Translate

terça-feira, 30 de junho de 2020

Sim, deixei para postar o texto deste mês para a última hora.
Mas o fato é que estou sem inspiração nenhuma para escrever, numa época em que todo tipo de liberdade de pensamento está sendo perseguida, caçada e criminalizada "em nome da democracia"...
Ha! Ditadura jurídica "em nome da democracia", em que os poderes do Presidente eleito democraticamente são transferidos a "companheiros revolucionários", que em nome de uma "emergência sanitária" (vide parte do texto em destaque de "O último texto de 2015") fecham o comércio e obrigam as pessoas a usarem uma "focinheira" na cara como símbolo de submissão ao medo da intimidação jurídica ou econômica enquanto manipulam estatísticas e desviam dinheiro público... que enquanto estiver entrando, a tal "pandemia" continuará matando gente aos montes.
Quer saber? Este mês, vou postar um texto que achei na Internet de um tal de Roney Paes Pinto e mês que vem (que começa amanhã), eu penso num texto melhor.
Trata-se de uma lista de "revoluções" em andamento, muito bem organizada, diga-se de passagem.
E note que nenhuma delas visa nada de construtivo. Ou seja... é tudo para destruir todos os aspectos da sociedade, sempre em nome de alguma "causa altruísta".
Embora o texto diga que essas revoluções estão em curso no Brasil, não fala que estão também em curso no resto do mundo, uns países mais, uns países menos, mas estão.
Após le-lo com calma, fica fácil entender...
1 - Por quê é impossível resolver tudo isso de uma vez de uma hora para outra.
2 - Que tudo o que venho dizendo aqui neste blog há 18 anos, não é mera "teoria da conspiração".
3 - Que o cidadão "mediano", não faz a menor idéia do quanto está sendo manipulado enquanto acha tudo isso "normal".


Revoluções em curso

"A plebe apenas pode fazer tumultos. Para fazer uma revolução, é preciso o povo."


Temos praticamente todas as REVOLUÇÕES em curso no Brasil, ao mesmo tempo.

Revolução Positivista:
1) Negação dos costumes;
2) Ativismo judicial;
3) Estado-juiz acusador;
4) Negação do Direito Natural;
5) Garantismo penal.

Revolução Cultural:
1) Negação das obras de arte clássicas;
2) Boicote a livros, filmes, músicas;
3) Desrespeito a símbolos históricos;

Revolução Sexual:
1) Normalização da pedofilia;
2) Legalização da prostituição;
3) Incentivo à masturbação;
4) Erotização precoce;
5) Incentivo à promiscuidade sexual;
6) Incentivo à pornografia;
7) Disseminação da ideologia de gênero
8) Normatização do "casamento" entre pessoas do mesmo sexo;
10) Normalização do incesto;
11) Facilitação do divórcio;
12) Reconfiguração do instituto familiar;
13) Feminilização do homem;
14) Masculinização da mulher;
15) Normalização da ressignificação sexual.

Revolução da Linguagem:
1) Disseminação do termo "homofobia";
2) Uso do termo interrupção da gravidez
3) Ressignificação dos conceitos de casamento, família, vida;
4) Disseminação dos termos direitos sexuais e reprodutivos;
5) Pós-verdade;
6) Esvaziamento do sentido de significado e significante das palavras.

Revolução Educacional:
1) Doutrinação escolar e universitária;
2) Revisionismo Histórico;
3) Formação de militância política entre alunos;
4) Orientação ideológica de professores;
5) Emburrecimento programado;
6) Socioconstrutivismo;
7) Analfabetização funcional de alunos;
8) Ocupação ideológica de Universidades e Institutos;
9) Rejeição da educação clássica.

Revolução Econômica:
1) Derrubada das economias ocidentais;
2) Compra de empresas nacionais;
3) Patrocínio a ditaduras de esquerda.

Revolução Político-Jurídica:
1) Retomada de poder;
2) Ruptura da segregação dos poderes;
3) Usurpação de prerrogativas;
4) Ingerência internacional em território brasileiro;
5) Patrocino advocatício a militantes de causas revolucionárias;
6) Liberação de presos;
7) Criação de tipos penais já existentes (feminicídio);
8) Equiparação ilegal de crimes penais (atentado violento ao pudor e estupro);
9) Ingerência do Estado em assuntos de foro íntimo (Lei da Palmada.

