digital" e nunca pedi sequer um "vale".
Se alguém me fizer uma proposta realmente interessante de trabalho sério e profissional, sem o objetivo de me escravizar, me pagando justamente, eu largo essa bosta no mesmo dia!
Só espero que o efeito do café não passe enquanto eu estiver dirigindo de volta pra casa!
Preciso dormir!!!

terça-feira, 7 de janeiro de 2003

Ok! Já comprei meu teclado novo e posso mudar um pouco de assunto...
Acho que finalmente decidi quais serão os principais tópicos deste blog.
Criticar a arte, a mídia, a política e a informática do mundo atual.
Acho que é a melhor forma de expressar meu descontentamento, esperando que os que fazem essas coisas se toquem de que há um descontentamento generalizado.
Infelizmente, também há aqueles que aceitam qualquer coisa, porque não conseguem ver alternativas, ou se recusam a aceitar que elas existem, por mera pressão social.
É aí que se mostra o poder da mídia.
Esses dias resolvi um quebra-cabeças criado por Albert Einstein e que segundo ele, apenas 2% da população mundial seriam capazes de resolve-lo.
Imagino o poder que teriam os nerds do mundo se estes se unissem, com todo o conhecimento que cada um deles conseguiu reunir ao longo de suas vidas.
Echelon, NSA, Vaticano, Illuminati, Templários... Quem de fato tem o conhecimento e o "poder paralelo" do mundo?
O "Big Brother" observa você. Mas quem o observa?

sábado, 4 de janeiro de 2003

Seguindo mais uma vez e rigorosamente o "Primeiro Postulado de Picolo" (visite Picolo's Online! para conhece-lo), a arrogância e ignorância de certos vendedores de produtos de informática no Brasil, tornou-se um padrão com raras excessões.
O mesmo acontece com algumas distribuidoras.
Cerca de 24 horas após expôr o problema dos teclados ABNT2 a algumas das maiores distribuidoras de produtos de informática do país que vendem teclados, APENAS UMA manifestou interesse em resolver o problema.
Registro aqui o meu apoio a essa distribuidora, para a vergonha das outras, que deveriam fazer mais do que só vender produtos na base da "empurroterapia".
Apostar na inteligência do consumidor é respeita-lo e assim, ganha-se o seu respeito. E a melhor forma de fazer isso é ouvindo-o.
Vamos ver se mais alguma se manifesta, certo?

sexta-feira, 3 de janeiro de 2003

Como todos sabem, eu estou atuando no mundo da informática a pelo menos 18 anos.
Quando comecei, a maior parte dos equipamentos era importada ou contrabandeada.
A indústria brasileira de informática se baseava nas antigas máquinas de escrever para definir seus layouts de teclado e posteriormente, a ABNT fez o mesmo. Resultado: cada fabricante fazia um teclado com layout diferente que se denominava "ABNT". Foi um horror! Só de MSX brasileiro, já houveram pelo menos 4 layouts de teclado diferentes!
Então optei pelos teclados norte-americanos ("US"), em que todos os caracteres estão onde deveriam estar, principalmente chaves, ponto, apóstrofo e arroba. Além disso, o shift costuma ser bem grande.
Agora, 18 anos depois, temos o "ABNT2", onde nada é localizável direito! (Tente digitar a URL do meu site Picolo's Online! sem teclar linha no lugar do apóstrofo! Ou ainda digitar uma seqüência de números de IP no bloco numérico sem teclar a maldita vírgula!)
O pior é que o usuário "padrão brasil" prefere o teclado que tem cedilha, porque acha bonitinho... E só quer esse!
A Apple Brasil já cometeu a "brilhante" cagada de importar uma porrada de teclados tchecos e andou "empurrando" como se fossem brasileiros. Só tinha um problema: cadê a arroba?
Que se exploda o padrão ABNT! 18 anos pra fazer um layout tão burro... Eu prefiro o layout americano mesmo! Ao menos ele funciona bem em mais da metade do planeta desde que a IBM só fazia máquinas de cartão perfurado!

quinta-feira, 2 de janeiro de 2003

Feliz 2003 a todos!!!
Que a gente consiga sobreviver a todos os impostos que o nosso (des)governo nos cobra!
Que a gente consiga passar por todos os radares abaixo do limite de velocidade e nos cemáforos apenas sob luz verde e, se der luz vermelha e tivermos de ficar parados, que não nos assaltem nem arrebentem as traseiras dos nossos carros!
Que a lei finalmente seja igual pra todo mundo e eu possa votar uma lei para aumentar meus benefícios, bem como o meu salário!
Enfim... Que sejemos felizes e eu não seja perseguido por observar esse tipo de coisa e deixar claro num site de blog! :-P