Translate

domingo, 29 de novembro de 2020

Novembro... Reta final para quem conseguiu sobreviver até aqui, o ano mais difícil para a humanidade nos últimos... 50 anos (que já é quase a minha idade e portanto posso falar com propriedade sobre esse período).
Ano passado eu falava sobre "mudanças radicais para todo lado", mas o "vírus chinês" (mais um, né?) multiplicou a impresibilidade do ano, de modo que para a imensa maioria do mundo, foi um ano perdido.
Logo 2020... que por anos as empresas e as pessoas fizeram tantos planos, né?
É por isso que não faço planos para o futuro. No máximo, planos de prevenção contra possibilidades.
Querem uma sugestão?
Comecem a se habituar em fazer estoque de comida e água, a ter sempre lanternas e rádios (preferencialmente capazes de também transmitir em caso de emergência)... Seria bom até aprender Código Morse.
Porque muita coisa grande e ruim está para acontecer, mas consequência de tudo o que venho alertando aqui há quase 2 décadas. (E quem teria condições de agir contra essas coisas não o fez com nem um milésimo do vigor que o cenário exigiria.)
Quem achou que eu estava brincando ou delirando esse tempo todo, bom... 2020 veio para mostrar que é sério.



Controle Total e Absoluto

"Também obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa,
para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome."

(Apocalipse 13:16,17)



Vocês querem mesmo saber a verdade?
Os fatos?
Sem delírios nem devaneios?
Okay... Aqui vai, e não tem desculpa de dizer que eu não avisei (e cansei de repetir isso aqui neste blog).

Na verdade, passei os últimos 18 anos tentando avisar enquanto estudava sobre isso e aos poucos ao longo desse tempo, as coisas foram ficando cada dia mais claras até o presente texto... Nada agradável, a meu ver.
Durante todo esse tempo, tentei alertar o mundo sobre o que uns chamam de "stablishment", outros de "o sistema", outros de "sociedades secretas" (hoje não tão secretas assim), "estamento burocrático", ou os "globalistas", como prefiro chamar no momento, mas estou cansado disso e não adiantou nada.

Pois bem... 18 anos tentando apontar os perigos dos serviços providos de corporações particulares de tamanho global que surgem "da noite para o dia" oferecendo tudo de graça como isca para uma dependência cada dia maior de seus serviços, tentando avisar sobre os propósitos de quem estaria financiando-os, promovendo-os e o quanto de poder de influência esses "globalistas" têm em praticamente todas as mídias.

Tentei avisar sobre os perigos do "comportamento de manada", de ser "maria-vai-com-as-outras" e seguir junto com a "boiada" sem questionar se não estaria todo mundo indo para o matadouro.

18 anos falando sobre fraudes em sistemas eleitorais, sobre a fraude do "Direito Constitucional" (em que o Povo fica submissos à Constituição) que puseram no lugar do "Direito do Estado" (em que o Estado fica submisso ao Povo), bem como a ditadura do Judiciário intocável que tem todo o Poder e nenhuma responsabilidade.

18 anos alertando sobre as mentiras das mídias, sobre a centralização do Poder sobre a privacidade e sobre o direito de livre expressão dos cidadãos, ou mesmo sobre seu comportamento, bem como todos os elementos de subversão cultural que elas impulsionam.

Foram 18 anos que gastei aqui, em cada palavra ignorada pela imensa maioria das pessoas e tratada meramente como "teorias da conspiração" por seus cérebros condicionados desde a infância para zombar de tudo o que não seguir as narrativas da "manada" ou no mínimo, para ignorar mesmo, porque "é assunto chato".

Então... 18 anos... Sem ganhar absolutamente nada com isso, nem um centavo sequer, porque me recusei a registrar este blog como "monetizável".
18 anos... em vão?
Bom... Pelo menos eu expús o que observei e aprendí esse tempo todo à partir dessas observações (que foram ficando mais claras quanto mais eu observava) e por todos esses anos, a coisa ao invés de dar algum sinal de melhora... não. O mundo só piora em escala exponencial ano após ano.
(Nesse ritmo, preparem-se para uma Terceira Guerra Mundial lá pelo segundo semestre do ano que vem.)