Revolução Midiática:
1) Construção de narrativas dissimuladas (fake news, gabinete do ódio);
2) Parcialidade das informações;
3) Omissão da verdade;
4) Desinformação
5) Espiral do silêncio;
6) Fim da liberdade de expressão;
7) Criminalização da opinião.

Revolução Comportamental:
1) Isolamento social;
2) Lockdown,;
3) "Novo normal";
4) Reengenharia humana;
5) Testes de comportamento;
6) Realidade distópica;
7) Legalização das drogas.

Revolução Armada:
1) Desarmamento civil;
2) Proteção da criminalidade;
3) Invasão de zonas rurais;
4) Invasão de propriedades urbanas;
5) Manifestações violentas de rua;
6) Ocupação de prédios públicos (escolas, universidades).

Revolução Cibernética:
1) Controle da informação e de dados pessoais;
2) Participação em conglomerados tecnológicos;
3) Censura tecnológica;
4) Patrocínio ao sequestro e destruição de informações;
5) Disseminação global de tecnologias de comunicação (móvel e física);
6) Disseminação de entidades de fast-checking.

Revolução Ambiental: ativismo da causa animal:
2) Mãe-terra,
3) Deus-gaia,
4) Redução populacional para preservação do Meio Ambiente;
5) Reengenharia ecológica;
6) Ecoterrorismo.

Revolução Religiosa:
1) Perseguição aos cristãos;
2) Apoio a religiões anticristãs;
3) Teologia da Libertação;
4) Teologia da Prosperidade;
5) Proibição de uso símbolos religiosos;
6) Criminalização dos cultos e missas;
7) Destruição moral de seminários;
8) Assédio a seminaristas.

A frente de batalha é extensa.

(Roney Paes Pinto)

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Eu queria muito escrever um texto sobre Inteligência Coletiva, mas o caos está tão generalizado que ainda não é o momento para isso.
Ainda mais que perdí uma semana deste mês correndo atrás de coisas para garantir a boa recuperação da minha mãe que ficou internada num hospital aqui de Campinas (com uma forte infecção urinária) nesse período.
Enfim... Não bastasse todo o desastre que minha vida tem se tornado desde 2013, ainda tive mais esse susto para carregar nas costas.
Pelo menos ESSE esforço valeu a pena e agora ela já está bem e bem mais animada do que eu, que estou totalmente quebrado emocionalmente, motivacionalmente, economicamente...
Mas antes que eu acabe surtando e me suicidando por falta de paciência com essa porcaria de mundo em que todos agem como se fossem fugitivos de um hospício, é preciso parar um pouco (não me refiro à "quarentena") e racionalizar sobre "quais são os fatos", como diria o célere Bertrand Russell.
E olha... Está cada dia mais difícil encontrar e filtrar os fatos no fundo do oceano de lama (para não chamar de outra coisa) em que eles estão escondidos e que está cada dia mais denso, para tentar expôr aqui neste blog.
Porém, se interessar aos(às) leitores(as)... Na tal semana que fui TODOS OS DIAS no hospital, havía uma recepção do lado dedicada a problemas respiratórios ou suspeitos de COVID-19.
Todos esses dias, essa recepção permaneceu VAZIA. Literalmente às moscas. Bem diferente da outra recepção.
Na tal semana, eu só sóbe de UM caso SUSPEITO de COVID-19 por lá... Mas como é um hospital particular, e ele foi direcionado para um hospital da rede pública por um acordo municipal.
Independente disso ou do que qualquer autoridade ou "especialista"disser, por favor, se cuidem.
Usem máscaras, lavem bem as mãos com bastante frequência, o rosto, procurem evitar aglomerações, etc.


Na Hora da Verdade...
"Não acredite nas verdades fáceis."
(Marcelo de Carvalho Fragali)


Nunca na História humana houve um festival tão grande e desenfreado de desinformação por parte justamente de quem deveria ter a maior responsabilidade em apresentar as informações corretas; de convicções por parte de gente esclarecida, baseadas em boatos espalhados entre os colegas de trabalho ou convivência e que por causa dessas convicções, espalham esses boatos, bem como praticam ações provenientes dos mesmos no sentido de "desconstruir" as reputações de certas pessoas públicas injustamente (ou seja, fazendo o jogo de gente insescrupulosa como "inocentes úteis", massa de manobra); de abusos de autoridade desenfreados totalmente fora dos limites; e de corrupção escancarada na maior cara-de-pau com a mais absoluta impunidade, passando o recado cada dia mais claro de que "o crime compensa".

A humanidade hoje, parece agir como formigas quando umas duas ou três são esmagadas: cada uma corre para um lado, todas completamente perdidas no melhor esquema "salve-se quem puder" e não é para menos.
Mas quem é que não se sente perdido num cenário desses?

Um cenário em que a OMS, que deveria figurar como uma instituição de referência em relação às medidas de combate a essa arma biológica chinesa conhecida como SARS-CoV-2 (o vírus que transmite uma doença inicialmente respiratória cujos sintomas e efeitos cada dia têm mais ítens especulatórios na lista), parece agir mais para aumentar os efeitos de contaminação e estrago do mesmo pelo mundo do que efetivamente apontar os caminhos para combate-lo, sem falar nos "podres" da Indústria Farmacêutica sobre esse assunto;

Um cenário em que alguns países aparentemente menos afetados adotaram políticas contrárias às que são "recomendadas por especialistas e autoridades" aqui do Brasil. (OK... Cada um sabe como a própria casa funciona e portanto tem meios mais adequados de lidar com essas coisas. O que certamente não é o caso do Brasil, em que os oportunistas priorizam a Lei de Gérson ao invés do que é certo.)

Um cenário em que a Imprensa faz de tudo para causar pânico e espalhar mais confusão do que esclarecimento. (Porque está do lado desses oportunistas, que na prática, são todos bandidos. E quem ajuda ou defende bandido é cúmplice.);

Um cenário em que pelo Poder, autoridades (os bandidos supra-citados) tentam quebrar a Economia e proibir possibilidades de cura para extender o tempo do pânico e assim, possam continuar recebendo "verbas emergenciais" para serem destinadas sem licitação ou a devida fiscalização enquanto as desviam para propaganda político/partidária enquanto aproveitam o caos para "desconstruir a reputação de inimigos políticos" (justamente os que estão tentando ajudar enviando as tais "verbas emergenciais");

Um cenário em que decretos feitos claramente para inflar o números de óbitos relacionados à COVID-19 para causar ainda mais pânico na população (pânico esse multiplicado pela Imprensa) para que as tais "autoridades" continuem justificando as requisições das tais "verbas emergenciais";

Um cenário que tem Prefeito "pegando carona" na onda de "lockdown" do Governador, querendo implementar rodízio de veículos na cidade (o que certamente vai aumentar as aglomerações no transporte público) através de uma Lei Municipal (o que tornaria o rodízio permanente e assim, entre outros impactos, aumentaria os lucros de uma certa empresa de taxi que por acaso pertence ao tal Prefeito).

Um cenário em que a imensa maioria da Imprensa, que infelizmente ainda tem um poder de influência gigantesco nas pessoas que não têm tempo de correr atrás das verdades* ou que moram em locais isolados ou afastados, onde a Internet ainda não chega, age como os apoiadores dessas "autoridades" (todos interesseiros tentando ganhar "umzinho"), espalhando todo tipo de boato para tentar desacreditar, "desconstruir", ou tentar derrubar todos aqueles que podem ser um impecilho no pra lá de manjado plano de roubo e tomada de Poder, que consiste em: Primeiro em desarmar a população para ela não oferecer resistência, depois quebrar a Economia para o Povo ficar dependente do governo enquanto faz de tudo para calar quem se manifesta contra e por último, tomar o governo para escravizar o Povo dependente.

Bom, meus(minhas) caros(as) leitores(as)... O cenário geral é esse.
E está tão claro que qualquer um que tenha boa vontade de ir direto nas fontes para investigar pessoalmente*, vai concluir que apesar de tudo isso, até existem mesmo lugares que estão com dificuldades em atender os afetados pela COVID-19, mas que isso não é generalizado e a imensa maioria das alas dos hospitais reservadas para atender essa "pandemia", estão curiosamente vazios e que estranhamente a maioria dos moradores de rua (que obviamente não usam máscaras nem têm álcool gel ou lugares onde possam lavar as mãos conforme procedimentos cirúrgicos) sequer apresentam sintomas da doença.

Mas nem por isso vou dizer para vocês não se cuidarem, pois não há como negar que o vírus existe e faz vítimas.
No entanto, tudo o que eu disse aqui, está cada dia mais claro para todo mundo, que a cada dia que passa, mais máscaras estão caindo do que as que estamos pondo em nossas caras para nos proteger dessa porcaria "made in China".