Pois bem... o "tão esperado" 2020 da "Nova Ordem Mundial" (Até bem pouco tempo visto como "teoria da conspiração" mas claramente conhecido de representantes governamentais no mundo todo e tratado com naturalidade e com conceito completamente distorcido nas escolas e universidades) veio. E com ele, tudo o que eu falei durante 18 anos, veio à tona:

- Fraudes nas eleições tanto nos EUA quando no Brasil.
No caso do Brasil, fica muito fácil abafar, porque toda a Imprensa é cúmplice e o TSE é um "puxadinho do STF", ou seja, a mesma coisa que na prática, não só fiscaliza e julga a si mesmo, bem como ameaça, persegue e manda prender (sob argumentos absolutamente insustentáveis sob a ótica do Direito) todos os que o questionam, como fizeram com o jornalista Allan dos Santos, hoje exilado nos EUA por denunciar espionagem ilegal, ou o jornalista Oswaldo Eustáquio, em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica só que sem acusação nem julgamento. Ou seja... na prática, impera a Lei do Silêncio;

- Tentativa de implementação de "novilíngua", agora sob a "moda" do tal do "pronome neutro", uma incontestável aberração da Língua Portuguesa, mas que estão tentando forçar até nas escolas, não bastasse a horripilante fraude intelectual da última "Reforma Ortográfica" (além de mais uma ou duas que rolaram desde que nascí);

- Aí veio a tal da máscara de pano, que não protege de vírus nenhum (o vírus do COVID-19 tem 125nM de diâmetro e mesmo as máscaras profissionais 3M N95 só protegem contra 95% de partículas maiores de 300nM, pelo que me consta), causa uma série de problemas no sistema respiratório, que vão desde forçar as cordas vocais causando dores na garganta até forçar o ar nos pulmões, causando fadiga respiratória e consequentemente, dores de cabeça (qualquer um que tenha feito um bom curso de Técnica Vocal sabe do que estou falando) além de reduzir o poder de imunidade natural do organismo (a pessoa respira mais CO2 do que O2). Na prática só protege contra multa estipulada por Prefeitos e Governadores que pregam o medo para legitimarem a obtenção de verbas federais de combate a "problemas de saúde pública". Mas serviu muito bem para justificar o cerceamento de liberdades, censura, perseguições, e muito dinheiro em multas em nome da "saúde pública";

E agora querem extender esse mesmo esquema de controle para uma vacina (absolutamente insegura, pois a comprovação de segurança de qualquer vacina leva em média 10 anos) que querem a todo custo tornar obrigatória, assim como um QR Code, implante de chip (como já foi comentado aqui neste blog) ou algo que o valha sem o qual, você não poderá fazer o que ELES deixarem que você faça. Ou seja... Quem não seguir a "manada", será punido(a).
Pois bem... Agora querem "rotular" as pessoas, marca-las como gado, para segrega-las, impedindo quem não for "rotulado" de interagir, de trabalhar, de comprar ou vender.
(Os mais religiosos certamente já sacaram o por quê de eu ter escolhido esse trecho de "Apocalipse" como frase de destaque no texto de hoje.)
E isso de "rotular para segregar" já começou DÉCADAS atrás, com a tal exigência estranhamente desnecessária em certos cargos, de um "certificado de nível superior" (que na prática certifica que a pessoa teve o cérebro lavado em alguma "universidade") de modo que sem ele, a pessoa é impedida de trabalhar;

- Não bastam as câmeras por toda parte, o software de reconhecimento facial que usa das imagens dessas câmeras para localizar onde estão as pessoas que podem ou não serem desafetos dos "globalistas" (na China já testam sob o título de "crédito social").

- Destaco ainda o direcionamento forçado da opinião pública através dos donos das redes sociais e ferramentas de comunicação instantânea, censurando opiniões ou denúncias sob a desculpa de "não se adequar às políticas da comunidade".
Sério que ninguém percebeu que o Facebook, o WhatsApp e o Instagram (todos do mesmo dono) nunca tentariam monitorar cada palavra do que você publica ou conversa, para censura-lo(a) ou direcionar seu comportamento para a narrativa que ELES julgam "melhor"?
Você acreditou MESMO que seu uso seria seguro?
Sem falar nas CENSURAS nessas e em outras redes sociais por Ordem Judicial no Brasil, CONTRARIANDO a Constituição Federal de 1988!