Mas não bastasse tudo isso, ainda temos de lidar com um pleno estado de anomia, ou seja, um estado em que qualquer membro de qualquer Instituição legisla, julga e executa conforme bem quiser.
Não podemos mais dizer que estamos vivendo em um "Estado Democrático de Direito", enquanto direitos constitucionais são rasgados descaradamente, flagrantemente e nada acontece.

É uma boa hora para lembrar que NENHUMA Instituição está acima do Povo, uma vez que somente o Povo (e seu braço armado) é o Poder Supremo de um país, o Instituinte Originário.
Assim sendo, NENHUMA Instituição, muito menos qualquer elemento que a integre, tem o Direito de afirmar que alguma coisa que se diga delas é "um ataque à democracia".
Principalmente se o Povo não reconhece sua legitimidade.
É o caso daqueles que se elegeram por "quociente eleitoral" ou por "indicação" em eleições de lisura questionável de longa data, mas que o Povo por alguma razão "tolera", ou "faz de conta que essa gente toda aí realmente é o que diz ser"... até o dia em que "a bolha estoura" bem ao estilo "A Revolução dos Bichos".

Ora... A legitimidade de qualquer servidor público, é inversamente proporcional ao medo que sentem de saírem na rua para encarar o Povo de frente.
Pensem nisso.


* Dicas: não percam seu tempo com a imprensa tradicional, nem procurando notícias em sites de busca. Estão todos comprometidos.
Procurem acompanhar jornalistas QUE ACERTAM o que dizem, sem narrativas ideológicas, pessoas públicas chave em redes sociais e ir PESSOALMENTE a alguns lugares para conferir se o que essa gente toda diz está MESMO acontecendo.
Procure também reunir pessoas confiáveis que já se acostumaram a fazer isso e faça delas, sua própria rede secreta de Inteligência.

quarta-feira, 15 de abril de 2020

Quando escreví o último texto do ano passado aqui neste blog, imaginei que haveria a possibilidade de "mudanças radicais para todo lado" no mundo, mas não imaginava que fossem tão grandes assim, de modo que tudo o que eu imaginava que poderia acontecer que poderia de alguma forma, facilitar meus planos de recomeçar minha vida, com um outro emprego (talvez até bem diferente do que eu tinha), foram todos por água abaixo no meio do caos global que se instituiu por conta dessa porcaria de "vírus chinês".
Não bastasse esse, que já é o maior caos pandêmico, político e econômico que a História humana já enfrentou, ainda temos vulcões entrando em erupção ao mesmo tempo pelo mundo e agora, um incêndio próximo a Chernobyl.
Nesse ritmo, o quê teremos para os próximos meses?
Apocalipse zumbí?
Invasão alienígena?
A Terceira Guerra Mundial?
Godzilla?
Sério... Estou de saco cheio de catástrofes globais, "quarentena", "isolamento social"...
Mesmo que eu já esteja acostumado com isolamento social por ser o meu estilo de vida desde que me conheço por gente.
Na boa?
Tudo de ruim que está acontecendo hoje, começou lá atrás, a cada vez que se ao tolerou que o Universo seguisse em desequilíbrio.
Se cada ser humano conseguisse ter idéia do tamanho do mal que se desencadeia e se multiplica à partir de cada ação de prepotência, arrogância ou mesquinhez, não estaríamos vivendo neste "inferno".


A Nova Guerra Fria
"Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências."


Já faz muito tempo que repito aqui neste blog que para os marxistas (e todas as suas outras denominações), não existe "verdade", que no lugar dela, só existe a narrativa que favorece a ideologia e que quaisquer questionamentos ou palavras em contrário eles tentam a todo custo, calar.

E foi exatamente assim que agiram o partido Comunista Chinês e a Organização Mundial da Saúde (OMS)* em relação ao COVID-19, conforme pode ser verificado através deste excelente documentário histórico que pode até ser chato e longo, mas vale muito a pena ve-lo com atenção do começo ao fim para entender como certos governos e instituições agiram (e se questionar o por quê).

Graças à essa negação dos fatos em nome da pura propaganda (ideológica), o mundo inteiro está tomando gravíssimos prejuízos econômicos e o que é pior: milhares de mortes (sem contar os casos de suicídio por conta da quarentena ou da impossibilidade de pagamento de contas) e óbvio, não há dinheiro ou riqueza no mundo que possa repôr essas vidas.