- Sério mesmo que ninguém achou estranho que o Google, que hoje tem o TOTAL controle sobre TODOS os dispositivos Android do planeta e monitora TUDO sobre quem os usa?
Onde você está, o que faz, por onde esteve, que buscas fez, quais vídeos assistiu, quem são seus contatos, que outras contas ele pode acessar por você usando seu login...?
Ninguém se ligou que quem controlar essas duas empresas (Google e Facebook), pode controlar o mundo?
Hoje elas podem alterar seus algoritmos como bem entenderem para sugerir a você discretamente para que acredite apenas nas "verdades" que ELES te apontam mostrando nos resultados das pesquisas apenas o que convém a eles, não necessariamente a verdade e você acredita.
E amanhã...???

- Paralelamente, o excesso de tolerância a todas essas coisas gerada pela subversão cultural continua de vento em popa, para que as pessoas sejam incapazes de pensar, mas sejam verdadeiros zumbís-agentes especializados em dividir o Povo em "minorias", "classes", etc., enquanto tratam tudo como "teoria da conspiração" e assim na melhor das boas intenções, causam desunião e conflitos, enquanto empurram a eterna promessa demagógica de que tudo isso é para "um mundo melhor para todos", "um futuro melhor", "pela saúde pública"...
Se você for inteligente, já sacou que esse excesso de tolerância causado pelo "politicamente correto", no fim das contas, é a principal causa de todas essas ameaças à liberdade listadas nesta postagem de hoje.

Enfim... a lista de coisas que aconteceram esse ano e que já foram comentadas neste blog é grande e sinceramente, já estou de saco cheio de usar a ferramenta de busca (aí no topo da página) para procurar qualquer assunto no meu blog, que já listei aqui neste texto para pôr links para eles, bem como procurar fontes mais "mastigadas" e públicas de informação para poder linkar ao texto para vocês leitores(as). (Tem muita coisa muito pior que eu jamais poderia publicar aqui e acreditem: Tive bastante tempo para estudar com afinco extra essas coisas nos últimos 4 anos.)

E agora?
Depois de eu passar 18 anos avisando, como você espera oferecer alguma resistência a todo esse "sistema"?
Votando através de um sistema eleitoral sabidamente fraudulento legitimando-o?
Fazendo passeata pelas ruas em encontros combinados pelas redes sociais como se fosse um mero passeio no parque? Como se as Instituições te representassem?
Participando de "abaixos assinados" como se "o sistema" ligasse para eles? Ou quando não os usa exatamente para identificar e mapear seus desafetos?

Enquanto isso, o "sistema" continua firme e forte em seu projeto chamado "O Grande Reset Mundial" (que vai muito além do "Grande Reset Financeiro"), a agenda para ter controle total e absoluto sobre toda a raça humana até 2030, de modo que só eles, os "globalistas" possam se manter no Poder e todo o resto poder ser usado ou exterminado como eles bem entenderem, sem nenhuma resistência.

18 anos... E pode apostar que este blog já está marcado para sair do ar "por um mundo melhor", sob alguma justificativa furada como "fake news" ou "discurso de ódio" (expressões que na prática, significam "contrário à narrativa que ELES querem te empurrar goela abaixo").
Tenho certeza absoluta de que já tem gente caçando "cabelo em casca de ovo" para tira-lo do ar à qualquer momento, razão pela qual, pretendo mudar o ritmo das publicações aqui ano que vem, talvez até encerrando este blog por tempo indeterminado. (Se não o tirarem do ar.)

E por quê?
Poder e egoísmo, que é só do que são feitos "os globalistas".
Neles, não existe compaixão, nem empatia, nem altruísmo de nenhuma espécie que não seja para disfarçar suas reais intenções

E não se enganem.
As mudanças radicais que a humanidade passou em 2020 são "amostra grátis" do que ainda vem por aí nos próximos anos.
Preparem-se para o pior da realidade "profetizada" por George Orwell, se conseguirem sobreviver.


* = "Democracia, neste caso, não tem absolutamente nada a ver com a definição de democracia original de "A República" de Platão. É mero "duplipensamento"... estilo Orwell, pra variar.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Hoje, é 19 de outubro. Dia do Profissional de TI.
13 dias para o Dia das Bruxas.
Não poderia ser um dia mais apropriado para o texto de hoje.
Embora eu já não me considere mais um profissional de TI ativo, por causa de umas imbecilidades míopes de Mercado, talvez fosse melhor eu buscar alguma coisa completamente diferente mesmo, como as restaurações artísticas que ando fazendo... Em frequência muito menor do que eu gostaria, até pela tal "pandemia" que como já foi especulado aqui neste blog, causou crises econômicas no mundo todo, menos na China.
O texto de hoje não é do tipo usual aqui, apesar de meio que retornar às orígens, ao "desabafo" que originou este blog há mais de 18 anos.


Um dia de reflexões pessoais

"Não acredite nas verdades fáceis."
(Marcelo de Carvalho)



Não é agradável o que tenho para dizer.
Este blog não foi mesmo feito para agradar ninguém, nem tem a tal da "monetização" ativa, até para não influenciar em absolutamente nada nos assuntos levantados aqui para a reflexão dos(as) leitores(as) que têm toda a liberdade para pensarem o que quiserem.
E antes que pensem bobagem (e é certeza absoluta de que um monte de gente vai pensar mesmo, porque são pessoas condicionadas a julgar as outras o tempo todo), que saibam que estou cagando e andando se acharem que quero atenção (o que é certamente a primeira coisa que vão pensar), ou que eu sou isso, aquilo, assim ou assado.

Hoje fazem 9 anos do dia mais feliz da minha vida.
Infelizmente foi o início da última ilusão em que embarquei.
Nessa vida, só se vive através de ilusões.
Quando elas acabam, o quê sobra da vida?

Se eu pudesse definir o que é o Inferno, ou pelo menos o que é voltar dele, é ser condenado a não conseguir mais se iludir.
Acreditar em palavras, incluisive as ditas como "divinas" (pelo menos as que não passam de meras invenções escritas por humanos e repetidas por eles) são apenas mais ilusões bobas.

Voltar do Inferno é como matar toda a mágica da vida, revelando todos os truques do ilusionismo que a formava e obviamente, a decepção torna-se inevitável.
Uma decepção que o infeliz condenado se vê obrigado a carregar consigo pelo resto do que ainda se vê obrigado a chamar de "vida".
Não existem mais milagres ou seres sobrenaturais como deuses ou demônios, não existem mais paixões ou amores incontroláveis, não existem mais esperanças ou crenças de nenhum tipo sem evidências sólidas.
Não existe mais o "eu acho", ou o "talvez"... A palavra maldita que iniciou tudo isso.
Alguém falou alguma coisa? Ah, legal. Se eu não confirmar por mim mesmo, para mim, não passam de boatos.

Se por um lado seria maravilhoso se todos fossem assim, não dando a menor margem para as mentiras que dominam este mundo maldito, por outro, não haveria mais a ingenuidade inocente, a pureza de espírito que dá um "sabor doce" (felicidade?) à vida biológica, tornando-a prazerosa ao invés de "tolerável".
É, amigos... A verdade é amarga, quente e queima como o fogo do Inferno.
E se o Inferno é feito com verdade, o Céu... é só ilusionismo barato.

Aos que me contam histórias que dizem o que eu gostaria de ouvir, não pensem que acredito enquanto ouço e até interajo.
O máximo que posso oferecer a vocês, é a chance de mostrarem na prática que o que dizem é verdade.
O que é muito diferente de eu acreditar no que vocês dizem.

As escolhas que eu fiz que me levaram para o que hoje tenho de chamar de "vida", obviamente não foram as mais acertadas.
Entre esses erros da vida, procurei aprender a fazer de tudo ao invés de fechar o foco numa coisa só, me tornando um total e absoluto ignorante do resto e o tipo de "mão-de-obra" que as "consultorias de RH" buscam hoje, é exatamente do tipo que só sabe fazer aquilo e mais nada. Gente absolutamente incapaz de inovar, ou tomar iniciativas criativas.
Isso na melhor das hipóteses, quando não buscam apenas um certificado para servir de "vitrine" como se um pedaço de papel (que pode ser muito bem do tipo higiênico) representasse o supra-sumo de todas as soluções "superiores" para as empresas.