Mas para uma ideologia que já matou mais de (estimadas) 180 milhões de pessoas ao longo de sua História (e ainda contando), a vida humana certamente não tem valor algum para seus seguidores, que acreditam tanto na mesma que seriam capazes de morrer por ela.
E não bastou apenas negar.
Os comunistas chineses acusaram os outros países de "hostilidade" por fecharem suas fronteiras, tentaram intimidar figuras públicas de outros países de "insinuar que o vírus surgiu na China", "sumiram" com pessoas dentro do próprio país que falavam sobre o assunto, negaram a legitimidade de países inteiros (como Taiwan), acusaram outros países de contaminarem Wuhan e venderam equipamentos com defeito, testes que não funcionavam, aventais e máscaras defeituosas para alguns países do mundo... como se tudo isso fosse proposital.

Aliás, alguém se surpreenderia se de repente aparecesse num "Wikileaks" da vida, algum documento confirmando essa teoria, ou coisa pior, tipo... uma estratégia de guerra biológica de proporções globais para "enfraquecer o mundo para impôr o controle sobre ele", como aliás ficou sugestionado numa recente reunião do Partido Comunista Chinês?
Claro que é de se desconfiar.
Especialmente quando se vê imagens pela Internet, de chineses aparentemente contaminando propositalmente frutas, locais públicos, painéis de elevadores, etc.

Ora... Mesmo que esses vídeos sejam falsos, quando se esconde alguma coisa, boa coisa não é.
E a China esconde muita coisa do mundo. Muita mesmo.
Essa "caixa preta" sem a menor transparência, fortemente blindada de pura propaganda (como uma inacreditável festa de luzes em Wuhan, estranhamente organizada e preparada rápido demais para uma cidade em quarentena, o que dá a entender que a festa era mais prioritária do que o combate ao vírus) já ultrapassou os limites da paciência de empresas que resolveram retirar suas produções da China e alguns países como o Japão, que também pretendem retirar suas empresas de lá.

Negar os fatos com propaganda, é no mínimo, uma ofensa à inteligência, ao bom senso, à boa convivência num mundo em que a mera sobrevivência da espécie humana depende justamente de colaboração entre os países, mas não há mais como tolerar esse tipo de negação dos fatos quando os entes queridos de milhares de famílias pelo mundo estão morrendo justamente por causa dessa negação, dessas mentiras para esconder os fatos.

A China, que ficou famosa pela infinidade de invenções na antiguidade, morreu COMPLETAMENTE sob o Maoísmo e hoje, apesar de concentrar praticamente toda a produção industrial manufatureira do mundo, recebendo tecnologias desenvolvidas no mundo inteiro para tal, age como uma criança mimada, fazendo birra porque quer um presente caro, no caso, a liberdade e a soberania dos demais países do mundo.
E como toda criança mimada só aprende com castigo, mas temo que uma criança desse tamanho, mereça um castigo de tamanho proporcional não só ao tamanho da criança quanto ao estrago que ela causou, mas...
Como castigar uma criança desse tamanho de modo que ela entenda o quanto errou?
É assustador imaginar as consequências que estão por vir desse problema.
E assim... o mal neste mundo, lamentavelmente só tende a piorar para todos nós.

Pior do que a doença que esse vírus está causando no mundo todo, é a ganância pelo Poder a qualquer custo.
Ganância essa, claramente evidente aqui no Brasil, onde os gananciosos se aproveitam da "pandemia" para justificar todo tipo de golpe.

Se a humanidade conseguir sobreviver à "pandemia", não sei se conseguirá sobreviver às consequências da ganância a longo prazo.
Porém, como já foi dito aqui, "o mundo todo estará completamente diferente quando essa pandemia passar" e as regras todas tendem a mudar radicalmente nos próximos anos, de forma absolutamente imprevisível no momento.

E o Brasil?
Bom... É a terra onde bandidos, gananciosos e oportunistas em geral têm mais influência e poder no mundo.
Definitivamente, estamos numa bolha cada dia mais inchada que francamente, não sei como ainda não explodiu entre tantos fragrantes descumprimentos da Constituição (em especial, do Direito Constitucional de Ir e Vir) e da Lei de Segurança Nacional.
Mas como as leis no Brasil são feitas para se cumprirem no melhor estilo "A Revolução dos Bichos", ou seja, "uns são mais iguais que os outros", seria bastante surpreendente se de uma hora para outra esse ciclo se quebrasse.
Mas aí... caminho sem volta.


* A OMS é uma agência subordinada à ONU, que adora dar pitaco na soberania dos países, do mesmo jeito que a União Européia (UE).