Também errei ao acreditar na boa vontade de algumas pessoas, expondo demasiadamente certos pormenores da minha vida pessoal, sendo incapaz de perceber a maldade e a inveja das quais essas pessoas são feitas.
Pessoas que até hoje, certamente falam muito mal de mim mundo afora, com o único intuito de tentarem destruir minha reputação, como se isso as promovesse de alguma forma ao invés de queimarem a própria reputação à partir do momento em que se descobre que nada do que essa gente diz corresponde à realidade.
Mas para deixar claro que não guardo rancores, torço para que não descubram que mentiram, ou que exageraram de modo a atribuir interpretações distorcidas da minha pessoa ou do meu comportamento profissional (que já me rendeu 2 prêmios internacionais de excelência).

Errei ao acreditar que por ter feito tanta coisa e ter ido tão longe profissionalmente, nunca mais me faltariam oportunidades de trabalho registrado.
Não preví crises político-econômicas, nem ocupações de espaços e de cargos por agentes ideológicos ao invés de profissionais competentes em suas áreas.
Talvez eu devesse mentir em meu currículo como todo mundo parece fazer para contornar isso.
Mas eu não sou todo mundo e já quase com 50 anos, de qualquer forma seria muito difícil ser selecionado por experiência (que imagina-se, custa caro) ao invés de "maleabilidade" (que imagina-se, custa barato).
Enquanto o Mercado não perceber que está sendo enganado pelas tais "consultorias de RH" enquanto há um batalhão de profissionais altamente capacitados sub-utilizados "perdidos" em colocações "provisórias", vão continuar apanhando para resolverem problemas muitas vezes simples.
Mas enfim... esse aspecto da subversão cultural já vem de várias décadas e é uma pena eu não ter percebido lá pelos anos 90.

Se eu pudesse voltar no tempo, provavelmente eu não cometeria esses erros todos.
Mas eu seria quem eu sou hoje?
Saberia tudo o que aprendí? (Ainda que hoje, a imensa maioria disso tudo que aprendí me parece inútil?)

Milagres, já sei que não existem.
Mas destino, sina, karma... Para quem por experiência própria de por mais que se esforce sempre acaba voltando à "estaca zero", com certeza existe.
Ou pelo menos as maldições que causam essas coisas, uma vez que coincidência ou não, do dia 29 de dezembro de 2012 para cá, tudo o que estava seguindo positivo comigo, passou a seguir negativamente.
Mas neste caso, se os "exotéricos" estiverem certos e as maldições voltarem 7 anos depois em triplo a quem as proferiu, tenho pena dos que as proferiram.
Mas enfim... tudo tem um preço.
E não há nada que eu possa fazer quanto a isso.
Lamento.

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Não é novidade nenhuma que vivemos tempos sombrios em que o que mais existe é desinformação para todo lado.
Gente tentando proibir o uso de um medicamento de eficiência comprovada sob a narrativa de que "não tem comprovação científica" enquanto exigem o uso de uma máscara de pano que tem uma eficiência altamente questionável (quando existem máscaras adequadas para essa função), que pode até causar ou agravar problemas respiratórios, com a narrativa de que "cientistas comprovam a eficiência".
Nessas horas, o melhor a fazer é deixar as paixões ideológicas de lado e procurar a boa e velha lógica observável e comprovável através de experiência em condições controladas.
Ou seja... Ciência.
Mas Ciência DE VERDADE, não propaganda que vende-se como "Ciência", ou voltamos aos tempos em que as "autoridades da Igreja" condenaram Galileu Galilei em nome da "Ciência" canônica que chamavam de "doutrina Católica".



A Guerra da Desinformação

"Em um mundo de mentiras, dizer a verdade é um ato revolucionário."
(Anônimo)



Durante séculos, as "notícias oficiais" foram o grande guia que formam uma das maiores mentiras da História da Espécie Humana: a tal da "opinião pública".
Ora... Se o "Rei" só deixa seu povo ver o que ele quer que o povo veja, fica muito fácil para o "Rei" formar a opinião unificada de seu povo todo.

E essa é a chave da dominação dos povos desde os tempos dos Faraós egípcios, passando pela Idade Média, com a figura do "mensageiro do Rei" que lia os decretos e notícias em praça pública e a coisa foi evoluindo até as atuais "agências de notícias", que na prática, são umas poucas "agências majoritárias" pelo mundo. Porém com milhares de "agências associadas" que replicam as "notícias" dessas poucas "agências majoritárias" dando impressão de que você obtém as mesmas "informações" provindas de "fontes diferentes".

O problema aqui é que essas poucas "agências majoritárias" pertencem aos mesmos donos, cujos objetivos são obviamente voltados a manter seu poder hegemônico.
Poder esse que já é tanto, que dinheiro ou mesmo vidas humanas para eles, significam tanto quanto grãos de sal num balde de pipocas de cinema.

Quanto às "agências associadas", além de meramente replicar as "notícias" das "agências majoritárias" incluem (entre as notícias policiais locais obtidas nas delegacias e notícias de esporte obtidas nos clubes esportivos locais), as "notícias oficiais" locais, lidas conforme os interesses dos donos ou controladores dessas "agências associadas", geralmente políticos corruptos, empresários desonestos, ou laranjas do crime organizado (cujos chefes geralmente são os tais políticos corruptos e empresários desonestos) e que obviamente têm interesses em manter ou expandir seu poder, influência ou fontes de lucro sem terem lá grandes problemas com a Polícia ou com a Justiça. Isso sem falar em certos conglomerados de mídia controlados por ditaduras totalitárias que compram essas agências, figurando como "fornecedoras de conteúdo".

Felizmente a Internet tem revelado muitos desses esquemas, seja através do fenômeno da "Inteligência Coletiva" (já bastante comentada em vários textos deste blog) viabilizada pelas intensas discussões nas redes sociais, seja através de pesquisas de interesse pessoal compartilhadas nas redes e replicadas aos montes pelas redes, entre opiniões pessoais, fofocas, boatos e uma infinidade de bobagens de todo tipo.

Claro que essas tais "revelações" são um problema sério para esses donos/controladores dessas agências todas e então o que eles fizeram?
Criaram as tais "agências de checagem" vendendo-as como se elas fossem "donas da verdade imaculada absoluta"... Mas TODAS elas são diretamente ligadas às agências de "notícias" ou aos donos/controladores já citados e que obviamente (tirando as checagens sérias dos boatos, hoaxes, fake news, opiniões lidas como notícias, etc.), nada mais fazem do que uma "leitura" com meias-verdades no melhor estilo Dialética Erística de Schoppenhauer.
Uma ofensa à inteligência, né?
Especialmente porque boatos, hoaxes, fake news, opiniões lidas como notícias, etc., sempre existiram desde a orígem das primeiras civilizações.
Só que agora querem que a gente só tenha acesso às "oficiais".

E por falar em inteligência, as maiores agêncas de inteligência do mundo hoje, não são mais governamentais como CIA, KGB, Mossad... São o Facebook, o Google e a Microsoft!
Essas 3 empresas sozinhas sabem absolutamente tudo o que você (que está lendo este blog agora) faz, fez, suas opiniões, o quê costumam procurar, comprar, comer, onde você está, onde e com o quê você já trabalhou e com quem, têm seus contatos e todos os contatos dos seus amigos... enfim... TUDO! (Exercício: Já visitou seu Google Dashboard para ter idéia do que o Google coleta sobre você?)
Já pararam para pensar que quem tem esse tipo de informações, pode chantagear, perseguir ou condenar qualquer pessoa no mundo?
E ainda podem dar "notícias oficiais" sobre essa pessoa de modo completamente diferente da realidade conforme interessar a seus donos (que podem ser muito bem os mesmos das "agências majoritárias")?

Neste cenário todo descrito neste texto de hoje, não é vergonha nenhuma estar enganado(a) sobre o que quer que seja.
Vergonha, é descobrir a verdade, conhece-la e ainda assim replicar a mentira. Seja por interesses pessoais, seja por ideologia.
E ao insistir nisso, além de muito feio, perde-se credibilidade.

Mas como fazer para não se enganar?
Bom... Talvez o jeito seja criarmos nossas próprias "agências" particulares de Inteligência, através de nossas redes de amigos que podem ter contatos diretos dentro dos locais onde os assuntos são gerados.
Ou ainda procurando fontes alternativas de notícias. (Aqui do lado, em "Sites Sugeridos" até tem alguns.)
Geralmente as melhores fontes são as mais perseguidas pelos donos das mídias mainstream.
Acompanhar críticos do "sistema" e jornalistas politicamente incorretos costuma também ser uma boa idéia.
Mas é preciso testar o que dizem.
Se as coisas que acontecem não correspondem ao que dizem, ou eles erraram por faltar-lhes alguma informação, ou eles estão de má-fé misturando fatos com narrativas.
Todo cuidado é pouco.
Como aliás, em toda guerra.